Estudo Prospectivo Relativo ao Uso do Fruto Coco como Matéria-prima para Fabricação de Cosméticos

Autores

  • Isabella Sampaio Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • Solange Ferreira Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • Paulo Juiz Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i2.27238

Palavras-chave:

Coco, Prospecção, Cosméticos.

Resumo

O coco é considerado um fruto de grande importância socioeconômica, com multifuncionalidade, pois é fonte de matéria-prima para diversos ramos industriais, como agroindústrias, têxteis, cosméticos e farmacêuticos. Apesar do potencial aproveitamento do fruto como um todo, seu uso está mais concentrado na área alimentícia. Assim, este estudo teve como objetivo realizar um levantamento de informações sobre patentes relacionadas ao uso do coco como matéria-prima para fabricação de cosméticos. Utilizando o software de busca de patentes Orbit Intelligence, percebeu-se que países asiáticos lideram o ranking de investimentos nessa área e que apesar de o Brasil ser considerado um grande produtor de coco, e também possuir uma área geográfica adequada, ainda precisa de grandes investimentos para implementar produção direcionada à área de cosméticos.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Sampaio, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Isabella Sampaio é mestranda em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação PROFNIT/UFBA, bacharel em Relações Internacionais pelas Faculdades Integradas da Bahia FIB (2004) e em Administração pela UNIFACS (2017.2); Participante do grupo de pesquisa NPAI - Núcleo de Pesquisa Aplicada e Inovação - UNEB. Especialista em Política e Economia Internacional pelo Centro Universitário da Bahia - FIB (2005) e em Planejamento Estratégico pela Universidade Estadual da Bahia - UNEB (2006). Possui pós graduação em Educação a Distância: Gestão e Tutoria, pelo Centro Universitário Leonardo Da Vinci. Realizou o curso de Metodologia do Ensino Superior e Técnica de Ensino pela Faculdade Visconde de Cairu (2008). Atualmente, é presidente da Associação Amigos da Vida (Organização sem fins lucrativos sediada no município de Lauro de Freitas), onde exerce trabalho voluntário desde 2005. É sócia proprietária da empresa Notável professora e coordenadora de cursos na empresa Vilastech Informática. 

Solange Ferreira, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Graduada em Economia pela Faculdade Católica de Ciências Econômicas da Bahia (1993), MBA Executivo em Marketing Estratégico pela Faculdade de Ciências Gerencias da Bahia/ Centro Interamericano de Desenvolvimento (CENID/ Business School). Mestrado ProfissionaL em andamento em Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT/ UFBA. Atuou como Coordenadora de Unidades Operacionais do SESI /DR/BA, na Gerência de Suprimentos do Sistema FIEB na área de Licitações. Supervisora de Processo Administrativo do Centro de Tecnologia Industrial Pedro Ribeiro - CETIND e em outras Unidades do SENAI/BA e como Analista Adm no SENAI/CETIQT (RJ) na Coordenação de Eng. Química.Atuou na Diretoria Geral da Rede UNIRB na Regulação de Cursos Superiores. Possui experiência nas áreas de Administração (Financeira, Suprimentos, Licitações, Orçamento e Planejamento), Relacionamento com o Mercado e Gestão da Informação, Regulação de Cursos Superiores.

Paulo Juiz, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Pós-doutorado em Farmácia -UFBA . Doutorado em biotecnologia (UEFS/FIOCRUZ-BA). Doutorado sanduíche pela Università Degli Studi di Ferrara - Itália.Possui mestrado em Imunologia pela Universidade Federal da Bahia. Especialização em Biologia molecular aplicada a medicina forense (UNEB), Especialização em microbiologia (UFBA). Atualmente é docente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Professor do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação. Membro da Sociedade Brasileira de Microbiologia. Membro da Sociedade Brasileira de Farmacognosia. Coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres humanos da UFRB. Gestor da Coordenação de Criação e Inovação da UFRB. Representante Legal da UFRB na Associação Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (FORTEC)

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS (ABIHPEC). Panorama do Setor: higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. Relatórios (2008 a 2012). São Paulo: ABIHPEC, 2012.

______. Caderno de Tendências 2014–2015. 2014–2015. Disponível em: <https://abihpec.org.br/publicacao/caderno-de-tendencias-2014-2015>. Acesso em: ago. 2018.

BRAINER, Simone. Banco do Nordeste. A adaptação do Nordeste ao cenário de modernização da cocoicultura brasileira. Caderno Setorial Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste – ETENE, [S.l.], Ano 2, n. 18, out. 2017. Disponível em: <https://www.bnb.gov.br/documents/80223/2666752/18_coco_V4.pdf/93f42437-8108-ebc6-0f78-0cd8f41957b0>. Acesso em: jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Dispõe sobre regulação de direitos e obrigações relativos à Propriedade Industrial. Brasília, DF, 14 de maio de 1996. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/tecnologia-agropecuaria/arquivos-de-legislacoes-de-tecnologias/lei-no-9-279-de-14-de-maio-de-1996.pdf/view>. Acesso em: jun. 2018.

CASTRO, A. L. Indústria da beleza: uma abordagem sócio-antropológica do culto ao corpo na cultura contemporânea. Latitude, Alagoas, v. 4, n. 1, p. 54–73, 2010.

COSTA, H. K. S., LIMA, L.C.P. Fibra de Coco: estudo exploratório sobre registro de patentes. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 11, Edição Especial, p. 387–398, abr./jun. 2018.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Texto para discussão 2130: ambiente de negócios, investimentos e produtividade. Rio de Janeiro: IPEA, 2015.

LASZLO, Fabian. A importância do óleo de coco, ácido láurico. 2017. Disponível em: <http://www.toqueativo.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=225&Itemid=135> Acesso em: jun. 2018.

MARTINS, C. R.; JESUS JR., L. A. Evolução da produção de coco no Brasil e o comércio internacional. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Documentos 164. Disponível em: <http://www.cpatc.embrapa.br/publicacoes_2011/doc_164.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA PROPRIEDADE INTELECTUAL (OMPI). Relatório de Indicadores Mundiais de Propriedade Intelectual (2017). 2017. Disponível em: <http://www.wipo.int/edocs/pubdocs/en/wipo_pub_941_2017.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

ORBIT INTELLIGENCE. Disponível em: <https://www32.orbit.com/>. Acesso em: jun. 2018.

NEVES, K. Nanotecnologia em cosméticos. Cosmetics & Toiletries, EUA, v. 20, jan./fev., p. 22, 2008.

PATENTS ONLINE. Disponível em: <http://www.freepatentsonline.com>. Acesso em: jun. 2018.

PERIÓDICOS CAPES. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.gov.br/>. Acesso em: jun. 2018.

FARMACEUTICAS. O óleo de coco e suas propriedades. 2018. Disponível em: <http://www.farmaceuticas.com.br/oleo-de-coco-e-suas-propriedades>. Acesso em: jun. 2018.

REVISTA COSMETIC INNOVATION. 2018. Crescimento dos cosméticos naturais, orgânicos, veganos e éticos é tendência irreversível. Disponível em: <http://www.cosmeticinnovation.com.br/crescimento-dos-cosmeticos-naturais-organicos-veganos-e-eticos-e-tendencia-irreversivel>. Acesso em: jun. 2018.

REVISTA VEJA. Brasil perde posição no consumo de cosmético, mas setor avança. 2018. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/economia/brasil-perde-posicao-no-consumo-de-cosmetico-mas-setor-avanca/>. Acesso em: jun. 2018.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Potenciais negócios do coco verde. 2018. Disponível em: <http://www.sebraemercados.com.br/potenciais-negocios-do-coco-verde>. Acesso em: jun. 2018.

______. O cultivo e o mercado do coco. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/o-cultivo-e-o-mercado-do-coco-verde,3aba9e665b182410VgnVCM100000b272010aRCRD. Acesso em 22 jun. 2018.

_____. Crescimento dos cosméticos naturais orgânicos veganos e éticos e tendência irreversível. Disponível em:

https://www.cosmeticinnovation.com.br/crescimento-dos-cosmeticos-naturais-organicos-veganos-e-eticos-e-tendencia-irreversivel/. Acesso em 24 de jun.2018.

TOMMASI, A. C. et al. Prospecção tecnológica sobre a utilização de óleo de coco para produção de biodiesel. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 7, n. 1, p. 107–116, jan./mar. 2014.

Downloads

Publicado

2019-06-18

Como Citar

Sampaio, I., Ferreira, S., & Juiz, P. (2019). Estudo Prospectivo Relativo ao Uso do Fruto Coco como Matéria-prima para Fabricação de Cosméticos. Cadernos De Prospecção, 12(2), 314. https://doi.org/10.9771/cp.v12i2.27238

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos