Registros de Marcas dos Clubes de Futebol Brasileiros: análise dos registros de marcas depositados no Brasil

Autores

  • Andreia Rodrigues Ferreira Baro UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ - FAL DEPARTAMENTO DE DIREITO http://orcid.org/0000-0002-7592-0800
  • Carlos Henrique Calixto Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA - PROFNIT http://orcid.org/0000-0001-5127-3381
  • Tatiane Luciano Balliano UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE QUÍMICA E BIOTECNOLOGIA http://orcid.org/0000-0002-2639-4592
  • Victor Xavier Brito UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Programa de Pós-Graduação em Física. http://orcid.org/0000-0002-6193-4048

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v13i5.32769

Palavras-chave:

Marketing Esportivo. Prospecção. Registro de Marcas.

Resumo

O presente artigo tem como finalidade analisar o comportamento dos clubes de futebol que disputam os principais campeonatos de futebol no Brasil no que se refere à proteção de seus símbolos distintivos, sob forma de registro de marca junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O registro de marcas no Brasil é garantido pela na Lei n. 9.279, de 14 de maio de 1996, chamada de Lei de Propriedade Industrial que dá respaldo legal aos clubes de futebol para que possam proteger os seus símbolos distintivos, contribuindo para a gestão estratégica de marca dos clubes. A proteção da marca garante aos clubes a possibilidade de firmar contratos de licenciamento, cessão e uso das marcas dentro da legalidade, contribuindo para o desenvolvimento dos clubes e de suas estratégias mercadológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Calixto Santos, UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA - PROFNIT

PROFNIT - Adminstração

Referências

AAKER, J. L. Dimensions of Brand Personality. Journal of Marketing Research, [S.l.], v. 34, n. 3, 1997. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/002224379703400304. Acesso em: 14 jun. 2019.

BARO, Andreia. R. F; AMORIM, J. F. O. Propriedade Industrial em Alagoas: uma Análise dos Depósitos de Marcas em Alagoas. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 12, n. 1, p. 204-218, março, 2019. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/nit/article/view/27280/16973. Acesso em: 28 abr. 2019.

BRASIL. Decreto-Lei n. 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Brasília, DF, 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1937-1946/Del3199.htm. Acesso em: 30 jun. 2019.

BRASIL. Lei n. 8.672, de 6 de julho de 1993. Institui normas gerais sobre desportos e dá outras providências. Brasília, DF, 1993. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8672.htm. Acesso em: 30 jun. 2019.

BRASIL. Lei n. 9.615, de 24 de março de 1998. Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9615consol.htm Acesso em: 30 jun. 2019.

BRASIL. Lei n. 10.672, de 15 de maio de 2003. Altera dispositivos da Lei n. 9.615, de 24 de março de 1998, e dá outras providências. Brasília, 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.672.htm. Acesso em: 30 jun. 2019.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. 2019. Disponível em: http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/marcas/arquivos/inpi-marcas_-marcas-de-alto-renome-em-vigencia_-12-02-2019_padrao.pdf/view. Acesso em: 20 jul. 2019.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Manual de Marcas. 2. ed. [S.l.]: INPI, 2017. Disponível em: http://manualdemarcas.inpi.gov.br/projects/manual-de-marcas-2-edicao-1-revisao/wiki/Manual_de_Marcas Acesso em: 30 jun. 2019.

LANNA, Giovani Blasi Martino et al. Reconhecimento das marcas patrocinadoras dos times de futebol brasileiro. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, São Paulo, v. 9, n. 32, p. 32-36. jan./fev./mar./abril. 2017. ISSN 1984-4956. Disponível em: http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/issue/view/34 Acesso em: 14 jun. 2019.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. São Paulo: Bookman, 2010.

POZZI, Luis Fernando. Os riscos do Marketing Esportivo. RAE – Revista de Administração de Empresas, EAESP, FGV, São Paulo, v. 7 n. 4 p. 4-5, out.-dez. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v40n4/v40n4a13.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

ROCHA, Cláudio M.; BASTOS, Flávia da Cunha. Gestão do Esporte: definindo a área. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v. 25, Edição Especial, p. 91-103, dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbefe/v25nspe/10.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Baro, A. R. F., Santos, C. H. C., Balliano, T. L., & Brito, V. X. (2020). Registros de Marcas dos Clubes de Futebol Brasileiros: análise dos registros de marcas depositados no Brasil. Cadernos De Prospecção, 13(5), 1464. https://doi.org/10.9771/cp.v13i5.32769

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos