Atitudes, Habilidades e Aspirações no Ecossistema de Empreendedorismo da América Latina

Autores

  • Diego Araujo Reis Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil
  • Iracema Aragão Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27192

Palavras-chave:

Global Entrepreneurship Index, Atitudes, Habilidades, Aspirações, Ecossistema de Empreendedorismo latino-americano.

Resumo

O debate acerca do ecossistema de empreendedorismo vem sendo intensificado em vários países, inclusive nos países latino-americanos. A identificação dos principais gargalos, a partir dos índices que mensuram o ecossistema empreendedor inovador, oportuniza aos países estabelecerem políticas específicas para o fomento e fortalecimento de seus ecossistemas. Este trabalho tem como objetivo analisar a relação entre as atitudes, as habilidades e as aspirações empreendedoras na América Latina, de 2014 a 2018. Os dados foram obtidos nos relatórios do Global Entrepreneurship Index (GEI) e no Banco Mundial. Também foram aplicados métodos estatísticos de correlação e teste de correlacionamento. Em síntese, é possível identificar a presença de uma relação significativa e positiva entre atitudes, habilidades e aspirações no ecossistema de empreendedorismo latino-americano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Araujo Reis, Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Propriedade Intelectual (PPGPI). Mestre em Desenvolvimento Regional e Gestão de Empreendimentos Locais pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Atuou como Técnico de Pesquisa vinculado ao Programa de Educação Ambiental com Comunidades Costeiras (PEAC – PETROBRAS UN-SE/AL), na elaboração do Diagnóstico Socioeconômico, Ambiental dos Municípios de Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu. Trabalhou como Consultor de Inovação na Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) no projeto Mobilização Empresarial pela Inovação.

Iracema Aragão, Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Propriedade Intelectual (PPGPI) da UFS.

Referências

ACS, Z. J.; SZERB, L. The Global Entrepreneurship Index (GEINDEX). Foundations and Trends in Entrepreneurship, Boston, v. 5, n. 5, p. 341–435, 2009.

ACS, Z. J.; SZERB, L.; AUTIO, E. Global Entrepreneurship Index. Cheltenham, UK: Edward Elgar, 2013.

______. National Systems of Entrepreneurship: Measurement and Policy. Research Policy, [S.l.], ed. 3, v. 43, p. 476–494, 2014.

BIFF, M. et al. Empreendedorismo e inovação: o perfil da América Latina. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales, [S.l.] abr./jun. 2017.

BUSSO, M.; MADRIGAL, L.; PAGÉS-SERRA, C. Productivity and Resource Misallocation in Latin America. The BE Journal of Macroeconomics, De Gruyter, v. 13, n. 1, p. 1–30, 2012.

CANTILLON, R. Essay on the nature of commerce in general. New Brunswick: Transaction Publishers, [1755] 2001.

DEGEN, R. J. O Empreendedor: empreender como opção de carreira. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

FARAH, O. E.; CAVALCANTI, M.; MARCONDES, L. P. Empreendedorismo estratégico: criação e gestão de pequenas empresas. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

FILION, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 5–28, 1999.

Global Entrepreneurship Index (GEI). The Global Entrepreneurship Index, Global Entrepreneurship and Development Institute (GEDI) and Global Entrepreneurship Network (GEN). Washington, D.C., 2015.

______. The Global Entrepreneurship Index, Global Entrepreneurship and Development Institute (GEDI) and Global Entrepreneurship Network (GEN). Washington, D.C., 2017.

INÁCIO JÚNIOR, E. et al. Analysis of the Brazilian Entrepreneurial Ecosystem. Desenvolvimento em Questão, [S.l.], v. 14, p 5–36, 2016.

LEDERMAN, D. et al. Latin American Entrepreneurs: many firms but little innovation. Washington: World Bank, 2014.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Defining entrepreneurial activity: definitions supporting frameworks for data collection. Paris, 2008. 1–19. OCDE Statistics Working Paper.

RAMOS, F. P. O ecossistema empreendedor na América Latina: análise comparativa entre o Índice Global de Empreendedorismo 2015 (GEI) e o Índice de Condições Sistêmicas para o Empreendedorismo Dinâmico. 2016. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Gestão de Comércio Internacional) – Faculdade de Ciências Aplicadas. Universidade Estadual de Campinas, Limeira, 2016.

SAY, J. B. Traité d’economie politique ou simple exposition de la manière dont se forment, se distribuent, et se consomment les richesses. Paris, Deterville, 1803.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SZERB, L. A vállalkozói ökoszisztéma Magyarországon a 2010-es években – helyzetértékelés és szakpolitikai javaslatok. Vezetéstudomány/Budapest Management Review, [S.l.], v. 48, n. 6–7, p 2–14, 2017.

SZERB, L.; KOMLÓSI, E.; PÁGER, B. Measuring entrepreneurship and optimizing entrepreneurship policy efforts in the European union. Ifo institute for Economic Research. CESifo DICE Report, [S.l.], v. 14, n. 3, p 8–23, 2016.

Downloads

Publicado

2018-12-10

Como Citar

Reis, D. A., & Aragão, I. (2018). Atitudes, Habilidades e Aspirações no Ecossistema de Empreendedorismo da América Latina. Cadernos De Prospecção, 11(5), 1393. https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27192

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento