Investimento Tecnológico: limites e impactos no Estado de Alagoas na perspectiva da Indústria 4.0

Autores

  • Luciana Peixoto Santa Rita 1Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal http://orcid.org/0000-0002-1348-2681
  • Reynaldo Rubem Ferreira Junior Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil
  • Eliana Maria Oliveira Sá Federação da Indústria do Estado de Alagoas, Maceió, AL, Brasil
  • Joaquim Alexandre Ramos Silva Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v14i3.36429

Palavras-chave:

Indústria 4.0, Investimento Tecnológico, Indústria.

Resumo

A importância ao tema investimento tecnológico cresce no âmbito da Indústria 4.0. O artigo tem por objetivo analisar o nível de investimento tecnológico em Alagoas na perspectiva da Indústria 4.0. Especificamente, almeja identificar o perfil da estrutura industrial, analisar a composição dos investimentos tecnológicos, o uso dastecnologias da Indústria 4.0 e as tecnologias em que a indústria pretende investir nos próximos anos. Pretende-se responder à seguinte questão de pesquisa: quais são os limites e os impactos do investimento tecnológico sob a perspectiva da Indústria 4.0? O estudo é quali-quantitativo, sendo descritivo quanto aos objetivos. Para tal, aplicou-se um survey em uma amostra de 150 indústrias, configurando uma margem de erro de 7,5% e com intervalo de confiança de 95%.  É possível aferir como resultado que a indústria possui reduzido nível de investimento em tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0, mas com previsão de níveis mais elevados nos próximos anos.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Peixoto Santa Rita, 1Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9511112631138534

Possui graduação em Economia pela Universidade Federal de Alagoas (1993), graduação em Direito pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió (1994), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Alagoas (1999) e doutorado em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP (2004). Pos- Doutoranda em Indústria 4.0 e Tecnologia no ISEG na Universidade me Lisboa. Avaliadora do Ministério da Educação e Cultura. Pesquisadora da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas. Professora Associada IV da Universidade Federal de Alagoas. Professora do Programa de Pós-Graduação em Administração Pública em Rede Nacional (PROFIAP), do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (PROFINIT) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.Tem experiência nos seguintes temas: competitividade, indústria 4.0, politica tecnológica, inovação, perfil tecnológico, politica pública e pesquisa industrial.

Reynaldo Rubem Ferreira Junior, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil

Professor Titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEAC) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Bacharel em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (1984- UFPE), mestre em Economia Industrial pelo Programa Integrado de Mestrado em Economia e Sociologia (1990- PIMES/UFPE) e doutor em Política Econômica pelo Instituto de Economia da Universidade de Campinas (1998 - IE/UNICAMP).Ex- Secretário Extraordinário do Estado de Alagoas (2004) , responsável pela coordenação dos estudos para implantação da Agência de Fomento do Estado, e Ex-Superintendente do PRODETUR-AL (2005).Ex- Diretor de Operações Financeiras da Agência de Fomento de Alagoas (AFAL- 2010 e 2011). Atualmente é professor da graduação e do mestrado em Economia Aplicada da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (Profnit-UFAL). Pesquisador nas áreas de Políticas Macroeconômicas e de Sistemas de Inovação, com foco em Perfis Tecnológicos de Setores Industriais e Sistemas de Financiamento Empresarial.

Eliana Maria Oliveira Sá, Federação da Indústria do Estado de Alagoas, Maceió, AL, Brasil

Mestra em Educação Brasileira na linha de TIC na Educação pela Universidade Federal de Alagoas. Especialista em Gestão Estratégica de Empresas e Marketing pelo Centro Universitário CESMAC. Graduada em Administração de Empresas pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió. MBA em andamento em Liderança para Inovação pela Faculdade da Indústria/IEL. MBA em andamento em Gestão da Mudança. Atuou como Professora-autora dos Cursos de Especialização em Gestão Pública, Gestão Pública Municipal e Gestão em Saúde, modalidade à distância, da Universidade Federal de Alagoas, do Programa PNAP da UAB. Professora dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis e do Tecnológico de Logística da Faculdade da Cidade de Maceió. Professora do Curso de Especialização em Gestão Estratégica de Recursos Humanos do Centro Universitário Cesmac. Coordenou o Curso de Administração da Faculdade Raimundo Marinho. Coordena o Curso de Administração da Faculdade da Seune. É Coordenadora de Inovação e Pesquisa no Sistema Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, onde atua em temas como: política industrial, competitividade, inovação, tecnologia, empreendedorismo, propriedade intelectual, incubadoras, polos e parques tecnológicos, interação universidade-empresa, capacitação. É gestora dos Programas Inova Talentos e Inova Tec em Alagoas. É representante da FIEA no Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação e no Fórum Estadual da Micro e Pequena Empresa de Alagoas (FEMPE), onde coordenou o Comitê de Tecnologia e Inovação. Membro do Comitê Gestor do Programa Tecnova. É gestora do Núcleo Estadual da Mobilização Empresarial pela Inovação ? MEI pela FIEA; do Prêmio Nacional de Inovação (PNI/AL) e do Convênio CNI-SEBRAE de Inovação. Foi membro do Comitê Assessor de Extensão da UFAL e atualmente é membro do Conselho Curador da UFAL, representando o CRA / AL. Coordenou o Programa SRI ? Sistemas Regionais de Inovação em Alagoas (CNI, BID, ABDI, OCDE, Cooperação Espanhola, Sistemas Indústria de AL, MG, PB e SC). Foi gestora do programa Bolsas BITEC (IEL NC, SEBRAE, Núcleos Regionais do IEL) em Alagoas. Foi gestora dos Programas PROCOMPI (CNI, SEBRAE, Federações de Indústrias). Foi membro do Conselho Editorial da Companhia de Edição, Impressão e Publicação de Alagoas (CEPAL). É membro do Conselho Editorial da Revista Facima Digital Gestão, da Faculdade da Cidade de Maceió (Facima).

Joaquim Alexandre Ramos Silva, Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal

Professor Titular do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), Universidade de Lisboa. Doutoramento em Análise e Política Económicas pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris. Presidente do Departamento de Economia do ISEG: eleito para dois mandatos (de 2014 a 2018). No ISEG, desempenhou vários cargos diretivos desde 1980, é coordenador do Mestrado em Economia Internacional e Estudos Europeus, desde 2011, e da Área Científica de Economia Internacional e Desenvolvimento (eleito para os períodos 2010-2013 e 2017-2018). Investigador do CSG/SOCIUS, ISEG, centro de investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Portugal) com a classificação de excelente; sendo ainda membro de vários grupos de pesquisa no Brasil, entre eles NIG.one (CNPq/UFMG). Principal domínio de pesquisa: as relações económicas internacionais, combinando a metodologia da economia internacional, da economia política internacional e de negócios internacionais; entre os temas mais focados refere-se o comércio e o investimento direto estrangeiro, no que diz respeito a análise, mas também estratégias e políticas tanto públicas como empresariais; os processos concretos de internacionalização de empresas; fundamentos e prática da integração regional, em particular na Europa, globalização, organizações económicas internacionais e governança global. O estudo das relações económicas luso-brasileiras e seus principais desenvolvimentos durante as últimas décadas tem sido um dos grandes vetores da sua pesquisa em busca não só de um melhor e mais qualificado conhecimento mas também de uma fundamentação teórica, originando um amplo trabalho de investigação aprofundado e diverso, envolvendo os dois países e onde se destaca o papel desempenhado por pesquisadores mais jovens. Professor ou pesquisador visitante em diversas instituições universitárias estrangeiras, nomeadamente na Universidade de Orléans, Universidade de Hitotsubashi (Tóquio), Instituto de Economia Mundial de Kiel, Texas A&M University, e no Brasil: Universidade de São Paulo, Centro de Tecnologia Mineral ? Ministério da Ciência e Tecnologia (Rio de Janeiro) e Universidade Federal de Minas Gerais (FACE, Belo Horizonte). Foi, numerosas vezes, membro do conselho editorial e/ou avaliador de trabalhos submetidos a revistas científicas e/ou apresentados em conferências internacionais. Integrou a Comissão Científica de cerca de duas dezenas de conferências e congressos, na maioria internacionais. Participou em projetos internacionais patrocinados por organizações como a CEPAL, Commissariat Général du Plan, e no contexto da UE, entre outros programas, ETUI, Tempus Phare e MEPSIR. Lisboa, junho de 2017

Referências

AGWU, Okorie; AKPABIO, Julius. Using agro-waste materials as possible filter loss control agents in drilling muds: a review. Journal of Petroleum Science and Engineering, [s.l.], 2018. DOI: 163. 10.1016/j.petrol.2018.01.009.

AHUETT-GARZA, Horacio; KURFESS, T. A brief discussion on the trends of habilitating technologies for Industry 4.0 and Smart Manufacturing. Manufacturing Letters, [s.l.], 2018. DOI: 15. 10.1016/j.mfglet.2018.02.011.

ARDITO, L.; D'ADDA, D.; PETRUZZELLI, A. M. Mapping innovation dynamics in the Internet of Things domain: Evidence from patent analysis. Technol. Forecast. Soc. Chang. [s.l.], v. 136, p. 317-330, 2018.

BILLINGHURST, Mark; CLARK, Adrian; LEE, Gun. A Survey of Augmented Reality. Foundations and Trends® in Human-Computer Interaction, 2015. DOI: 8. 73-272. 10.1561/1100000049.

BONGOMIN, O. et al. Exponential Disruptive Technologies and the Required Skills of Industry 4.0. Journal of Engineering, [s.l.], p. 1-17, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1155/2020/428015. Acesso em: 4 out. 2020.

BOYES, H. et al. The industrial internet of things (IIoT): An analysis framework. Computers in Industry, 2018. DOI: 101. 1-12. 10.1016/j.compind.2018.04.015.

CHATZOPOULOS, D. et al. Mobile Augmented Reality Survey: From Where We Are to Where We Go. IEEE Access, [s.l.], v. 5, p. 6.917-6.950, 2017.

CHEN, B. et al. Smart factory of industry 4.0: key technologies, application case, and challenges. IEEE Access, [s.l.], v. 6, p. 6.505-6.519, 2018.

CHIARELLO, F. et al. Extracting and mapping industry 4.0 technologies using wikipedia. Computers in Industry. 2018. DOI: 100. 244-257. 10.1016/j.compind.2018.04.006.

COLEMAN, S. et al. Quality and Reliability Engineering International, [s.l.], v. 32, n. 6, 2016.

DECHEZLEPRÊTRE, A.; MÉNIÈRE, Y.; MOHNEN, M. International patent families: from application strategies to statistical indicators. Scientometrics, [s.l.], v. 111, p. 793-828, 2017. DOI: https://doi.org/10.1007/s11192-017-2311-4.

EPO – EUROPEAN PARLIAMENT OFFICE. 3D Bio-Printing for Medical and Enhancement Purposes: Legal and Ethical Aspects’9, 2018. Disponível em: http://www.europarl.europa.eu/RegData/etudes/IDAN/2018/614571/EPRS_IDA(2018)614571(ANN2) _EN.pdf. Acesso em: 25 mar. 2020.

FIEA – FEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA DE ALAGOAS. Cadastro Industrial. Alagoas: FIEA, 2015.

FIEA – FEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA DE ALAGOAS. Relatório de Pesquisa de Desempenho Industrial, Maceió, 2020. Disponível em: https://fiea.org.br/publicacoes. Acesso em: 20 mar. 2020.

FIEA – FEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA DE ALAGOAS. Trajetória da Indústria em Alagoas: 1850/2017: Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Instituto Euvaldo Lodi. 1. ed. Maceió: FIEA, 2018. Disponível em: https://ielal.com.br/public/documentos/livro-trajetoria-da-industria-em-alagoas-1850-2017-1-1-.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

FORREST, E.; HOANCA, B. Artificial intelligence: Marketing’s game changer. In: TSIAKIS, T. (ed.). Trends and innovations in marketing information systems Hersey, PA: IGI Global, 2015. p. 45-64.

FORSTNER, L.; DÜMMLER, M. Integrierte Wertschöpfungsnetzwerke-Chancen und Potenziale durch Industrie 4.0. Elektrotechnik und Informationstechnik, [s.l.], v. 131, n. 7, p. 199-201, 2018.

FRANK, A.; DALENOGARE, L.; AYALA, N. Industry 4.0 technologies: Implementation patterns in manufacturing companies. International Journal of Production Economics, [s.l.], 2019. DOI: 210. 10.1016/j.ijpe.2019.01.004.

GHOBAKHLOO, Morteza; CHING, N. G Tan. Adoption of digital technologies of smart manufacturing in SMEs. Journal of Industrial Information Integration, [s.l.], v. 16, p. 100-107, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jii.2019.100107.

HE, Q. P.; WANG, J. Statistical process monitoring as a big data analytics tool for smart manufacturing. Journal of Process Control, [s.l.], v. 67, p. 35-43, 2018.

KAGERMANN, H.; WAHLSTER, W.; HELBIG, J. Recommendations for implementing the strategic initiative Industrie 4.0, Final report of the Industrie 4.0. Working Group, [s.l.], p. 1-82, April, 2013.

KIEL, D. et al. Sustainable industrial value creation: benefits and challenges of industry 4.0, Int. J. Innov. Manag, [s.l.], 2017. DOI: https://doi.org/10.1142/S1363919617400151.

KUO, C. C.; SHYU. J. Z.; DING, K. Industrial revitalization via industry 4.0 e A comparative policy analysis among China, Germany and the USA. Global Transitions, [s.l.], 2019.

LIAO, Y.; DESCHAMPS, F.; LOURES, E. Past, present and future of industry 4.0: a systematic literature review and research agenda proposal. International Journal of Production Research, [s.l.], v. 55, n. 12, p. 3.609-3.629, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/00207543.2017.1308576.

LU, Y. Industry 4.0: a survey on technologies, applications and open research issues. Journal of Industrial Information Integration, [s.l.], v. 6, p. 1-10, 2017. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jii.2017.04.005.

LU, Hsi-Peng; WENG, Chien-I. Smart manufacturing technology, market maturity analysis and technology roadmap in the computer and electronic product manufacturing industry. Technological Forecasting and Social Change, [s.l.], 2018. DOI: 133. 10.1016/j.techfore.2018.03.005.

MENDONÇA, C.; ANDRADE, A.; NETO, M. Uso da IoT, Big Data e inteligência artificial nas capacidades dinâmicas. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 2018. DOI: 12. 131. 10.12712/rpca.v12i1.1120.

OLIVEIRA, L. E. S.; ÁLVARES, A. J. Axiomatic design applied to the development of a system for monitoring and teleoperation of a cnc machine through the internet. The 10th International Conference on Axiomatic Design, ICAD, 2016.

RADZIWILL, N. M. The Fourth Industrial Revolution, Quality Management Journal, [s.l.], v. 25, n. 2, p. 108-109, 2018. DOI: 10.1080/10686967.2018.1436355.

SAMPIERI, R.; COLLADO, C.; LUCIO, P. Metodología de la Investigación. [S.l.]: McGraw-Hill, 1991.

SANTA RITA, L. P. et al. Estimativa do Índice de Competitividade da Indústria: O caso de Alagoas. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 136-163, out.-dez. 2013.

SCHROEDER, A. Z. B.; ZARCO, C. G.; BAINES, T. Capturing the benefits of industry 4.0: a business network perspective, Production Planning & Control, 30:16, 1305-1321, 2019. DOI: 10.1080/09537287.2019.1612111.

SHROUF, F. et al. Industry 4.0: How digitization makes the supply chain more efficient, agile, and customer-focused. [S.l.]: PWC Report, 2016. Disponível: http://www.strategyand.pwc.com/media/file/Industry4.0.pdf. Acesso: 20 mar. 2020.

SVEN-VEGARD BUER, Jan Ola Strandhagen; FELIX, T. S. Chan. The link between Industry 4.0 and lean manufacturing: mapping current research and establishing a research agenda, International Journal of Production Research, [s.l.], v. 56, n. 8, p. 2.924-2.940, 2018. DOI: 10.1080/00207543.2018.1442945.

TAO, F. et al. Data-driven smart manufacturing. Journal of Manufacturing Systems, [s.l.], v. 48, p. 157-169, 2018.

THOBEN, Klaus-Dieter; WIESNER, Stefan; WUEST, Thorsten. Industrie 4.0 and Smart Manufacturing – a Review of Research Issues and Application Examples. International Journal of Automation Technology, [s.l.], v. 11, p. 4-19, 2017. DOI: 10.20965/ijat.2017.p0004.

TIACCI, L. Object-oriented event-graph modeling formalism to simulate manufacturing systems in the Industry 4.0 era. Simulation Modelling Practice and Theory, [s.l.], v. 99, February, 2020.

UNIDO, Industry 4.0: Opportunities behind the Challenge, Background Paper, Vienna, Austria, 2017.

XU, M.; DAVID, J. M.; KIM, S. H. The Fourth Industrial Revolution: Opportunities and Challenges, Int. J. Financ. Res., [s.l.], v. 9, n. 2, p. 90-95, 2018.

YANG, H. et al. The Internet of Things for Smart Manufacturing: a Review IIE Transactions, [s.l.], p. 1-35, 2019. DOI:10.1080/24725854.2018.1555383.

ZHONG, B. et al. Patent cooperative patterns and development trends of Chinese construction enterprises: A network analysis. Journal of Civil Engineering and Management, [s.l.], v. 25, n. 3, p. 228-240, 2019. DOI: https://doi.org/10.3846/jcem.2019.8137.

ZHU Z.; LIU, C.; XU, X. Visualisation of the digital twin data in manufacturing by using augmented reality. Procedia CIRP, [s.l.], v. 81, p. 898-903, 2019.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

Santa Rita, L. P., Ferreira Junior, R. R., Sá, E. M. O., & Silva, J. A. R. (2021). Investimento Tecnológico: limites e impactos no Estado de Alagoas na perspectiva da Indústria 4.0. Cadernos De Prospecção, 14(3), 715. https://doi.org/10.9771/cp.v14i3.36429

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento