Estudo Prospectivo sobre Preparações Medicinais do Chá Verde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v13i2.29340

Palavras-chave:

Camellia Sinensis, preparações medicinais, propriedade terapêutica

Resumo

O chá verde é considerado a segunda bebida mais popular e saudável desde a Antiguidade, perdendo apenas para a água. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo realizar uma prospecção tecnológica sobre as patentes que abordam as propriedades terapêuticas do chá verde para a saúde humana. As buscas foram realizadas por meio das bases de dados de patentes, Espacenet, INPI e Patentscope, em junho de 2018, com a palavra green tea e o código A61K36/82. Quanto ao número de depósitos de patentes por ano, é possível notar um aumento (mesmo com algumas oscilações) desse número ao longo dos anos. A Coreia do Sul, os EUA e a China são os países com maior número de patentes. Em relação às aplicações terapêuticas das patentes desenvolvidas do chá verde, nota-se que o tratamento dermatológico é o que mais se destaca, seguido do tratamento para excesso de peso e tratamento de doenças metabólicas.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariane dos Santos Gonçalves, Univerdidade Federal da Bahia

Nutricionista graduada pela Universidade Federal da Bahia e mestranda em Ciência de Alimentos pela mesma instituição. Possui atuação como pesquisadora no Grupo Nutrição, Sistema Nervoso e Imunológico do laboratório de nutrição experimental da Escola de Nutrição na Universidade Federal da Bahia, com foco nos temas: Programação metabólica,dieta hiperlipídica, gestação e lactação. Já atuou em pesquisa com Biologia Molecular e epidemiologia e sendo bolsista do programa de iniciação científica por 3 anos (PIBIC/FAPESB)

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1530368194035622
ID Lattes: 1530368194035622 

Ana Paula Azevedo Macêdo, Universidade Federal da Bahia

Nutricionista graduada pela Universidade Federal da Bahia. Mestranda em Ciência de Alimentos pela Universidade Federal da Bahia. Atua como pesquisadora voluntária no Grupo de pesquisa Nutrição, Sistema Nervoso e Imunológico do laboratório de nutrição experimental da Escola de Nutrição na Universidade Federal da Bahia, com foco nos temas: programação metabólica, plasticidade fenotípica e dieta hiperlipídica. Foi bolsista do programa de iniciação científica (PIBIC) durante três anos. Além disso, possui experiência na área de nutrição clínica e esportiva através de atendimento ambulatorial.

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7353664905550374
ID Lattes: 7353664905550374

Janice Druzian Izabel, Universidade Federal da Bahia

Janice Izabel Druzian
Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Federal de Santa Maria (1984), mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (1988) e doutorado em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é professor Associado IV da Universidade Federal da Bahia, docente permanente e vice-coordenadora do curso de Mestrado em Ciência de Alimentos da FAR/UFBA, docente permanente do Doutorado de Engenharia Química da UFBA e do RENORBIO.

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6698870294710432
ID Lattes: 6698870294710432

Ricardo David Couto, Universidade Federal da Bahia

Graduado em Farmácia (1998), Habilitação em Farmácia-Bioquímica, Análises Clínicas e Saúde Pública (2000), UFBA; Fez Mestrado e Doutorado em Farmácia (Análises Clínicas), USP/SP (2000 - 2005). Fez Pós-doutorado nos laboratórios de Patologia e Bio-Intervenção (LPBI) e Engenharia de Tecidos e Imunofarmacologia (LETI) FIOCRUZ-BA (2007-2008). Atualmente é Professor Associado III da UFBA. Tem experiência na área de Diagnóstico Laboratorial de Doenças, com ênfase em validação e desenvolvimento de testes diagnósticos, lipoproteínas, aterosclerose humana e experimental; atua também em pesquisas com avaliação sobre risco químico-ambiental, alimentar e humano. Atualmente é Docente dos Programas de Pós-graduação: Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa - PgBSMI-FIOCRUZ-BA (Colaborador; CAPES Nível 6); do Programa de Pós-graduação em Farmácia (Permanente, PPGFAR; CAPES, Nível 4) ? Pesquisador da Área Diagnóstico Laboratorial de Doenças, e do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Alimentos (Permanente, PGALI, CAPES, Nível 4), ambos da Faculdade de Farmácia da UFBA; é orientador de Mestrado e Doutorado nos referidos Programas.

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9320666442334093
ID Lattes: 9320666442334093

Jairza Maria Barreto Medeiros, Universidade Federal da Bahia

possui graduação em Nutricao pela Universidade Federal da Bahia (1993), mestrado em Nutrição pela Universidade Federal de Pernambuco (1998) e doutorado em Nutrição pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Professora associada III da Universidade Federal da Bahia, atuou como vice chefe do Departamento Ciências da Nutrição da UFBA (2007-2008) e como coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Alimentos, Nutrição e Saude da UFBA (2009-2010). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Nutrição, Sistema Nervoso e Imunológico. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutricao Clínica e Experimental, atuando principalmente nos seguintes temas: programação metabólica, serotonina, desnutrição, desenvolvimento , consumo alimentar e avaliação nutricional
Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6674302443921098
ID Lattes: 6674302443921098

Referências

AMPARO, K. K. S.; RIBEIRO, M. C. O.; GUARIEIRO, L. L. N. Estudo de caso utilizando mapeamento de prospecção tecnológica como principal ferramenta de busca científica. Perspectivas em Ciência da Informação, [S.l.], v. 17, n. 4, p. 195-209, 2012.

BARBOSA, E. M. A. O. et al. Análise dos Pedidos de Patentes Recentes Envolvendo Chá Verde e suas Propriedades. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 11, n. 2, p. 559, 2018.

BESSA, N. G. F. et al. Prospecção fitoquímica preliminar de plantas nativas do cerrado de uso popular medicinal pela comunidade rural do assentamento vale verde–Tocantins. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, [S.l.], v. 15, n. 4, p. 692-707, 2013.

BUTT, M. S. et al. Green tea and anticancer perspectives: updates from last decade. Critical Reviews in Food Science And Nutrition, [S.l.], v. 55, n. 6, p. 792-805, 2015.

DEKANT, W. et al. Safety assessment of green tea based beverages and dried green tea extracts as nutritional supplements. Toxicology Letters, [S.l.], v. 277, p. 104-108, 2017.

GARNICA, L. A.; OLIVEIRA, R. M.; TORKOMIAN, A. L. V. Propriedade intelectual e titularidade de patentes universitárias: um estudo piloto na Universidade Federal de São Carlos-UFSCar. In: XXIV SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 2006. Anais [...], 2006.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Classificação Internacional de Patentes. 2018. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/assuntos/patentes/classificacao-de-patentes. Acesso em: 2 dez. 2018.

LAMARÃO, R. C.; FIALHO, E. Aspectos funcionais das catequinas do chá verde no metabolismo celular e sua relação com a redução da gordura corporal. Revista de Nutrição, [S.l.], 2009.

LIMA, J. D. et al. Tea: aspects related to the quality and prospects. Ciência Rural, [S.l.], v. 39, n. 4, p. 1.258-1.266, 2009.

MANFREDINI, V.; MARTINS, V. D.; BENFATO, M. S. Chá verde: benefícios para a saúde humana. Infarma – Ciências Farmacêuticas, [S.l.], v. 16, n. 9/10, p. 68-70, 2013.

MELO, M. E. Doenças Desencadeadas ou Agravadas pela Obesidade. Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO), São Paulo (SP); 2011.

MIYAZAKI, S. F. Utilização do chá verde em cosméticos. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 1, n. 1, p. 10-13, 2009.

MOMOSE, Y.; MAEDA-YAMAMOTO, M.; NABETANI, H. Systematic review of green tea epigallocatechin gallate in reducing low-density lipoprotein cholesterol levels of humans. International Journal of Food Sciences and Nutrition, [S.l.], v. 67, n. 6, p. 606-613, 2016.

PARK, H. J. et al. Green tea extract attenuates hepatic steatosis by decreasing adipose lipogenesis and enhancing hepatic antioxidant defenses in ob/ob mice. The Journal of Nutritional Biochemistry, [S.l.], v. 22, n. 4, p. 393-400, 2011.

SAEED, M. et al. Green tea (Camellia sinensis) and L-theanine: Medicinal values and beneficial applications in humans – a comprehensive review. Biomedicine & Pharmacotherapy, [S.l.], v. 95, p. 1.260-1.275, 2017.

SANTOS, U. et al. Avaliação de potencial de ervas medicinais: Capim-limão (Cymbopogon citratus dc), Chá verde (Camellia sinensis l.) E hibisco (Hibiscus sabdariffa l.) Para obtenção de chás solúveis. Revista GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, [S.l.], v. 4, n. 4, p. 1.399-1.408, 2014.

SENGER, A. E. V.; SCHWANKE, C. H. A.; GOTTLIEB, M. G. V. Chá verde (Camellia sinensis) e suas propriedades funcionais nas doenças crônicas não transmissíveis. Scientia Medica, [S.l.], v. 20, n. 4, p. 292-300, 2010.

STICKEL, F. et al. Review of liver injury associated with dietary supplements. Liver international, [S.l.], v. 31, n. 5, p. 595-605, 2011.

SUH, J.; MACPHERSON, A. The impact of geographical indication on the revitalisation of a regional economy: a case study of ‘Boseong’green tea. Area, [S.l.], v. 39, n. 4, p. 518-527, 2007.

VÁZQUEZ, L. C et al. Effects of green tea and its epigallocatechin (EGCG) content on body weight and fat mass in humans: a systematic review. Nutricion hospitalaria, [S.l.], v. 34, n. 3, p. 731-737, 2017.

Downloads

Publicado

2020-05-29

Como Citar

Gonçalves, M. dos S., Macêdo, A. P. A., Izabel, J. D., Couto, R. D., & Medeiros, J. M. B. (2020). Estudo Prospectivo sobre Preparações Medicinais do Chá Verde. Cadernos De Prospecção, 13(3), 823. https://doi.org/10.9771/cp.v13i2.29340

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos