Mapeamento de Informações Tecnológicas em Documentos de Patente: uso da borra de café na produção de biocombustíveis

Autores

  • Michelle Cristina da Silva Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
  • Cassandra Carneiro de Medeiros Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8845-0385
  • Douglas Alves Santos Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
  • Victor Pelaez Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0001-8626-1989
  • Fernanda Salvador Alves Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0003-3312-1629
  • Renato Milhomem de Oliveira Filho Instituto Federal de Ciências e Tecnologia de Goiás, Goiânia, GO, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.32839

Palavras-chave:

Biocombustíveis, Borra de café, Patentes.

Resumo

O estudo teve por objetivo mapear informações tecnológicas contidas em documentos de patente relacionadas ao aproveitamento da borra de café como matéria-prima na produção de biocombustíveis. A metodologia do trabalho consistiu na busca de documentos de patente no Derwent Innovations Index, Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e LATIPAT-ESPACENET, utilizando palavras-chave e códigos de Classificação Internacional de Patentes (IPC) e Classificação Cooperativa de Patentes (CPC), previamente identificados na revisão bibliográfica e patentária. Os resultados indicaram concentração das tecnologias na classe C10L-005 em estado sólido; revelam a Coreia do Sul, Japão e EUA como mercados em que há maior interesse comercial; sugerem que ainda não há maturidade tecnológica em âmbito industrial; e mostram que o desenvolvimento de biocombustível no Brasil tem sido impulsionado pelas políticas de governo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michelle Cristina da Silva, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil

Departamento: Administração

Área: Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação

Cassandra Carneiro de Medeiros, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil

Departamento: Administração

Área: Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação

Renato Milhomem de Oliveira Filho, Instituto Federal de Ciências e Tecnologia de Goiás, Goiânia, GO, Brasil

Electrical Engineering Department

Referências

ALMEIDA, D. T. L. de; SPAGARINO, G. Estudo da viabilidade de produção de biodiesel a partir de óleo de borra de café extraído com etanol. (Dissertação) - Universidade de São Paulo, Escola Politécnica. São Paulo, 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ – ABIC. Consumo mundial de café atinge 165 milhões de sacas no ano cafeeiro 2018-2019. Disponível em: http://abic.com.br/consumo-mundial-de-cafe-atinge-165-milhoes-de-sacas-no-ano-cafeeiro-2018-2019/. Acesso em: 22 maio 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ – ABIC. Estatísticas. Disponível em: http://abic.com.br/estatisticas/indicadores-da-industria/. Acesso em: 03 dez. 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ SOLUVEL – ABICS. Relatório Internacional de Tendências do Café, v. 6, n. 03, 2017.

BABADOBULOS, T. Fabricantes de café em cápsulas intensificaram programas de reciclagem de cápsulas nos últimos anos. Revista Veja, 17 maio 2018. Disponível em: https://veja.abril.com.br/economia/reciclagem-ainda-e-desafio-para-empresas-de-cafe-em-capsula/. Acesso: 11 out. 2019.

BRANCO, L. G. B. Biocombustíveis brasileiros e o mercado internacional: desafios e oportunidades. Revista CEJ, Brasília, Ano XIII, n. 46, p. 39-48, jul./set. 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB. Acompanhamento da safra brasileira: café. v. 5, n. 3 (2018). Brasília, 2018.

BRASIL. Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI. Patentes Verdes. Disponível em: http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/patente/patentes-verdes-v2.0. Acesso em: 30 jan. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Acordo de Paris. Disponível em: http://www.mma.gov.br/clima/convencao-das-nacoes-unidas/acordo-de-paris. Acesso em: 25 nov. 2018.

CASEIRO, C. A produção e o consumo de biocombustíveis no mundo atual: questões-chave para analisar a sua sustentabilidade. Campo território: revista de geografia agrária, v. 6, n. 12, p. 6-31, ago. 2011.

CAVALCANTI, W. M.; FERNANDES, M. A. Técnicas de uso dos resíduos sólidos de café como agregado para briquetes/péletes e compósitos de madeira. Convibra 2015 Business Conference, 2015.

