Tecnologia e COVID 19: Meteoro atingiu nosso país

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v13i2%20COVID-19.36368

Palavras-chave:

covid-19, coronavirus, farmácia

Resumo

"Fomos atingidos por um meteoro", disse o Ministro Paulo Guedes, em 28 de março de 2020.

A pandemia de Covid-19 (Coronavirus Disease 2019), fez com que nosso País fosse realmente atingido pelo meteoro.

Até recentemente, entidades associativas de cunho científico trabalhavam com planejamentos e projetos, evoluindo lentamente com inovações.

No campo da Saúde, certos temas demandavam maiores esforços, como recursos tecnológicos, maior aporte financeiro, apelo social, ou por uma combinação desses fatores.

A burocracia corrente, juntamente com procedimentos, resoluções, carimbos e assinaturas, fazia com que a inovação se desenvolves se de forma lenta e, algumas vezes, desanimadora.

A pandemia de Covid-19 fez com que diferentes categorias de cientistas se envolvessem, ocasionando avalanche de informes sérios e outros por vezes duvidosos, frases de efeito, comentários, teorias, ações, programas e projetos, sem precedentes na grande maioria dos povos e nações.

Inovação passou a ser a palavra de ordem no combate à imensa sobrecarga dos hospitais e unidades de saúde.

Protocolos e paradigmas são revisados, patentes são reavaliadas, tudo na tentativa de salvar vidas e proteger a população.

A produção de vacina contra Covid-19, passa a ser o foco da pesquisa e cientistas e laboratórios, mesmo sabendo-se que exige muito tempo para seu desenvolvimento, e o tempo, nesse caso, é nosso inimigo.

Meios de comunicação enaltecem uso do Álcool Gel para higiene das mãos e uso de máscaras, caracterizando-os como as mais efetivas formas de prevenção. De outro lado, sociedades científicas preconizam métodos alternativos ao álcool gel.

A cloroquina é defendida e atacada, nos meios científicos e nas discussões populares. Cientistas aprovam!! Cientistas reprovam!!

Comunidades e associações filantrópicas produzem máscaras e vestimentas cirúrgicas, e de impressoras 30, nascem ideias e produtos.

Terapias alternativas são propostas, como a utilização do plasma de pacientes curados e a ozonioterapia.

A utilização off label de medicamentos também é valorizada como prevenção ou solução, apesar de questionamentos quanto à falta de pesquisas clínicas consistentes.

Faltam kits de diagnóstico em quantidade suficiente para testar todos os pacientes e para comprovar aqueles que já tem imunidade.

Cientistas, economistas, autoridades, epidemiologistas, órgãos de mídia e a população em geral, tornam partido a favor ou contra o isolamento social horizontal e o isolamento social vertical.

Diversos aparelhos de ventilação de baixo custo ou custo acessível surgem de núcleos de inovação. A FDA autoriza um aparelho inovador que permite a utilização por quatro pacientes em um único respirador.

Empresa Adidas, em parceria com empresa de tecnologia Carbon, produzem 18.000 máscaras faciais por semana, com ajuda de impressoras 3D. Máscaras que são doadas para organizações de saúde dos EUA, e comunidades carentes.

Enquanto isso, as internações, mortes e fake news aumentam rapidamente pelo mundo todo.

Hospitais de Campanha são rapidamente construídos e uma imagem emblemática circula na Internet: em São Paulo, tradicional estádio do Pacaembu foi adaptado para Hospital de Campanha. Necessária uma pandemia para que estádios de futebol sejam menos valorizados do que hospitais e a saúde da população brasileira

Inúmeros aplicativos são criados para novos costumes, governos revisam prazos de recolhimentos tributários e criam normas, visando a sobrevivência de empregos, de pequenas e médias empresas, e de ajuda financeira a Comunidades carentes.

A burocracia, o mau uso de recursos públicos, e o grande abismo social brasileiro, são expostos cruamente nas redes sociais e na imprensa.

Nesse rodamoinho, chega e-mail de médico que inovou em 2010, quando depositou uma patente de instrumento com finalidade cirúrgica, deferida agora, em março de 2020, ou seja, dez anos depois, fora todo o tempo utilizado no trabalho da pesquisa. Com a velocidade do desenvolvimento tecnológico, ainda seria essa patente útil nos dias de hoje?

Fica a expectativa de que, passada a pandemia, nosso País tenha aprendido com a dura lição, caminhando então com foco na harmonia social e política, rumo ao desenvolvimento exigido pelo mundo moderno.

Agora é o momento para que todos se unam, visando promover a integração das diferentes comunidades científicas ou não, na busca da sinergia de ações e soluções às consequências desse meteoro que atingiu nosso País.

Cabe a nós todos ajudarmos a traçar esse novo caminho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Acácio Alves de Souza Lima Filho, USP, Academia Brasileira de Ciências Farmacéuticas

  • Endereço para acessar este CV:http://lattes.cnpq.br/0318610459546736

Downloads

Publicado

2020-04-16

Como Citar

Lima Filho, A. A. de S. (2020). Tecnologia e COVID 19: Meteoro atingiu nosso país. Cadernos De Prospecção, 13(2 COVID-19), 309. https://doi.org/10.9771/cp.v13i2 COVID-19.36368

Edição

Seção

Editorial