Produção Científica Versus Produção Tecnológica: a trajetória do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA)

Autores

  • Jaqueline Souza Instituto Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • André Luis Rocha Souza Instituto Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • Rita Maria Weste Nano Instituto Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • Marcelo Santana Silva Instituto Federal da Bahia, Santo Amaro BA, Brasil
  • Marcio Luis Valença Araújo Instituto Federal da Bahia, Santo Amaro BA, Brasil
  • Morjane Armstrong Santos de Miranda Centro Educacional SENAI CIMATEC, Salvador, BA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v14i2.35979

Palavras-chave:

Institutos Federais, Produção Científica, Produção Tecnológica.

Resumo

A criação dos Institutos Federais (IFs) em 2008 foi um marco no campo da política pública de educação profissional em todos os níveis e modalidades, com reflexos, também, no desenvolvimento local e regional. Entre os objetivos dos IFs, está o de realizar pesquisas aplicadas, estimulando o desenvolvimento de soluções técnicas e tecnológica para atender às demandas sociais. Esta pesquisa exploratória, de natureza bibliográfica e documental, buscou analisar a trajetória da produção científica e tecnológica no âmbito do IFBA. Os dados foram extraídos: da Web of Science, Plataforma Stela Experta e do DINOV/IFBA. Os resultados demonstram que a produção científica ainda é muito superior à tecnológica e que, mesmo havendo um aumento desses indicadores ao longo do tempo, a quantidade de transferência de tecnologia ainda é bastante incipiente ou ausente.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, L. E. V.; PACHECO, E. M. Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia como Política Pública. In: ANJOS, Maylta Brandão dos; ROÇAS, Giselle. As Políticas Públicas e o Papel Social dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Natal: Editora IFRN, 2017. p. 12-35.

ARAÚJO, L. O. et al. Mapeamento da propriedade industrial nos Institutos Federais de Educação do Nordeste. Cadernos de Prospecção, Salvador. v. 11, Edição Especial, p. 284-294, abr.-jun. 2018. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/nit/article/view/23078. Acesso em: 16 abr. 2019.

ARRUDA, F. S. Avaliação em Ciência, Tecnologia e Inovação: o caso do Programa De Propriedade Intelectual da FAPESP. 2008. 132f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008. Disponível em: encurtador.com.br/bmN29. Acesso em: 14 mar. 2019.

BENCKE, F. F. et al. A Tríplice Hélice e a Construção de Ambientes de Inovação: o Caso da Incubadora Tecnológica de Luzerna/SC. Desenvolvimento em Questão, Rio Grande do Sul, v. 16, n. 43, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.21527/2237-6453.2018.43.609-639. Acesso em: 9 maio 2020.

BENELI, D. S; CARVALHO, S. A.; FURTADO, A. T. Uma discussão sobre o processo de construção de indicadores compostos de inovação: o caso da união europeia. Qualitas Revista Eletrônica, [s.l.], v. 17, n. 2, p. 77-96, out. 2016.

BORTOLINI, H. V. et al. Análise da Implementação e Operação dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) no Brasil: Estrutura, Gestão e Relação com o Setor Produtivo. In: VIII ENCONTRO DE ESTUDOS EM EMPREENDEDORISMO E GESTÃO DE PEQUENAS EMPRESAS. Goiânia, 2014. Anais [...]. Goiânia, 2014. Disponível em: http://www.egepe.org.br/anais/tema01/129.pdf. Acesso em: 13 mar. 2019.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 1, 30/12/2008.

BRASIL. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT (ano base 2017). Brasília, DF: Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, 2019.

CARVALHO, H. G. C. et al. Gestão da Inovação. Curitiba: Aymará, 2011. Disponível em: encurtador.com.br/nuIU3. Acesso em: 12 abr. 2019.

CRUZ, C. A. B. et al. A inovação como instrumento de desenvolvimento científico e tecnológico: uma análise através de indicadores. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 10, n. 3 p.393-404, jul.-set. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v10i3.23052. Acesso em: 9 maio 2020.

DAMINELLI, E. A pesquisa e a produção de conhecimento nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia no RS: um estudo sobre a iniciação científica com estudantes do ensino médio técnico. 2018. 280f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: encurtador.com.br/hkqAQ. Acesso em: 26 dez. 2018.

DIAS, A. et al. Impulsionando a Inovação à consolidação da rede que conhece o nosso chão, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2016.

ETZKOWITZ, Henry; ZHOU, Chunyan. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo da universidade-indústria-governo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, p. 23-48, maio, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142017000200023. Acesso em: 5 mar. 2019

IFBA – INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA. Resolução no 12, de 15 de junho de 2018. Aprovar o Regulamento das Atividades Docentes no âmbito do IFBA. 2018a. Disponível em: https://portal.ifba.edu.br/eunapolis/textos-fixos-campus-eunapolis/resolucao-12-2018-carga-horaria-e-atividade-docente.pdf/view. Acesso em: 14 mar. 2019.

IFBA – INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA. Relatório de Gestão IFBA. 2018b. Disponível em: https://portal.ifba.edu.br/proap/transparencia-arquivos/relatorios-de-gestao-do-ifba. Acesso em: 9 mar. 2019.

FAPESP – FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados. Indicadores de ciência, tecnologia e inovação em São Paulo. São Paulo: FAPESP, 2010. Disponível em: https://fapesp.br/indicadores/2010/volume1/cap4.pdf. Acesso em: 14 mar. 2019.

FARTES, V. L. B. A cultura profissional dos grupos de pesquisa nos institutos federais: uma comunidade de práticas? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 44, n. 154. p. 850-874, out-dez. 2014.

FERREIRA, A. R. F. Valoração de propriedade intelectual para a negociação e transferência da tecnologia: um estudo aplicado sobre metodologias para a valoração de patentes – o caso NIT/IFBA. 2019. 150 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Salvador, 2019.

FERREIRA, A. G. C.; CAREGNATO, S. E. Visibilidade de revistas científicas: um estudo no Portal de Periódicos Científicos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. TransInformação, Campinas, v. 26, n. 2, p. 177-190, maio-ago. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-37862014000200007. Acesso em: 10 maio 2020.

GUIMARÃES, Y. B. T. Valoração de Patentes em Universidades Públicas do Estado de São Paulo. 2013. 152p. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2013.

IFBA – INTITUTO FEDERAL DA BAHIA. Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT). Salvador: IFBA, 2019.

LOBOSCO, A.; MORAES, M. B.; MACCARI, E. A. Uma Análise do Papel da Agência USP de Inovação na Geração de Propriedade Intelectual e nos Depósitos de Patentes da Universidade de São Paulo. In: XXVI SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Vitória, 2010. Anais [...]. Vitória, 2010. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/simposio75.pdf. Acesso em: 19 mar. 2019.

MARINHO, B. C.; CORRÊA, L. Du. P. Novo Marco Legal da Inovação no Brasil: Breve Análise dos Reflexos das Alterações na Lei n. 10.973/2004 para os Núcleos de Inovação Tecnológica. Revista de Direito, Inovação, Propriedade Intelectual e Concorrência, [s.l.], v. 2, n. 1, p. 43-58, 2016. Disponível em: https://www.indexlaw.org/index.php/revistadipic/article/view/918/912. Acesso em: 11 maio 2019.

MENEZES FILHO, N. et al. Políticas de Inovação no Brasil. Polyce Paper, São Paulo, Insper, n. 11, 2014. Disponível em: encurtador.com.br/fjpJ3. Acesso em: 18 maio 2019

MOTA, L. M.; BISPO, A. As atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação na Rede Federal: Um estudo sobre o perfil das pró-reitorias de pesquisa, pós-graduação e inovação. In: VI CONNEPI. Tocantins. 2012. Anais [...]. Tocantins, 2012. Disponível em: http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/viewFile/2256/2818. Acesso em: 20 mar. 2019.

MOTA, L. M.; CARDOSO, E. A.; SANTOS, L. S. Uma Imagem atual da atividade de pesquisa na Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica. In: V CONNEPI. Maceió, 2010. Anais [...]. Maceió, 2010. Disponível em: encurtador.com.br/oDO09. Acesso em: 20 mar. 2019.

MOTTA, E. M.; PEREIRA, J. R. D. Estudo sobre Indicadores de Produção Científica Versus Produção Tecnológica na Universidade Estadual de Maringá. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 12, n. 4, p. 795-809, dez. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i4 .327 67 p795. Acesso em: 9 maio 2020.

NASCIMENTO, A. S. et al. Pesquisa científica e a construção do conhecimento: possibilidade e prática ou utopia? Revista Evidenciação Contábil & Finanças, João Pessoa, v. 1, n. 2, p. 106-122, 2003.

PACHECO, E. M. (org.). Os Institutos Federais: uma revolução profissional e tecnológica. Brasília, DF: Fundação Santillana; São Paulo: Moderna, 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/osinstfedera.pdf. Acesso em: 18 maio 2019.

PERUCCHI, V.; GARCIA, J. C. R. Autoria da produção científica e tecnológica dos grupos de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 40 n. 2, p. 244-255, maio-ago. 2011. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1313/1491. Acesso em: 31 jan. 2020.

PIRES, E. A.; QUINTELLA, C. M. Análise da produção científica e tecnológica da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 7, n. 1, p. 51-66, jan.-mar. 2014. Disponível em: 10.9771/S.CPROSP.2014.007.006. Acesso em: 9 maio 2020

QUERIDO, A. L. S. Destino das patentes das universidades brasileiras e mapeamento das atividades dos Núcleos de Inovação Tecnológica. 2011. 120f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Vegetal da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

RAPCHAN, F. J. C. et al. Interação Universidade-Empresa: caminhos para Rede Federal De Educação Tecnológica. Revista GEINTEC, Aracaju, SE, v. 7, n. 3, p. 4.013-4.027, jul.-ago.-set. 2017. Disponível em: http://www.revistageintec.net/index.php/revista/article/view/931/819. Acesso em: 27 ago. 2019.

ROCZANSKI, C. R. M.; MELO, Pe. A. Análise da atuação dos Núcleos de Inovação Tecnológica nas universidades em Santa Catarina, à luz da lei de inovação. In: I CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO DO SETOR PÚBLICO. Florianópolis, 2017. Anais [...]. Florianópolis, 2017. Disponível em: encurtador.com.br/jzDTX. Acesso em: 14 mar. 2019.

ROSA, J. P.; ROSA, S.; ANTONIOLLI, P. D. A Estratégia da Inovação, a chave para o desenvolvimento: uma comparação entre a realidade brasileira e americana. Iberoamerican Journal of Indurstrial Engineering, Florianópolis, SC, v. 10, n.19, p. 157-176, 2018. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/IJIE/article/view/v10n1901. Acesso em: 5 mar. 2019.

SANTOS, R. T. S.; GOMES, I. M. de A. A inovação como vantagem competitiva nas empresas. In: RUSSO, S. L.; da SILVA, M. B.; dos SANTOS, V. M. L. (org.). Propriedade Intelectual e Gestão de Tecnologias. Aracaju: Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual, 2018. p. 115-127. Disponível em: http://www.api.org.br/bancodearquivos/uploads/34117-livro-propriedade-intelectual---ebook.pdf. Acesso em: 1º jun. 2019.

SANTOS, L. C. T. dos; RIMOLI, C. A. Aplicação do modelo Hélice Tripla de Inovação em redes de Pmes: o caso da vitivinicultura em Jundiaí (SP). Visão, Caçador, SC, 2016. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/visao/article/view/860. Acesso em: 21 fev. 2019.

SILVA, P. F.; MELO, S. D. G. O trabalho docente nos Institutos Federais no contexto de expansão da educação superior. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 44, e177066, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v44/1517-9702-ep-44-e177066.pdf. Acesso em: 7 ago. 2019.

SOUZA, A.; FERREIRA, A. R. Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: Oportunidades e Desafios. Salvador, 2019. Disponível em: encurtador.com.br/hlCFQ. Acesso em: 20 ago. 2019.

TIGRE, P. B. Gestão da inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

Souza, J., Souza, A. L. R., Nano, R. M. W., Silva, M. S., Araújo, M. L. V., & Miranda, M. A. S. de. (2021). Produção Científica Versus Produção Tecnológica: a trajetória do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA). Cadernos De Prospecção, 14(3), 697. https://doi.org/10.9771/cp.v14i2.35979

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento