“Província (de) um grande Partido Brasileiro, e mui pequeno o Europeu”: a repercussão da Independência do Brasil em Angola (1822-1825)

Autores

  • Gilberto da Silva Guizelin

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i52.21880

Resumo

A partir do uso da correspondência das autoridades coloniais angolanas da primeira

metade da década de 1820, este artigo pretende examinar o impacto, em

Angola, da ruptura do Reino Unido de Portugal e Brasil. uma das causas de a

independência brasileira ter repercutido na África portuguesa se deve ao número e

ao grau de integração dos negociantes brasileiros junto à elite mercantil angolana.

Sem surpresa, até o final da querela luso-brasileira — oficialmente encerrada

com o Tratado de Aliança e Amizade, de 29 de agosto de 1825 —, o combate

ao chamado “partido brasileiro” constituiu a principal tarefa das autoridades

coloniais de Angola, no intuito de evitar um colapso ainda maior do complexo

atlântico do Império Ultramarino Português.

Palavras-chave: Independência; Relações Brasil-Angola; Brasil Império;

Angola Colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-03

Como Citar

GUIZELIN, G. da S. “Província (de) um grande Partido Brasileiro, e mui pequeno o Europeu”: a repercussão da Independência do Brasil em Angola (1822-1825). Afro-Ásia, [S. l.], n. 52, 2015. DOI: 10.9771/aa.v0i52.21880. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/21880. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos