Prospecção Tecnológica Aplicada a Tecnologias de Coleta de Energia Solar

Autores

  • Carlos Roberto Pinto de Souza Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.
  • Danylo Carvalho Mucury Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.
  • Elaine Cristina Pereira Silva Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.
  • Marco Antonio da Cruz Borba Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.
  • Rafael Leite Pinto de Andrade Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.
  • Marcio Lima da Silva Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v11i4.27116

Palavras-chave:

Coletor Solar, Inflável, Energia.

Resumo

O acesso à energia está diretamente ligado à melhoria da qualidade de vida e desenvolvimento da sociedade atual. Dentre os modos de geração de energia, as usinas hidrelétricas e aquelas baseadas em combustíveis fósseis são as mais utilizadas. Uma tecnologia que vem ganhando destaque é a captação de energia solar por intermédio de equipamentos coletores. Os equipamentos mais conhecidos para esse fim são os coletores solares. Neste trabalho foi avaliado um coletor construído com plástico escurecido e com estrutura flexível. Tal estrutura lhe confere facilidades, especialmente no transporte do equipamento. Neste artigo foi avaliado o Modelo de Utilidade obtido pela Fundação Universidade de Brasília (FUB), que trouxe uma melhora funcional em seu desempenho. Foram avaliadas, com base no estado da arte, no grau de maturidade da tecnologia e em possíveis rotas tecnológicas, a aplicação industrial e demais questões relacionadas ao equipamento, como a possibilidade de comercialização ou licenciamento.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Roberto Pinto de Souza, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Danylo Carvalho Mucury, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Elaine Cristina Pereira Silva, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Marco Antonio da Cruz Borba, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Rafael Leite Pinto de Andrade, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Professor Permanente - PROFNIT/CDT/UnB

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Marcio Lima da Silva, Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Professor Permanente - PROFNIT/CDT/UnB

Programa de Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - PROFNIT - Ponto Focal Universidade de Brasília - UnB

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br> Acesso em: 26 mar. 2018.

ALMEIDA, Eliane et al. Energia Solar Fotovoltaica: Revisão Bibliográfica. Engenharias On-line, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 21-33, 2015. Disponível em: <http://www.fumec.br/revistas/eol/article/view/3574/1911>. Acesso em: jun. 2018.

AMARAL, H. F. et al. Avaliação de ativos intangíveis modelos alternativos para determinação do valor de patente. Revista Finanças e Contabilidade, Salvador: UNEB, v. 4, n.1, p. 123-43, 2014.

ARAÚJO, B. C. Incentivos fiscais à pesquisa e desenvolvimento e custos de inovação no Brasil. Radar - Tecnologia, Produção e Comércio Exterior, Brasília: IPEA, n. 9, p. 3-11, 2010.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 02 dez. 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Brasília, dez. 2004. Legislação Federal. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.973.htm>. Acesso em: 26 jun. 2018.

______. Decreto n. 5.563, de 11 out. 2005. Regulamenta a Lei n. 10.973, de 02 de dezembro de 2004, que dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, e dá outras providências. Legislação Federal. Brasília, out. 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5563.htm>. Acesso em: 26 jun. 2018.

______. Matriz Energética: Brasil deve integrar Top 20 em energia solar em 2018. 2016. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/editoria/infraestrutura/2016/07/brasil-deve-integrar-top-20-em-energia-solar-em-2018>. Acesso em: 14 jun. 2018.

CASSAPO, F. Inovação no Brasil x inovação do mundo. Pequenas Empresas, Grandes Negócios, a transformação de conhecimentos novos em resultados sustentáveis. 2013. Disponível em: <http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,ERT240066-18478,00.html>. Acesso em: 03 ago. 2018.

CENTRO DE PESQUISAS DE ENERGIA ELÉTRICA – CEPEL, Centro de Referência para Energia Solar e Eólica Sérgio Brito – CRESESB, Grupo de Trabalho de Energia Solar. Manual de Engenharia para Sistemas Fotovoltaicos. Rio de Janeiro: CRESESB. 1999. Disponível em: <http://www.cresesb.cepel.br/publicacoes/download/Manual_de_Engenharia_FV_2004.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2018.

CLARIVATE ANALYTICS. Web of Science. Philadelphia, c2018. Disponível em: <http://login.webofknowledge.com>. Acesso em: jun. 2018.

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG. Alternativas Energéticas: uma visão Cemig. Belo Horizonte: CEMIG, 2012.

COSTA, Ricardo Cunha da Costa; PRATES, Cláudia Pimentel Trindade. O papel das fontes renováveis de energia no desenvolvimento do setor energético e barreiras à sua penetração no mercado. BNDES Setorial. Rio de Janeiro, n. 21, p. 5-30, 2005. Disponível em: < https://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/bnset/set2102.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

DRUCKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. São Paulo: Pioneira. 2003.

ELSEVIER. ScienceDirect. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/>. Acesso em: jun. 2018a.

______. Scopus. Disponível em: <https://www.scopus.com/home.uri>. Acesso em: jun. 2018b.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA – EPE. Balanço Energético Nacional 2015 - Ano base 2014: Relatório Síntese. Rio de Janeiro. 2015. Disponível em: < https://ben.epe.gov.br/downloads/S%C3%ADntese%20do%20Relat%C3%B3rio%20Final_2015_Web.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2018.

ELY, Fernando; SWART, Jacobus Willibrordus. Energia Solar fotovoltaica de terceira geração. O Setor Elétrico, São Paulo, p. 138-139, 2014. Disponível em: <http://www.ieee.org.br/wp-content/uploads/2014/05/energia-solar-fotovoltaica-terceira-geracao.pdf>. Acesso em: 28 maio 2018.

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO – FAPESP. Scielo, Disponível em: <http://www.scielo.org/php/index.php>. Acesso em: jun. 2018.

GIL, Luís et al. Os TRL (Technology readiness levels) como ferramenta na avaliação tecnológica, Ingenium, Portugal, p. 94-96, 2014. Disponível em: < http://repositorio.lneg.pt/bitstream/10400.9/2771/1/Os%20TRL%20%28TECHNOLOGY%20READINESS%20LEVELS%29%20COMO%20FERRAMENTA%20NA%20AVALIA%C3%87%C3%83O%20TECNOL%C3%93GICA_LGil.pdf>. Acesso: jun. 2018.

GUBIANI, J. S. et al. A transferência para o mercado do conhecimento produzido na pesquisa acadêmica. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia, Santa Catarina, v. 3, n. 2, p. 114-24, 2013.

IMHOFF, Johninson. Desenvolvimento de Conversores Estáticos para Sistemas Fotovoltaicos Autônomos. 2007. 146 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica. Centro de Tecnologia. Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul. 2007. Disponível em: <https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/8608/JOHNINSONIMHOFF.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL – INPI. PEPI - Pesquisa em Propriedade Industrial. Disponível em: <https://gru.inpi.gov.br/pePI/jsp/patentes/PatenteSearchBasico.jsp>. Acesso em: 27 abr. 2018.

LIMA, Macilene Gonçalves de; RAMALHO, Wanderley. Avaliação de patentes: Modelos e estudo de um caso de propriedade de IFES. In: V Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade. 2016. Anais do V SINGEP. São Paulo, 2016. Disponível em: < https://singep.org.br/5singep/resultado/459.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

MARTINS, Fernando Ramos et al. O aproveitamento da energia eólica. Instituto Nacional de Pesquisas. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1.304-1 – 1304-13, 2008. Disponível em: < http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/301304.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

MORAIS, Luciano Cardoso de. Estudo sobre o panorama da energia elétrica no Brasil e tendências futuras. 2015. 127 p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Engenharia, São Paulo, 2015. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/132645>. Aceso em: jun. 2018.

NASCIMENTO, Paulo Gustavo Barboni Dantas. Tabela 1: Gastos diretos do Centro de Apoio Ao Desenvolvimento Tecnológico – CDT/UnB, efetuados ao INPI como Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica. 2018. Disponível em <https://aprender.ead.unb.br/course/view.php?id=4157>. Acesso em: 17 mai. 2018.

QUESTEL INTELLIGENCE. Intellectual Property. França, c2018. Disponível em: <https://www.questel.com/>. Acesso em: 16 maio 2018.

PINHO, J.; GALDINO, M. Manual de Engenharia para Sistemas Fotovoltaicos. Disponível em: <http://www.cresesb.cepel.br/publicacoes/download/Manual_de_Engenharia_FV_2014.pdf> Acesso em: 10 jun. 2018.

SANTOS, Bruno Vicente dos et al. Avaliação dos atrasos dos contratos industriais dos programas CBERS e Amazônia e os graus de maturidade tecnológica (TRL) e de fabricação (MRL). In: IV Workshop em Engenharia e Tecnologia Espaciais. 2013. Disponível em: <http://mtc-m21b.sid.inpe.br/rep/sid.inpe.br/mtc-m21b/2013/10.22.11.41?languagebutton=pt-BR>. Acesso em: jun. 2018.

SILVA, Rutelly Marques. Energia Solar no Brasil: dos incentivos aos desafios. Núcleo de Estudo e Pesquisas/CONLEG/Senado. Brasília. 2015. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/textos-para-discussao/td166>. Acesso em: fev. 2015.

TERRA, B.; ETZKOWITZ, H. A universidade empreendedora e a sociedade da nova era. 1998. Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2018.

WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATON – WIPO. PATENTSCOPE – Pesquisa nas coleções internacionais e nacionais de patentes. 2018a. Disponível em: <https://patentscope.wipo.int/search/pt/result.jsf>. Acesso em: 25 mar. 2018.

WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION – WIPO. Publicação IPC. 2018b. Disponível em: < http://ipc.inpi.gov.br/ipcpub/?notion=scheme&version=20180101&symbol=none&menulang=pt&lang=pt&viewmode=f&fipcpc=no&showdeleted=yes&indexes=no&headings=yes&notes=yes&direction=o2n&initial=A&cwid=none&tree=no&searchmode=smart> Acesso em: 15 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

de Souza, C. R. P., Mucury, D. C., Silva, E. C. P., Borba, M. A. da C., de Andrade, R. L. P., & da Silva, M. L. (2018). Prospecção Tecnológica Aplicada a Tecnologias de Coleta de Energia Solar. Cadernos De Prospecção, 11(4), 1085. https://doi.org/10.9771/cp.v11i4.27116

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos