O Escola Sem Partido como expressão do ideário militar

Autores

  • Michel Goulart da Silva Instituto Federal Catarinense - IFC

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.28612

Palavras-chave:

Escola Sem Partido, Conservadorismo, Ideologia

Resumo

Neste artigo discute-se os elementos comuns entre os discursos produzidos por alguns militares e o ideário do movimento Escola Sem Partido. Para tanto, são apresentadas algumas intepretações elaboradas por militares acerca da educação atualmente desenvolvida em escolas e universidades. Ademais, são analisados os projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional que defendem a censura aos professores nas escolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michel Goulart da Silva, Instituto Federal Catarinense - IFC

Doutor em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pós-doutor no Programa de Pós-Graduação em História da UDESC. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8260725539562633

Referências

CASTRO, Celso. Comemorando a “revolução” de 1964: a memória histórica dos militares brasileiros. In: FICO, Carlos et al. (Org.). Ditadura e democracia na América Latina: balanço histórico e perspectivas. Rio de Janeiro: Ed. da FGV, 2008.

DEMIER, Felipe Abranches. O barulho dos inocentes: a revolta dos “homens de bem”. In: Felipe Demier; Rejane Hoeveler. (Org.). A Onda Conservadora: ensaios sobre os atuais tempos sombrios no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2016.

FRANCO, Stella Maris Scatena. Do arco-íris à monocromia: o Movimento Escola Sem Partido e as rações ao debate sobre gênero nas escolas. In: MACHADO, André Roberto & TOLEDO, Maria Rita de Almeida (Org.). Golpes na História e na Escola. São Paulo: Cortez: ANPUH SP, 2017.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Escola Sem Partido: imposição da lei da mordaça aos professores. e-Mosaicos, v. 05, 2016.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A gênese das teses do Escola Sem Partido. In: Escola "Sem" Partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: LPP-UERJ, 2017.

GADOTTI, Moacir. A escola cidadã frente à “Escola Sem Partido”. In: A ideologia do movimento Escola Sem Partido. São Paulo: Ação Educativa, 2016.

LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen. 5ª ed. São. Paulo: Cortez, 1994.

MOTTA, Aricildes de Moraes (Coord.). 1964 – 31 de março: o movimento revolucionário e sua história. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2003, t. 1.

MOTTA, Aricildes de Moraes (Coord.). 1964 – 31 de março: o movimento revolucionário e sua história. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2006, t. 5.

PEDROSA, José Fernando de Maya. O revisionismo histórico brasileiro: uma proposta para discussão. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2008.

PENNA, Fernando de Araújo. “Escola Sem Partido” como ameaça à Educação Democrática: fabricando o ódio aos professores e destruindo o potencial educacional da escola. In: MACHADO, André Roberto & TOLEDO, Maria Rita de Almeida (Org.). Golpes na História e na Escola. São Paulo: Cortez: ANPUH SP, 2017.

PENNA, Fernando de Araújo. O ódio aos professores. In: A ideologia do movimento Escola Sem Partido. São Paulo: Ação Educativa, 2016.

RAMOS, Marise Nogueira. Escola Sem Partido: a criminalização do trabalho pedagógico. In: Escola "Sem" Partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: LPP-UERJ, 2017.

SILVA, Michel Goulart da. Os militares brasileiros e a “grande mentira”. In: Fernando Ponte de Sousa e Michel Goulart da Silva. (Org.). Ditadura, repressão e conservadorismo. Florianópolis: Em Debate / UFSC, 2011.

SILVA, Michel Goulart da. Os riscos da democracia: da “transição lenta e gradual” à “onda conservadora”. Relatório de Pós-Doutorado. UDESC, 2018.

Downloads

Publicado

2019-05-12

Como Citar

Silva, M. G. da. (2019). O Escola Sem Partido como expressão do ideário militar. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 10(3), 169–175. https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.28612