MULHERES NEGRAS ERGUENDO A VOZ

Autores

  • Lívia Maria Costa Sousa Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Escrita de mulheres negras. Literatura Negra. Erguer a voz.

Resumo

Refletir sobre as produções negras africanas e afrodiaspóricas, as violências representacionais experienciadas pelas pessoas negras e a forma como suas produções requerem instrumentos analíticos que extrapolam os forjados pela tradição literária hegemônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Maria Costa Sousa, Universidade Federal da Bahia

Graduada em Letras Vernáculas pela Universidade do Estado da Bahia(2014), Campus I, Salvador. Realiza pesquisas acerca da Literatura Comparada, Literatura Africana de Língua Portuguesa e Estudos Culturais. Atualmente é mestra e doutoranda em Literatura e Cultura  na Universidade Federal da Bahia (2015), além de ser graduanda em Filosofia também pela Universidade Federal da Bahia. 

 

Referências

Ayoh’OMIDIRE, Félix. YoruBaianidade: Oralitura e matriz epistêmica nagô na construção de uma identidade afro-cultural nas Américas. 1. Ed. Salvador: Editora

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: A África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

CABAÇO, José Luís. Moçambique: identidade, colonialismo e libertação. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CHIZIANE, Paulina. Niketche: uma história de poligamia. São Paulo: Companhia das Letras.

CHIZIANE, Paulina. Não volto a escrever. Basta. Entrevistador: José Maria Remédios, em 11 de julho de 2016. Disponível em: http://www.geledes.org.br/paulina-chiziane-nao-volto-escrever-basta/#gs.v_K1_kA. Acesso em: 9 de janeiro de 2017.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Tradução Jamile Pinheiro Dias. 1ª ed. São Paulo, Boitempo, 2019.

_________. O que é um nome? Mulherismo, Feminismo Negro e além disso. In: Cadernus Pagu, n.51, 2017.

COUTO, Mia. Cronicando. Lisboa: Caminho, 1991.

DELEUZE, Gilles, GUATTARRI, Felix. Introdução: rizoma. In: DELEUZE, Gilles, GUATTARRI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Trad. Aurélio Guerra Neto, Celia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

DIOGO, R. E. G. Paulina Chiziane: as diversas possibilidades de falar sobre o feminino. In: SCRIPTA. Belo Horizonte, v. 14, n. 27, pp. 173-182, 2º sem. 2010

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho de minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. In: ALEXANDRE, Marcos Antônio (Org.). Representações performáticas brasileiras: Teorias, Práticas e suas interfaces. Belo Horizonte: Mazza, 2007.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. de Renato da Silveira Salvador: EDUFBA: 2008.

FOUCAULT, Michael. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

FREITAS, Henrique. O arco e a arkhé: ensaios sobre literatura e cultura. Salvador: Editora Ogum’s Toques Negros, 2016.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HOOKS, Bell. Olhares negros: raça e representação. Tradução de Stephanie Borges. 1ª ed. São Paulo: Elefante, 2019.

HOOKS, Bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. Tradução de Stephanie Borges. 1ª ed. São Paulo: Elefante, 2019.

JAMES, G. M. Legado Roubado. Tradução de VA, E.U.: United Brothers Communications Systems, 1989.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação – episódios de racismo cotidiano. 1. ed. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

KONGO, Rita Mboshu. Família como ambiente natural. Disponível em: http://www.osservatoreromano.va/pt/news/familia-como-ambiente-natural. Acesso em 2 de setembro de 2017.

LORDE, Audre. Irmã outsider: ensaios e conferências. Tradução de Stephanie Borges. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

MARQUES, G. B. Reaprender a História. Revista Terceiro Mundo, nº 58. Moçambique, nov. 1983.

MARTINS, Leda Maria. O feminino corpo na negrura. In: Revista de Estudos de Literatura. Belo Horizonte, v. 4, p. 111 – 121. Outubro de 1996.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Tradução de Marta Lança. Lisboa: Antígona Editores, 2014.

_________. As formas africanas de auto-inscrição. In: Estudos Afro-asiáticos, Ano 23, nº1, 2001, p. 171-209.

MOMPLÉ, Lília. A mulher escritora e o cânone. In: MÃO-DE-FERRO, Ana Maria (org). A mulher escritora em África e na América Latina. Évora: Editorial Num, 1999.

MUDIMBE, Valentin Yves. A invenção de África: Gnose, filosofia e a ordem do conhecimento. Luanda: Edições Pedago; Edições Mulemba, 2013.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do Poder e Classificação Social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo; Editora Cortez. 2009.

RAMOSE, M. Sobre a Legitimidade e o Estudo da Filosofia Africana. Tradução de Rafael Medina Lopes, Roberta Ribeiro Cassiano Dirce Eleonora Nigro Solis. Rio de Janeiro: Ensaios Filosóficos, v. IV - outubro 2011, 2011.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? 1ª ed. Belo Horizonte: Letramento, 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pelas Mãos de Alice. O Social e o Político na Pós-Modernidade. 7º. ed. Porto: Edições Afrontamento, 1999.

SAR, Felwine. Afrotopia. 1. ed. Traduzido por Sebastião Nascimento. São Paulo: n-1edições, 2019.

SAUNDERS, Tânia. Epistemologia negra sapatão como vetor de uma práxis humana libertária. In: Periodicus. n.7, mai-out 2017, p. 102-116.

SOUZA, Florentina da Silva. Afro-descendente em Cadernos Negros e Jornal do MNU. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2006.

SOUZA, Lívia M. N. Intelectuais negras e racismo institucional: Um corpo fora de lugar. Revista ABPN, v. 10, p. 748-764, 2018.

SOMÉ, S. O espírito da intimidade: ensinamentos ancestrais africanos sobre maneiras de se relacionar. São Paulo: Odysseus, 2003.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 133p., 2010 [1985].

TRINDADE, C. C. Como as instituições de microcrédito promovem a autonomia das mulheres em Moçambique – Estudo de caso da Tchuma, cooperativa de crédito e poupança. Revista Zona de Impacto. Ano 16, Vol. 2 - Julho/Dezembro, 2014.

Downloads

Publicado

2021-09-06

Edição

Seção

Artigos