Indicadores‌ ‌Nacionais‌ ‌e‌ ‌Internacionais‌ ‌de‌ ‌Ciência,‌ ‌Tecnologia‌ ‌&‌ ‌Inovação‌

Autores

  • Valéria Melo Mendonça Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil
  • Mário Jorge Campos dos Santos Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil
  • Renata Silva-Mann Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil
  • Marta Jeidjane Borges Ribeiro Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil
  • Patrícia Brandão Barbosa da Silva Universidade Federal de Sergipe, Aracajú, SE, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27178

Palavras-chave:

Produção científica, Ranking tecnológico, Competitividade.

Resumo

Os indicadores de ciência, tecnologia e inovação são dados estatísticos utilizados na elaboração de panoramas, cenários, e tendências sobre o avanço científico e tecnológico de uma dada temática, e são muito úteis para subsidiar a tomada de decisão e o planejamento de políticas públicas. A pesquisa visa a descrever estes indicadores no âmbito nacional e internacional. Trata-se de uma revisão bibliográfica e levantamento descritivo sobre os principais indicadores brasileiros do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico obtidos no portal e relatórios desses órgãos. Esses indicadores diferem na forma de apresentação das dimensões dificultando as análises. Portanto, os indicadores nacionais precisam se adequar aos padrões internacionais para que o Brasil apresente uma melhor posição no ranking mundial de ciência e competitividade no mercado internacional, e demonstrar que o desempenho do País na área da inovação tecnológica não condiz com a sua potencialidade científica.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, E. M. Patentes domésticas: avaliando estatísticas internacionais para localizar o caso brasileiro. Ensaios FEE, Porto Alegre, vol. 21, n.1, p. 119–143, 2000.

BARBOSA, E. B.; PIMENTA, H. F.; CASTRO, A. P. Indicadores de sustentabilidade e sua dimensão ambiental: ESI, EPI, LPI, Pegada Ecológica, BIP 2020. Revista Desarrollo Local Sostenible (DELOS), Madri, v. l6, n. 18, p. 1–9, 2013.

BARROSO, W. B. G. et al. Analysis of .a database of public domain Brazilian patent documents based on the IPC. World Patent Information, [S.l.], v. 25, p. 63–69, 2003.

BORGES, C. B.; SANTOS, V. J. B.; GALINA, S. V. R. Internacionalização da P&D – um estudo comparativo entre Brasil, China e Índia. In: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (ANPAD), XXV., Brasília, DF, 22 a 24 de outubro de 2018. Disponível em: <http://www.anpad.org.br/admin/pdf/Simposio350.pdf>. Acesso em: 4 maio 2018.

BRASIL. Lei nº 13.341, de 29 de setembro de 2016. Altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, que dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios, e 11.890, de 24 de dezembro de 2008, e revoga a Medida Provisória no 717, de 16 de março de 2016. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13341.htm>. Acesso em: 1º maio 2018.

______. Portaria MCTIC nº 7.204, de 13 de dezembro de 2017. Aprova o Planejamento Estratégico do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para o período de 2018 a 2022, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.mctic.gov.br/mctic/opencms/legislacao/portarias/Portaria_MCTIC_n_7204_de_13122017.html>. Acesso em: 2 maio 2018.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES (MCTIC). Indicadores Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação. Brasília, DF: MCTIC, 2017. p. 148. Disponível em: <http://www.mctic.gov.br/mctic/opencms/indicadores/index.html>. Acesso em: 5 jun. 2018.

CARDOSO, O. N. P.; MACHADO, R. T. M. Gestão do conhecimento usando data mining: estudo de caso na Universidade Federal de Lavras. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 495–528, jun. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122008000300004>. Acesso em: 21 jul. 2018.

CAVALCANTE, L. R.; DE NEGRI, F. Trajetória recente dos indicadores de inovação no Brasil. Texto para Discussão. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Brasília, DF, n. 1659, p. 1–32, set. 2011.

CRUZ, C. A. B. et al. A inovação como instrumento de desenvolvimento científico e tecnológico: uma análise através de indicadores. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 10, n. 3 p. 393–404, jul./set. 2017.

FARIA, L. I. L.; BESSI, N. C.; MILANEZ, D. H. Indicadores tecnológicos: estratégia de busca de documentos de patentes relacionados à instrumentação aplicada ao agronegócio. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, DF, v. 31, n. 1, p. 119–144, jan./abr. 2014.

FIGUEIREDO, P. N. Acumulação tecnológica e inovação industrial: conceitos, mensuração e evidências no Brasil. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 54–69, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392005000100005>. Acesso em: 10 jul. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Perguntas frequentes –Patente. Portal virtual. 2017. Disponível em:

<http://www.inpi.gov.br/servicos/perguntas-frequentes-paginas-internas/perguntas-frequentes-patente#tipos>. Acesso em: 5 jun. 2018.

LOPES, S. P. M. O impacto da informação de Patentes no Processo de Inovação em Portugal. 2012. 437 f. Tese (Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais) – Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, Faculdade de Letras. Porto, 2012.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES (MCTIC). Plano de CT&I para Manufatura Avançada no Brasil. Cartilha, Brasília, DF, dez. 2017. p. 1–68. Disponível em: <http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/tecnologias_convergentes/arquivos/Cartilha-Plano-de-CTI_WEB.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2018.

OLIVEIRA JR., Osvaldo N. Research Landscape in Brazil: Challenges and Opportunities. The Journal of Physical Chemistry, Washington, v. 120, n. 10, p. 5273−5276, 2016.

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Manual de Oslo, proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica. Tradução de Paulo Garchet, sob a responsabilidade da FINEP Financiadora de Estudos e Projetos, 2004 = The Measurement of Scientific and Technological Activities. Proposed Guidelines for Collecting and Interpreting Technological Innovation: Oslo Manual. 1997. Disponível em: <http://www.finep.gov.br/images/a-finep/biblioteca/manual_de_oslo.pdf>. Acesso em: 7 maio 2018.

______. Manual de Estadísticas de Patentes de la OCDE © OEPM. Paris, 2009. p. 1–179. Disponível em: <http://www.oepm.es/export/sites/oepm/comun/documentos_relacionados/Publicaciones/monografias/manualEstadisticas.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

______. Manual de Frascati, Metodologia proposta para definição da pesquisa e desenvolvimento experimental. Tradução de Olivier Isnard., Frascati Manual 2002: Proposed Standard Practice for Surveys on Research and Experimental Development. Paris, 2013. p. 1–324. Disponível em: <http://www.ipdeletron.org.br/wwwroot/pdf-publicacoes/14/Manual_de_Frascati.pdf>. Acesso em: 7 maio 2018.

______. Relatórios Econômicos OCDE: Brasil 2018. OCDE, Paris. 2018. p. 1–174. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1787/9789264290716-pt>. Acesso em: 20 jun. 2018.

QUINTELLA, C. M. et al. Propriedade Intelectual. Rede NIT-NE, 3. ed. Salvador, 2010.

ROCHA, E. M. P.; DUFLOTY, S. C. Análise Comparativa regional de indicadores de inovação tecnológica empresarial: contribuição a partir dos dados da pesquisa industrial de inovação tecnológica. Perspectiva em Ciência da Informação, Minas gerais, n. 14, n. 1, p. 192–208, 2009.

RUSSO, S. L.; SILVA, G. F. S. Capacitação em Inovação Tecnológica para empresários. São Cristóvão: UFS, 2012. p. 1–22.

SANTOS, N. C. G. et al. Ciência, Tecnologia e sociedade na iniciação científica: o caso de uma Universidade do Sul de Minas. Revista Perspectivas Contemporâneas, Minas gerais, v. 12, n. 3, p. 17–32, set./dez. 2017. Disponível em: <http://revista.grupointegrado.br/revista/index.php/perspectivascontemporaneas>. Acesso em: 26 abr. 2018.

TALAMONI, I. C.; GALINA, S. V. R. Inovação no setor de tecnologia da informação e comunicação no Brasil - uma análise comparada entre indústria e serviço no período de 2001 a 2011. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, v. 4, n. 2, p. 19–32, jul./dez. 2014.

UNIVERSIDADE CORNELL; INSEAD; WIPO (2017): Índice Global de Inovação de 2017: a inovação nutrindo o mundo, Ithaca, Fontainebleau e Genebra. Disponível em: <https://www.globalinnovationindex.org/Download>. Acesso em: 3 maio 2018.

Downloads

Publicado

2018-12-10

Como Citar

Mendonça, V. M., dos Santos, M. J. C., Silva-Mann, R., Ribeiro, M. J. B., & da Silva, P. B. B. (2018). Indicadores‌ ‌Nacionais‌ ‌e‌ ‌Internacionais‌ ‌de‌ ‌Ciência,‌ ‌Tecnologia‌ ‌&amp;‌ ‌Inovação‌. Cadernos De Prospecção, 11(5), 1293. https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27178

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento