AS MARIAS

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER CONTEMPORÂNEA NO CONTO DE CONCEIÇÃO EVARISTO E MARTA HELENA COCCO

Autores

Palavras-chave:

Literatura feminina, Representação feminina, Conto contemporâneo, Conceição Evaristo e Marta Cocco.

Resumo

A produção literária escrita por mulheres por muito tempo sofreu resistência. Contudo, no século XXI, a mulher foi reconhecida como escritora conquistando, definitivamente, seu espaço na literatura. Com essa conquista, as escritoras Conceição Evaristo e Marta Cocco expõe a problemática que a mulher enfrenta no cotidiano urbano para sobreviver com foco voltado para violência e preconceito. Em suas produções contísticas, as personagens são mulheres, protagonistas das suas próprias histórias. Assim, na literatura contemporânea a mulher como escritora e como personagem passa a ter vez e voz revelando sua forma de pensar e ver o mundo e, sobretudo, apontar a problemática que a mulher, ainda enfrenta na sociedade. Nesse sentido, este trabalho busca refletir sobre a representação da mulher contemporânea no conto “Maria” que compõe a obra Olhos d’água (2016) de Conceição Evaristo e do conto “Cinco Marias” da obra Não presta pra nada (2018) de Marta Cocco. O texto apresenta um breve contexto dos embates e as conquistas por um espaço de reconhecimento da escrita feminina na literatura, bem como busca mostrar as Marias representadas nessas narrativas como protagonistas expondo sua condição social como mulher e negra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Maria Alves de Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso

Formada  em Letras pelo Centro Universitário de Maringá (CESUMAR), Pós graduação em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira pela União das Faculdades de Alta Floresta (UNIFLOR) e Mestranda pela Programa de Pós-Graduação em Letras pela Universidade do Estado de Mato Grosso campus de Sinop-MT (UNEMAT) e professora da rede estadual de ensino  da SEDUC/MT.

Referências

CANDIDO, A. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos 1750-1880. 15ª ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2014.

CANDIDO, A. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 5. ed. São Paulo. Editora Nacional, 1976.

COCCO, M. H. Não presta pra nada. 2ª ed. 3ª reimpressão. Cuiabá-MT: Carlini & Caniato Editorial, 2018.

EVARISTO, C. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2º sem. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4365/4510. Acesso em: 22 de março, 2021.

EVARISTO, C. Olhos d’água.1ª. ed. 3ª reimpressão. Rio de Janeiro: Pallas: Fundação Biblioteca Nacional, 2016.

PEREIRA, H. G.; LISBÔA, N. de S. Análise decolonial das personagens femininas da obra Olhos d´água, de Conceição Evaristo. ANTARES: Letras e Humanidades, Caxias do Sul, v. 11, n. 22, jan./abr. 2019 p. 159-177. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/antares/article/view/7101/3808. Acesso em: 23 de março de 2021.

SCHMIDT, R. T. Repensando a cultura, a literatura e o espaço da autoria feminina. In: NAVARRO, M. H. (Org). Rompendo o silêncio: gênero e literatura na América Latina. Porto Alegre. Editora da UFRGS, 1995. p. 182-189.

SCHOLLHAMMER, K. E. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

STREG, S. Voz que fala e voz que fala no conto Chuva Benta e Palavra Difícil de Marta Helena Cocco. 2019. Dissertação de Mestrado (Curso de Pós-Graduação em Letras, Faculdade de Educação e Linguagem), Campus de Sinop, Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop. 2019.

ZOLIN, L. O. Crítica Feminista. In: BONNICI, T. ZOLIN, L. O. (Org.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. 4. ed. Maringá: Eduem, 2019. p. 211-237.

ZOLIN, L. O. Literatura de autoria feminina. In: BONNICI, T. ZOLIN, L. (Org.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. 4. ed. Maringá: Eduem, 2005. P. 319-330.

Downloads

Publicado

2021-09-06

Edição

Seção

Artigos