CONSÓRCIO PESQUISA CAFÉ. Tendências da SIC 2018: Conheça as três principais tendências que ganharam força durante a Semana Internacional do Café de 2018 - e como elas impactam a cafeicultura. Revista Negócio Café, ano 01, n. 04.

CORRÊA, Henrique Luiz; XAVIER, Lucia Helena. Concepts, design and implementation of Reverse Logistics Systems for sustainable supply chains in Brazil. Journal of Operations and Supply Chain Management, v. 6, n. 1, p. 1-25, 2013.

CUNHA, S. et al. Experimento com abacate, borra de café, licuri e leite de coco para extração de óleo, produção de biodiesel e análise expectral. Química Nova, v. 41, n. 6, p. 691-698, 2018.

DENNY, D. M. T. Etanol aquém do Acordo de Paris. Portal Ambiente Legal, 2016.

DIAS, D.; VIAN, C. E. de F.; GRIN, D. Análises de patentes indicam novas tecnologias em biocombustíveis. Revista Visão Agrícola, n. 8, jan-jun 2009.

DURÁN, C. A. A. et al. Café: aspectos gerais e seu aproveitamento para além da bebida. Revista Virtual Química, v. 9, n. 1, p. 107-134, 2017.

DYK, J. S. V. et al. The potential of biofuels in China, China: International Energy Agency (IEA), 2016.

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. The state of agricultural commodity markets 2018. Agricultural trade, climate change and food security. Rome, 2018. 112p.

FERREIRA, P. C.; MALLIAGROS, T. G. Investimentos, fontes de financiamento e evolução do setor de infra-estrutura no Brasil: 1950-1996.

FIGINI, H. R. et al. Produção e caracterização do biodiesel obtido a partir do óleo da borra residual de café. In: XXIV Encontro de Química da Região Sul, Florianópolis, 2017.

FORSTER-CARNEIRO, T. et al. Biorefinery study of availability of agriculture residues and wastes for integrated biorefineries. Resources, Conservation and Recycling, v. 77, p. 78-88, 2013.

FUEL CELLS BULLETIN, Korean team uses coffee grounds in direct carbon fuel cell, v. 2015, Issue 9, p. 11, 2015.

JANG, H. et al. Direct power generation from waste coffee grounds in a biomass fuel cell. Journal of Power Sources, v. 296, p. 433-439, 2015.

KOIZUMI, T. The Japanese biofuel program–developments and perspectives. Journal of Cleaner Production, v. 40, p. 57-61, 2013.

KHODAKARAMI, N.; PEREZ, C. N. The Value Chain: a study of the coffee industry. Practical Guide to U. S. Transfer Pricing, by William H Byrnes, 3rd ed., LexisNexis, 2016.

KUNRATH, K., et al. Estudo preliminar de nanocompósitos de matriz epoxídica reforçada com negro de fumo. In: Anais [...] 20º Congresso brasileiro de engenharia e ciência dos materiais-CBECIMAT. 2012.

LIMA, D. O.; SOGABE, V. P.; CALARGE, T. C. C. Uma análise sobre o mercado mundial do biodiesel. In:Anais [...] XLVI Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração, Rio Branco, 2008.

LOPES, A. C. de P.; ALVES, A. L. C. O mercado cafeeiro no Brasil: um estudo sobre a influência de políticas governamentais nos produtores e exportadores de café da região da Alta Mogiana. Fórum de Administração, v. 6, n. 1, 2015.

MARICATO, J. de M.; NORONHA, D. P.; FUJINO, A. Análise bibliométrica da produção tecnológica em biodiesel: contribuições para uma política em CT&I. In: IX ENANCIB - Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 2008, São Paulo.

MASIERO, G. Ethanol and Biodiesel: The role of Brazil and South Korea in the emerging alternative energy market. Academic Paper Series, v. 3, n. 10, Dec. 2008.

MATSUMOTO, N.; SANO, D.; ELDER, M. Biofuel initiatives in Japan: strategies, policies, and future potential. Applied Energy, v. 86, p. S69-S76, 2009.

MELO, M. C. de R. e. Políticas públicas brasileiras de biocombustíveis: estudo comparativo entre os programas de incentivos à produção, com ênfase em etanol e biodiesel. 2018. 86f. Dissertação (mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Biocombustíveis, Universidade Federal de Uberlândia.

MENDES, A. P. do A.; COSTA, R. C. da. Mercado brasileiro de biodiesel e perspectivas futuras. In: BNDES Setorial, n. 31, p. 253-279, mar. 2010.

MUSSATO, S. I.; MACHADO, E. M. S.; MARTINS, S.; TEIXEIRA, J. A. Production, composition, and application of coffee and its industrial residues. Food Bioprocess Technol, n. 4, p. 661–672, 2011.

PAGE, J. C.; ARRUDA, N. P.; FREITAS, S. P. Crude ethanolic extract from spent coffee grounds: Volatile and functional properties. Waste Management (2017).

PONCIANO, N. J. Segmento exportador da cadeia agroindustrial do café brasileiro. 1995. 138 f. Dissertação (Mestrado em Economia Rural) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1995.

PRIMAZ, C. T. Valorização de resíduos agroindustriais de café e algodão para produção de bio-óleo e biochar. 2018. 235 f. Tese (Doutorado em Ciências dos Materiais) - Instituto de Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018.

QIU, H. et al. Liquid biofuels in China: current status, government policies, and future opportunities and challenges. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 16, n. 5, p. 3.095-3.104, 2012.

ROITMAN, T. Programas internacionais de incentivo aos biocombustíveis e o RenovaBio. Boletim de Conjuntura do Setor Energético – Março/2019. FGV, Rio de Janeiro, 2019.

SALLET, C. L.; ALVIM, A. M. Biocombustíveis: uma análise da evolução do biodiesel no Brasil. Economia & Tecnologia, ano 07, v. 25, abr./jun. 2011.

SANTOS, J. N.; HARAGUCHI, D. M. Obtenção do biodiesel a partir de resíduos de café. In: Anais [...] XIX Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Mogi das Cruzes. Mogi das Cruzes, 2016.

SILVA, E. M. de P. e; SAKATSUME, F. A política brasileira de biocombustíveis. In: Workshop A expansão da agroenergia e seus impactos sobre os ecossistemas brasileiros. Rio de Janeiro, 2007.

SILVA, V. Valorização de cápsulas de café e produção de biocombustíveis. 2011. 237 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) – Instituto Superior de Engenharia do Porto, Porto, 2011.

SU, Y.; ZHANG, P.; SU, Y. An overview of biofuels policies and industrialization in the major biofuel producing countries. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 50, p. 991-1003, 2015.

SUAREZ, P. A. Z; MENEGHETTI, S. M. P. Assuntos Gerais. 70º aniversário do biodiesel em 2007: evolução histórica e situação atual no brasil. Química Nova, v. 30, n. 8, p. 2068-2071, 2007.

TÁVORA, F. L. História e economia dos biocombustíveis no Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 2011.

TEIXEIRA, M. V. et al. Avaliação da gestão dos resíduos em unidades básicas de saúde de um município sul-brasileiro. Revista de Pesquisa: cuidado é fundamental online, v. 10, n. 3, p. 824-831, 2018.

THODE FILHO, S. et al. A logística reversa e a política nacional de resíduos sólidos: desafios para a realidade brasileira. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 19, n. 3, p. 529-538, 2015.

VEGRO, C. L. R.; CARVALHO, F. C. Disponibilidade e utilização de resíduos gerados no processamento agroindustrial do café. Informações Econômicas, v. 24, p. 9-16, 2006.

ZUCATTO, L. C.; WELLW, I.; SILVA, T. Cadeia reversa do óleo de cozinha: coordenação, estrutura e aspectos relacionais. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 5, p. 442-453, 2018.

Downloads

Publicado

2019-12-30

Como Citar

Silva, M. C. da, Medeiros, C. C. de, Santos, D. A., Pelaez, V., Alves, F. S., & Oliveira Filho, R. M. de . (2019). Mapeamento de Informações Tecnológicas em Documentos de Patente: uso da borra de café na produção de biocombustíveis. Cadernos De Prospecção, 12(5), 1402. https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.32839

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos