Edições anteriores

  • n. 28 (2021)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • Dossiê Temático 1 - CELPE-BRAS: HISTÓRIA, PERSPECTIVAS ATUAIS E FUTURAS (n. especial)

    PREFÁCIO

    Em 2021, a Revista Inventário celebra seus 18 anos com o lançamento desta Edição Especial monotemática, que toma o Exame Celpe-Bras como centro aglutinador de reflexões construídas por pesquisadores que se dedicam à investigação do planejamento, ensino, aprendizagem e avaliação de proficiência em Português como língua adicional (PLA).

    Criada em 2003 por iniciativa dos estudantes do Programa de Letras e Linguística da Universidade Federal da Bahia, o periódico tem se mantido produtivo na divulgação de trabalhos de qualidade, mesmo enfrentando as dificuldades que desafiam as instituições públicas brasileiras atuantes no ensino superior, sobretudo as dificuldades financeiras. Isto demonstra que a Inventário tem atingido o objetivo enunciado na sua Apresentação do número inicial, que é “ o desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.”

    A escolha do Exame Celpe-Bras para temática inspiradora dos trabalhos que compõem a edição da Inventário aqui prefaciada se sustenta em vários argumentos, dentre os quais se destaca sua condição de ser ele o único instrumento oficial de avaliação de proficiência em Português como língua não-materna no Brasil. Além disto, convém sublinhar que a UFBA possui significativa atuação no campo de ensino e aprendizagem de Português LE/L2, que teve início ainda nos anos 60, sob a Coordenação do Prof. Nelson Rossi, que compôs uma equipe na qual participaram as professoras Nadja Andrade, Carlota Ferreira, Vera Rollemberg, Rosa Virgínia Mattos e Silva e Dinah Callou, reunidas para a oferta de aulas de “Português para Estrangeiros” a estudantes nigerianos participantes do Programa PEC-G. Já em 1999, a UFBA foi credenciada pelo MEC como Posto Aplicador do Exame Celpe-Bras. Por outro lado, graças à relevância e à repercussão do trabalho realizado no Instituto de Letras no campo de PLE, foi criada uma Licenciatura em Português como Língua Estrangeira em 2005, a qual começou a funcionar logo em seguida, em 2006.

    É necessário sublinhar que, além desta Licenciatura, existem, na Pós-Graduação, grupos de estudos direcionados para a pesquisa em PLE, voltados para a formação de professores, avaliação de proficiência, materiais didáticos, questões como identidade e ensino, interculturalidade, dentre outros tópicos de interesse. Da contextualização da dinâmica do Português como língua adicional no Instituto de Letras da UFBA, fica demonstrada a relevância da área na graduação e na pós-graduação, porém, ainda se torna imprescindível sinalizar um ponto importante, que é a existência do Núcleo Permanente de Extensão de Letras – NUPEL, que promove, acompanha e avalia o ensino de português para falantes de outras línguas (PFOL) no Instituto, assumindo o papel de motivar estudantes para a prática docente e capacitar professores em formação através da articulação entre teoria e prática, criando conexões entre ensino e pesquisa, através de práticas extensionistas.

    Após terem sido apresentadas informações de caráter introdutório acerca da dimensão assumida pelo Português LE/L2 no Instituto de Letras da UFBA, bem como a relevância do Exame Celpe-Bras na instituição, faz-se necessário explicitar a estrutura da edição da Inventário tomada como objeto deste Prefácio. Compõem o número em tela seis artigos produzidos por pesquisadores de PLA, que tratam de aspectos variados da avaliação de proficiência linguística. Finaliza a edição uma entrevista com a Profa. Simone Tosta, Coordenadora da Casa do Brasil do México. Enquanto os autores dos artigos colocam o foco de seus trabalhos no Celpe, a Profa. Simone Tosta discute o papel do Posto aplicador na difusão do Português no mundo e, além disto, aponta desafios colocados pelo Exame.

    No artigo em destaque, "O conceito de proficiência e o processo de avaliação da parte escrita do Exame Celpe-Bras", a pesquisadora Juliana Schoffen discute o conceito de proficiência, o processo de avaliação da Parte Escrita do Exame Celpe-Bras, com destaque para seu funcionamento e sua estrutura. Em síntese, o artigo apresenta os parâmetros de avaliação holística da parte escrita, discutindo as implicações de tais parâmetros para a validade e confiabilidade do Exame.

    Na sequência, a Profa. Rosana Salvini Conrado assina o artigo "A consciência metatextual aplicada nas tarefas do Exame Celpe-Bras", no qual estuda os conhecimentos metatextuais requeridos aos participantes para o cumprimento das tarefas que compõem a Parte Escrita. Para tanto, Conrado utiliza o Modelo de Processamento de Texto proposto por Kintsch & Van Djik (1978), recorrendo também à Psicologia Cognitiva. Com a investigação, a autora pretende contribuir para o aprimoramento das tarefas do Celpe e, também, para a preparação dos examinandos, “uma vez que o conhecimento metatextual é requisito para o cumprimento” das tarefas.

    No artigo seguinte, "As diferentes manifestações da intertextualidade nos elementos provocadores da Parte Oral do Exame Celpe-Bras", Natália Ricciardi analisa o funcionamento da interação face a face que se constrói a partir da utilização de EPs, observando se a intertextualidade e a interdiscursividade estão presentes, avaliando se o participante demonstra ser capaz de produzir enunciados adequados aos gêneros do discurso em uso. Para tanto, a autora se apropria da “perspectiva dialógica da teoria dos gêneros do discurso como organizadores da comunicação”.

    Em seguida, surge o artigo "Os enunciados de tarefas integradas de leitura e escrita do Exame Celpe-Bras", escrito a quatro mãos por Ísis Rodrigues Pordeus e Regina Lúcia Péret Dell’Isola, que se propõem avaliar, de modo integrado, a compreensão do enunciado pelo participante, tendo em vista a adequação e a relevância da produção escrita em resposta a um insumo recebido. Convém sublinhar que a avaliação realizada pelas autoras não se restringe ao desempenho do examinando. Ela toma por objeto o enunciado, sua formulação e explicitude no sentido de contribuir para o cumprimento de tarefas 3 e 4 da Parte Escrita do Exame nas edições de 2009 a 2017.

    No penúltimo trabalho que compõe a edição monotemática da Inventário, "Celpe-bras como orientações curriculares: um olhar sobre os cursos de PLA para estudantes do PEC-G", a Profa. Michele Saraiva Carilo investiga os efeitos retroativos do Exame Celpe-Bras no ensino de PLA, a partir de cursos ministrados a participantes do Programa de Estudantes Convênio de Graduação–PEC-G. A pesquisa tomou por objeto os construtos teóricos subjacentes aos cursos e os objetivos pedagógicos e lingüísticos observados no estudo. Por fim, buscou-se verificar em que medida tais fundamentos e objetivos norteavam as práticas pedagógicas tomadas para investigação.

    Finalizando o passeio pelos trabalhos que compõem o número especial da Inventário, o último trabalho disposto nesta edição sinaliza no título "Aulas preparatórias para o Celpe-Bras: uma abordagem intercultural" que está voltado para o planejamento de cursos destinados a preparar pessoas que irão se submeter ao Exame. Assinado pela Profa. Michele de Araújo, trata-se de um relato de experiência que prioriza aspectos práticos do ensino de Português como língua não-materna, discutidos a partir do lugar de fala de uma docente que é parte integrante do processo de ensino-aprendizagem. Convém destacar que, para a análise de caso, a pesquisadora lança mão da abordagem intercultural, estruturante da prática pedagógica no ensino de línguas, postulado característico da Linguística Aplicada Crítica.

    Como assinalado no início do Prefácio, além dos seis artigos que compõem esta edição monotemática, encerra o exemplar da Inventário uma entrevista à Profa. Simone Tosta, Coordenadora do Posto Aplicador Casa do Brasil no México. Com pontos de vista bem claros, Simone Tosta responde várias questões relevantes e atuais, que dizem respeito a políticas lingüísticas, funcionamento dos postos aplicadores, impactos do exame, avanços e desafios. Trata-se de um encontro imperdível!

    --
    Iracema Luiza de Souza
    (Coordenadora do Posto UFBA - Celpe-Bras)

  • n. 27 (2021)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 26 (2020)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 25 (2020)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 24 (2019)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 23.2

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 23.1

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 22

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 21

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), único programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    A edição 21 tem a acessibilidade como tema de destaque contando com a publicação, a convite, de um artigo da profa. Eliana Franco e uma entrevista concedida pela prof.a Manoela Cristina da Silva.

    Equipe Editorial.

  • n. 20

    A Revista INVENTÁRIO surgiu em 2003, a partir da iniciativa de estudantes de pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, à época, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL), únic programa; hoje, o Instituto de Letras conta com o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), o Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult) e o Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras).

    Desde de sua criação, as comissões da Inventário vêm atuando à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos.

    As publicações da revista são, desde seu início, de via eletrônica. Desde 2016, todo o processo de sumissão, avaliação, edição e publicação são feitos pelo sistema eletrônico SEER. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas, uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • n. 19

    A Revista INVENTÁRIO surgiu da iniciativa de estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL/UFBA), atuais Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC) e Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult), da Universidade Federal da Bahia, em 2003, com o apoio das coordenações dos programas. Desde então, as comissões que atuaram e atuam à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primaram e primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar exclusivamente artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos. As publicações da revista, desde seu início, de via eletrônica, eram anuais, passando, posteriormente, a ser semestrais. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • Inventário
    n. 18 (2016)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu da iniciativa de estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL/UFBA), atuais Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC) e Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult), da Universidade Federal da Bahia, em 2003, com o apoio das coordenações dos programas. Desde então, as comissões que atuaram e atuam à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primaram e primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar exclusivamente artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos. As publicações da revista, desde seu início, de via eletrônica, eram anuais, passando, posteriormente, a ser semestrais. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • Inventário
    n. 17 (2015)

    A Revista INVENTÁRIO surgiu da iniciativa de estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL/UFBA), atuais Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC) e Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult), da Universidade Federal da Bahia, em 2003, com o apoio das coordenações dos programas. Desde então, as comissões que atuaram e atuam à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primaram e primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar exclusivamente artigos de estudantes de cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos. As publicações da revista, desde seu início, de via eletrônica, eram anuais, passando, posteriormente, a ser semestrais. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Equipe Editorial.

  • Inventário
    n. 16 (2015)

    A Revista Inventário surgiu da iniciativa de estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL/UFBA), atuais Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC) e Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLitCult), da Universidade Federal da Bahia, em 2003, com o apoio das Coordenações dos Programas. Desde então, as comissões que atuaram e atuam à frente das atividades e funções inerentes às publicações da revista, primaram e primam pela qualidade e pelo desejo de contribuir significativamente para a comunidade acadêmica, disponibilizando um espaço de socialização e discussão da produção acadêmica discente.

    A revista objetiva publicar exclusivamente artigos de estudantes de Cursos de Pós-Graduação nas áreas de Letras, Artes, Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecidos méritos acadêmicos, ou que concluíram o curso de Mestrado ou Doutorado nos últimos dois anos. As publicações da revista, desde seu início, de via eletrônica, eram anuais, passando, posteriormente, a ser semestrais. Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas uma vez que a internet tornou-se um dos meios mais importantes para a propagação de saberes no mundo atual.

    Todos os artigos apresentados são analisados por um Conselho Editorial composto por professores e pesquisadores de diversas universidades e instituições de pesquisa brasileiras e estrangeiras. A Comissão Executiva, integrada por estudantes do Programa de Pós-graduação em Letras da UFBA, responsabiliza-se pelo trabalho de encaminhamento dos artigos aos pareceristas e pela organização da revista de acordo com os critérios de publicação adotados. Atualmente, a Inventário é avaliada pela CAPES como um periódico Qualis B3, na área de Letras/Linguística.

     

    Comissão Executiva da 16ª edição.

    (Originalmente publicado em agosto de 2015)

  • Revista Inventário 12a Ed.
    n. 12 (2013)

    Revista Inventário, em sua 12ª edição, apresenta aos seus leitores e a comunidade acadêmica dezoito artigos das mais diversas temáticas que permeiam o universo das Letras, confirmando o compromisso de ser um espaço para a difusão do conhecimento que privilegia a voz dos estudantes de pós-graduação. Para esta edição, recebemos mais de 35 trabalhos, o que demonstra o crescente interesse da comunidade acadêmica em fazer parte de nossa revista, que tem buscado a cada publicação aprender com os desafios e as dificuldades e empreender um trabalho respeitoso, ético e comprometido, tanto com o seu público quanto com os seus colaboradores.


    Por essa edição também passa o vento da mudança. Pensando em criar um espaço mais interativo e dinâmico, a Comissão Executiva trabalhou arduamente para apresentar uma revista que conseguisse, ao mesmo tempo, manter a qualidade - própria da revista em todas as suas edições - a periodicidade na publicação e novas propostas de trabalho. Assim, além dos artigos submetidos por estudantes de diversas universidades brasileiras, diversificamos os gêneros textuais, convidando docentes a participarem dessa socialização e difusão de saberes.
    Nesse sentido, no âmbito dos estudos da linguagem, entrevistamos a Professora Dra. Denise Zoghbi, que trabalha atualmente com discussões que versam sobre identidades, inclusão e discurso na educação. Questões estas que atravessam a sua entrevista e desvelam uma postura atenta e sensível às demandas e inquietações atuais que se desdobram no contexto formacional e de atuação do profissional da área de Letras. Seus trabalhos apresentam uma natureza interdisciplinar, amparados, sobretudo, nos pressupostos da Linguística Aplicada Crítica e da Análise do Discurso Crítica. A professora, em menção, possui Doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia, onde atua como docente adjunto e está vinculada ao Programa de Pós- Graduação em Língua e Cultura.
    Já no campo da literatura, a Professora Dra. Luciene Azevedo nos oferece um texto ensaístico profícuo intitulado"Daniel Galera: profissão escritor", que levanta temas caros à literatura brasileira contemporânea como: autoria, papel do escritor e circuitos literários. A professora possui doutorado em literatura comparada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro e é, atualmente, docente de Teoria Literária pela Universidade Federal da Bahia, vinculada ao programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da mesma instituição.
    Mudanças também ocorreram na forma de trabalho da Comissão Executiva. Agora, com as demandas crescentes da revista, pudemos contar com uma editora-adjunta acompanhando a editora-chefe no processo de construção desta edição. No entanto, salientamos que a publicação só foi possível por um esforço conjunto de todos os discentes que compuseram esta comissão (vide Comissão Executiva), constituída por estudantes de Mestrado e Doutorado, dos Programas de Pós-Graduação em Língua e Cultura e Literatura e Cultura da Universidade Federal da Bahia.
    Aproveitamos a oportunidade para agradecer a disponibilidade e a leitura atenta de todos os professores do Conselho Editorial que contribuíram com os seus pareceres para os trabalhos submetidos nesta edição (vide Conselho Editorial 12ª edição), sem os quais tal publicação não seria possível. Pedimos licença para agradecer especialmente às Professoras Denise Zoghbi e Luciene Azevedo que, generosamente, compartilharam seus textos conosco, nos auxiliando nesse novo desafio, e ao Professor Dr. Sérgio Cerqueda e à Professora Dra. Alicia Duhá Lose pela consultoria sempre muito gentil e esclarecedora.
    Desejamos a todos uma boa leitura e, desde já, pontuamos que para as próximas edições mais novidades estarão por vir.


    Atenciosamente,

    Comissão Executiva da 12ª edição da Revista Inventário.

  • Revista Inventário 11a Ed.
    n. 11 (2012)

    "Nesta 11ª edição da Revista Inventário, apresentamos um número diversificado, multifacetado, que traz a lume resultados de pesquisas, estudos teóricos, análises de dados e reflexões feitas a partir de produtos culturais, como obras literárias. Esses textos instauram discussões inter, multi e transdisciplinares, como tem se configurado a própria área dos estudos das linguagens e da cultura. A linguagem e a cultura, manifestadas das mais distintas formas, são abordadas por perspectivas surpreendentes, articulando os constructos teóricos acessados de maneira eficiente, dinâmica e produtiva.


    Os esforços empreendidos durante a preparação desta edição foram inúmeros e preciosos, por isso somos gratos ao nosso Conselho Editorial, que atuou de maneira eficaz para atender às demandas apresentadas. O Conselho Executivo também trabalhou arduamente, a fim desempenhar o seu papel, assim, reconhecemos e agradecemos pela contribuição de todos os membros deste conselho, sem mencionar o auxílio de membros de comissões anteriores, que deram o apoio necessário para o prosseguimento das atividades editoriais.
    Agradecemos também aos articulistas, que depositaram sua confiança na Revista. O bom conceito da Inventáriodeve-se muito à qualidade e seriedade dos nossos articulistas. Inúmeros artigos foram submetidos à Revista, contando com textos de pesquisadores e estudantes de renomadas universidades brasileiras e estrangeiras, com isso, expandimos ainda mais o raio de alcance da Revista, “inventariando” e divulgando as práticas científicas empreendidas nas mais diversas áreas do universo das Letras.
    Ao oferecermos esta edição à comunidade acadêmica, esperamos nutrir com questionamentos profícuos as atuais discussões do âmbito das Letras, contribuindo para a divulgação das pesquisas e estudos apresentados.
    Finalmente, fazemos votos de uma feliz e produtiva fruição deste número.


    Gérsica Alves Sanches 
    Editora chefe

  • Revista Inventário 10a Ed.
    n. 10 (2012)

    "Cada edição é uma experiência nova, as conquistas são justamente a superação dos desafios". Essa afirmação, dita por Lavínia Mattos, membro da Comissão executiva, emergiu em nossa discussão sobre o que gostaríamos de dizer na apresentação da 10ª edição daRevista Inventário. De fato, os desafios vieram e a prova de que foram superados foi alcançarmos, ainda nesse primeiro semestre de 2012, a 10ª edição da Revista Inventário, com o prazer e a alegria do dever cumprido.


    O nosso maior dever foi manter o propósito daRevista Inventário, estabelecido desde sua primeira edição, em 2003, de promover a interação entre o espaço acadêmico e a comunidade virtual. Responsabilidade que exercemos com o indispensável auxílio de uma competente equipe de profissionais que compuseram o Conselho Editorial dessa edição. A trajetória percorrida pelos membros da Comissão Editorial e Conselho Executivo foi marcada pela necessidade de compreensão e senso de compromisso, pois harmonizar as diversas atividades desempenhadas por todas as pessoas envolvidas nesse processo com os prazos que o nosso calendário nos impunha foi tarefa árdua, que exigiu intensa flexibilidade, "cálculo" e boa vontade.
    Agradecemos a cada parecerista pelo tempo, disposição e competência dispensados a essa revista. Gratos somos, ainda, a todos os articulistas que nos prestigiaram com o interesse e confiança em submeter seus trabalhos ao nosso Conselho Editorial. É a participação de todos que faz com que essa revista aconteça e cumpra o seu propósito a cada edição.
    Por fim, desejamos que as leituras oferecidas nessa edição sirvam de incentivo à continuação de pesquisas, de razão para a expansão de horizontes e de fomento para produção de saber na área de Letras e afins.


    Flávia Daianna Calcabrine Vicente 
    Editora chefe

  • Inventário
    n. 9 (2011)

    Constituir o Conselho Executivo de uma revista, assim como participar de diversas atividades acadêmicas de natureza semelhante, não é uma tarefa das mais fáceis. Lidar com opiniões divergentes em busca de um denominador comum, dar conta de atividades diversas, trabalhar com prazos que se querem cada vez mais curtos, depender de outros profissionais para o andamento dos nossos trabalhos foram alguns dos fatores com os quais tivemos que operar nessa jornada em direção à publicação de mais uma edição da Revista Inventário.

    Apesar de a trajetória ser, não em termos cronológicos, longa e de alguns obstáculos terem se feito presentes, não posso deixar de mencionar o fator principal com o qual lidamos durante todo o processo: o prazer, que faz com que qualquer obstáculo se torne quase nada, e que fez com que cada reunião presencial do grupo, cada discussão via lista de e-mail e cada ação que tivemos que executar fossem sempre cheias de motivação para darmos conta de tudo aquilo que, no início do percurso, nos propusemos a fazer.

    Assim, é com enorme prazer que apresentamos a 9ª edição da Revista Inventário, uma revista organizada por estudantes da Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal da Bahia, composta por artigos cujas temáticas se inserem nos estudos linguísticos, nos estudos literários e nos estudos da Linguística Aplicada. Os artigos selecionados para compor a edição foram avaliados por docentes de diversas instituições, que atestaram a sua relevância para as referidas áreas de conhecimento, bem como sinalizaram o que ainda faltaria para que eles pudessem ser publicados. A esses professores, o nosso agradecimento por terem tido um papel de extrema importância para que a 9ª edição da Revista Inventário viesse a público.

    Agradecemos também a todos os articulistas, independentemente de terem os seus textos aceitos ou não, pela socialização de suas produções, pelo desejo de que o que fazem se inserisse em um contexto de discussão maior.

    Ainda que já haja um espaço destinado a isso, vale mencionar aqui também o nome de cada uma de nós que integramos o Conselho Executivo da 9ª edição da Revista Inventário, pelo empenho individual que fez com que compuséssemos uma verdadeira equipe. O Conselho Executivo da 9ª edição foi composto por mim, Waleska Moura, e Isamar Neiva (Editoras Chefe) e por Aline Van Der Schmidt, Débora de Souza, Fabiana Correia, Flávia Calcabrine, Lilian Mota, Rosana Junqueira e Williane Côroa. Que nos venham mais desafios como esse e que saibamos lidar com eles com o mesmo compromisso e satisfação.

    Tenham uma boa leitura!

    Waleska Moura (Editora Chefe)

     

  • Revista Inventário 8a Ed.
    n. 8 (2010)

    Quando assumimos a responsabilidade de integrar a Comissão Executiva da Revista Inventário, logo nos deparamos com obstáculos que iam desde entraves burocráticos à carência de informações. Diante desse cenário, resolvemos nos encarregar de mais uma tarefa: a de arrumar a casa.


    No período de um ano, algumas reuniões foram feitas, nas quais deliberamos sobre uma série de soluções que visam evitar atrasos na publicação, além de manter a semestralidade da revista. Dentre essas soluções, as principais ampliam a responsabilidade do editor chefe e dos demais membros da Comissão Executiva, que só poderão se desvincular dos cargos assumidos após uma reunião de transição. Dessa forma, garante-se um suporte para que as gestões posteriores não sofram com atrasos provenientes da falta de informação.

    No decorrer desse processo, graças ao empenho dos integrantes dessa Comissão, recebemos vários artigos, dentre os quais 21 foram selecionados para compor a 8ª edição. Eis aí mais uma marca para a Inventário. Tais artigos, por sua vez, se destacaram devido ao cuidado com o qual foram produzidos, além de primarem pela qualidade atestada por um Conselho Editorial criterioso e de grande competência. Esta edição se destacou também pela heterogeneidade dos textos publicados, atendendo, portanto, aos diversos anseios das mais variadas áreas sobre a linguagem.

    Assim, apresentamos a 8ª edição da Revista Inventário com a marca de 21 artigos publicados, além de deixarmos, como legado para as próximas comissões, a casa devidamente arrumada, como sempre deveria ser.

    André Luiz Gaspari Madureira
    Editor chefe

     

  • Inventário
    n. 7 (2010)

    Enfim... a sétima edição !

    A Revista Inventário, publicação dos estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal da Bahia (PPGLL/UFBA), chega à sua sétima edição. Além do prazer e satisfação, os membros integrantes da Comissão Executiva experimentam um alívio ao publicar mais um número da Inventário.

    O alívio, como já assinalou Rerisson Araújo, em um editorial anterior desta revista, é um dos sentimentos experimentados pela Comissão Executiva cada vez que finalizamos uma edição.

    A publicação da sétima edição da Revista Inventário é resultado de uma caminhada iniciada em agosto de 2008, quando foi composta a atual Comissão Executiva da revista. Ao longo da caminhada, superamos muitos obstáculos e, consequentemente, colecionamos algumas vitórias.

    Somente para edição atual da Inventário, foram submetidos mais de 85 artigos. Isso contabilizando apenas os artigos enviados dentro do prazo estipulado. Essa vitória é decorrente da divulgação desta revista eletrônica entre os diversos programas de pós-graduação nas universidades e faculdades do Brasil. Um trabalho realizado tanto pela Comissão Executiva atual, como pelas comissões anteriores.

    Ao final do processo seletivo desta publicação, apresentamos a vocês 16 artigos. Isso também é um marco. Pela primeira vez, a inventário expõe 16 artigos em um único número. Não adiantaremos nada sobre esses artigos. Deixaremos que vocês perambulem pelo sumário da Inventário, adentrem nos seus textos e vivenciem o prazer de lê-los e descobri-los, um a um.

    Para finalizar, gostaríamos de agradecer à Coordenação do PPGLL pelo inestimável apoio e a todos os membros da Comissão Editorial e da Comissão Executiva pelo esforço coletivo para pôr mais um número desta revista eletrônica no ar.

    Francineide Palmeira

    Olivia Ribas

     

  • Inventário
    n. 6 (2008)

    A Revista Digital Inventário tem o prazer de apresentar sua 6ª edição. 
  • Inventário
    n. 5 (2006)

    E finalmente é lançada a 5ª edição da Revista Inventário. (Ufa! Ênfase no "finalmente". Em negrito: Finalmente. Isso, agora sim).

    Que rufem os tambores, então. Ou as caixas de som, que somos pós-modernos e virtuais. E já nascemos todos com kit multimídia...

    Esperada ansiosamente desde que o número anterior foi ao ar, ainda em julho de 2005, a edição atual surge como um marco para todos do PPGLL. Um marco sim, por que não? Apesar de parecer não ter nada de muito especial, a não ser o nome, ela representa muito para nós.

    Além do alívio que a Comissão Executiva sempre tem quando consegue pôr mais um número no ar, essa estreante nos palcos da web começa a delinear em nós um sentimento de continuidade, de superação de não sei que obstáculos que se interpõem, tornando-se uma prova de que, mesmo ainda jovem, muito jovem, a Revista Virtual dos estudantes do PPGLL veio para ficar. Para continuar. Mesmo que por um caminho de Drummond.

    Se não atingiu ainda a maioridade, completando 18 anos de existência ou 18 números lançados (a idade de uma revista se conta em anos ou em edições?), a Inventário parece firmar os pés e mostrar um início de amadurecimento ou de auto-confiança. Não é mais uma tentativa de se construir uma periódico virtual (que pode morrer ainda no berço da 2ª ou 3ª edição), já merece esse mesmo nome. Consolida conquistas e abre caminho para uma 6ª edição que já promete novidades.

    A rigor, ela seria apenas um apêndice da 4ª, porque apresenta os trabalhos que, por algum motivo, não puderam figurar no lançamento daquela. Mas ela mesma também possui os seus trunfos importantes:

    - um deles é que, com a edição, ultrapassamos a marca de 50 textos publicados desde o 1º número. Uma grande conquista.

    - outro é o aspecto de prata da casa que assumiu, por acaso e não por decisão.

    - e um terceiro trunfo é idéia, ainda em elaboração, de um edição, em cd-rom, que reúna os cinco primeiros números da revista, criando um outro meio de divulgação. É trabalhar para ver.

    Mas agora me finalizo, apenas dizendo que essa edição, especial, conta com um total de oito artigos, sendo três deles de um dossiê que reúne os premiados do II SePesq e ao qual ainda serão acrescidos outros textos.

    Aproveitem as leituras.

    Saudações virtuais.


    Rerisson Cavalcante de Araújo

     

  • Inventário
    n. 4 (2005)

    Chegando à sua quarta edição, a revista eletrônica dos pós-graduandos do ILUFBA, Inventário, contabiliza um incremento significativo na quantidade de artigos e colaborações. Acreditamos que para esse aumento contribuiu tanto o trabalho de divulgação feito ao longo dos últimos dois anos pelas sucessivas Comissões Executivas, com o inestimável apoio da Coordenação do PPGLL, quanto a expansão da informática e da internet em nossas vidas cotidianas, em especial entre a comunidade universitária. 

    Muitos de nós conferem os e-mails praticamente enquanto escovam os dentes, marcando o início de uma rotina feita de variadas conexões com o computador e com a rede mundial de informações. Cada vez mais incorporamos o hábito de resolver burocracias e negócios através de sites especializados e, “enquanto isso”, lemos jornais e blogs, fazemos pesquisas acadêmicas, planejamos férias, etc, naturalizando o modo interativo e multifacetado de adquirir saberes a que o PC on-line dá acesso.

    Adaptando-se a essa dinâmica, a revista Inventário adota, a partir de agora, um regime de atualização flexível. As duas edições anuais passam a constituir momentos programados para a divulgação ampliada da revista, tendo em vista estimular a leitura da mesma e o envio de novos artigos, que serão pendurados tão rapidamente quanto possível.

    Merece também destaque, nesta edição, a expressiva quantidade de artigos que abordam temas da Lingüística, dois dos quais dedicados aos fenômenos da linguagem que se observam, justamente, nos textos veiculados através da internet.

    À diversidade de idéias e perspectivas que tem caracterizado nossa revista, a Inventário articula agora a agilidade requerida pelo universo hipertextual, buscando consolidar este espaço dedicado ao intercâmbio dos conhecimentos produzidos na área de Letras. Boas leituras!


    Jesiel Oliveira Filho
    Editor

  • Inventário
    n. 3 (2004)

    EDICOLA ELETRÔNICA

     

    Tomando emprestado o título de uma das quinze obras da artista plástica Silva Felci - Edicola azzurronero - que enriquecem essa edição da revista, chamou-se o editorial de Edicola Eletrônica. Edicola vem do latim aedicula (pequeno templo) e possui, em língua italiana, dois significados: chamava-se, antigamente, edicola uma pequena construção que continha uma estátua ou uma imagem sacra; em seguida, passou a significar um quiosque utilizado para vender jornais e similares. Além disso, segundo os verbetes do Dicionário Houaiss (2001, p. 1099), edícula possui, em língua portuguesa, dois significados: 1. pequena casa; 2. nicho para colocar imagem de santo; oratório; de acordo com a etimologia latina, o significado primitivo do vocábulo era: lar, local onde se acende um fogo, uma lareira. Hoje, poderíamos ainda, acrescentar um terceiro uso do significante edicola: quiosque virtual para a divulgação e venda de revistas, de livros através do meio eletrônico, ou seja, remete-se a uma edícula eletrônica. Exatamente essa é a definição e o propósito da revista dos estudantes do programa de pós-graduação da Ufba, Inventário. A revista, desde o seu surgimento, em setembro de 2003, visa a tornar públicas e difundir, nacional e internacionalmente, graças à acessibilidade e ubiqüidade do meio eletrônico, as pesquisas desenvolvidas por vários grupos e a efervescência intelectual que anima os programas de pós-graduação das universidades brasileiras, bem como estrangeiras, relacionadas com as áreas de letras, ciências humanas e afins.

    Os dois primeiros números, cada um possuindo um Conselho Executivo rotativo, caracterizaram-se pela prevalência de artigos e dossiês referentes aos estudos culturais e associados à memória cultural brasileira. Neste número, tentou-se dar uma atenção maior às pesquisas da área de lingüística histórica, contemporânea e aplicada. Três dos cinco artigos dizem respeito a questões debatidas no âmbito da lingüística contemporânea: fonética e fonologia (Vera Pacheco /IEL/Unicamp), gramaticalização (Raquel Meister Ko. Freitag /PPGL/UFSC) e tradução intersemiótica (Sergio Romanelli /PPGLL/Ufba); e dois outros se relacionam a assuntos associados com os estudos literários: a memória cultural (Alexandra Santos Pinheiro/ IEL/Unicamp) e gênero e identidade (Íris de Carvalho Sá Hoisel/ PPGLL/Ufba).

    O numero três, por sua vez, dá continuidade a uma tradição editorial iniciada no número dois da revista - com a publicação do dossiê Caetano Velloso organizado pela Prof.a Dr.a Eneida Leal Cunha (PPGLL/Ufba) - apresentando o dossiê De teorias contemporâneas da lingüística para a historia da língua portuguesa, organizado pela Prof.a Dr.a Rosa Virginia Rosa Barreto de Mattos Oliveira e Silva (PPGLL/Ufba). Neste segmento, estão reunidos oito artigos, resultantes de alentadas monografias referentes às disciplinas que a professora ministrou, no segundo semestre de 2003, nomeadamente, Seminários Avançados III (LET 678) e A língua portuguesa das origens ao período arcaico (LET 666).

    Com o intuito de tornar essa edicola sempre mais atualizada, não somente no que diz respeito aos debates da cultura acadêmica contemporânea, mas também aos critérios estéticos próprios aos novos templos do sagrado mundo da Web, tomou-se a iniciativa de oferecer aos nossos leitores uma apresentação gráfica do referido site, completamente renovada.

    Agradecendo, finalmente, a todos os membros do Conselho Executivo, do Conselho Editorial, bem como a todos os autores, à artista plástica, Silva Felci, ao web designer, Gilmário Nogueira, e a todos os outros colaboradores, tem-se a certeza de ter entregado à grande edícula eletrônica um produto de qualidade e representativo dos debates culturais da academia brasileira. Convidam-se então todos os leitores a acessarem nosso templo, com entusiasmo, interesse, fervor herético e crítico.

    Sergio Romanelli

    Editor

     

  • Inventário
    n. 2 (2004)

    É com grande satisfação que disponibilizamos este segundo número de Inventário, revista especializada em divulgar a produção científica de estudantes de pós-graduação de universidades do Brasil e do mundo. Inventário, lançada em agosto de 2003 pelos estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Lingüística da UFBA, conta com um conselho editorial formado por professores de diversas instituições universitárias e seus artigos abrangem as áreas de conhecimento às quais seus autores se vinculam.

    Este segundo número apresenta  três artigos de estudantes de instituições universitárias brasileiras e quatro artigos que compõem o "Dossiê Caetano Veloso". Este último é um produto da Disciplina Estudos Culturais, ministrada na UFBA, no primeiro semestre de 2002, pela Profª Drª Eneida Leal Cunha.

    Contamos também com a participação de artigos de estudantes de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade do Quebec em Montreal (UQAM), Quebec, Canadá. São artigos oriundos do Seminário "Biografia e imaginário do arquivo", ministrado pelo Prof. Dr. Bernard Andrès, Titular do Departamento de Estudos Literários da UQAM, no semestre de outono 2003. Este dossiê vem confirmar a nossa linha editorial ao promover a interação com estudantes de pós-graduação brasileiros e do exterior através da apresentação de trabalhos de reconhecida qualidade acadêmica.

    O número 02 de Inventário é completado com a apresentação de resenhas de professores e estudantes de Pós-Graduação.

    Os editores e os conselheiros agradecem a todos que colaboraram com esta edição e, desde já, colocamo-nos disponíveis às sugestões, tendo sempre em vista a melhoria da qualidade de Inventário.

     

    Vilma Mota Quintela

    Editora do número 02

    Abril de 2004

     

  • Inventário
    n. 1 (2003)

    É com grande prazer e satisfação que apresento o número 01 de Inventário - Revista dos estudantes do Programa de Pós-Graduação em Letras e Lingüística da Universidade Federal da Bahia (PPGLL/UFBA). Inventário  é uma iniciativa dos estudantes do PPGLL, com o apoio da Coordenação do Programa. Inventário se destina a publicar exclusivamente artigos de estudantes de Cursos de Pós-Graduação em Letras, Artes e Ciências Humanas e Sociais, matriculados em instituições nacionais e estrangeiras de reconhecido mérito acadêmico, oferecendo mais um espaço de difusão e discussão da produção acadêmica discente.

    Com o objetivo de assegurar a excelência de nossa publicação, todos os artigos apresentados são analisados por uma Comissão Editorial composta por professores e pesquisadores de diversas universidades e instituições de pesquisa brasileiras. A Comissão Executiva, integrada por estudantes do PPGLL/UFBA, responsabiliza-se pelo trabalho de encaminhamento dos artigos aos pareceristas e pela montagem da revista de acordo com os critérios de publicação adotados.

    Nossa proposta passa ainda pela valorização de todo o processo de publicação de um periódico, capacitando-nos para as diferentes atividades que a vida acadêmica nos impõe. Dentro desta perspectiva, a preparação dos números semestrais de Inventário fica sob a responsabilidade de um(a) editor(a) rotativo(a).

    Ao escolher a via da publicação eletrônica, procuramos não só valorizar este meio junto à comunidade acadêmica, como também oferecer a possibilidade de uma maior difusão de nossas reflexões e pesquisas vez que a internet tem se revelado um meio importante para a propagação de saberes no mundo atual.

    Aproveito a ocasião para agradecer a todos os membros da Comissão Editorial e da Comissão Executiva pelo esforço coletivo em colocar à disposição de todos os leitores "virtuais" o resultado de nosso trabalho em conjunto.

     

    Sérgio Barbosa de Cerqueda

    Editor do número 01