VER PARA SER

O ESPAÇO URBANO NO ROMANCE A CIDADE SITIADA, DE CLARICE LISPECTOR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i73.48285

Palavras-chave:

Cidade, Espaço, Clarice Lispector, A cidade sitiada

Resumo

Este artigo visa a investigar a representação do espaço urbano no romance A cidade sitiada, de Clarice Lispector. Para atingir esse objetivo, analisa-se as noções de espaço e cidade, segundo Pesavento (2002; 2007) e Certeau (1994), e de espaço enquanto categoria de análise literária, de acordo com Borges Filho (2007) e Brandão (2007), bem como verifica-se a forma como a urbe está representada na narrativa, tanto no plano social quanto no psicológico da protagonista Lucrécia Neves. Conclui-se que a personagem, ao transitar na pequena São Geraldo e na cidade grande, utiliza o seu olhar para se identificar com os elementos do espaço, constituindo-se enquanto sujeito, ao mesmo tempo em que dá significado ao mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathaline Marchett, Universidade de Caxias do Sul

Nathaline Bachi Marchett é mestranda no Programa de Pós-Graduação em Letras e Cultura da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e licenciada em Letras – Língua Portuguesa pela mesma instituição (2020).

Márcio Alves, Universidade de Caxias do Sul

Márcio Miranda Alves é Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP). Coordena o Mestrado em Letras e Cultura da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e edita a revista Antares: Letras e Humanidades, da mesma universidade. Desenvolve atualmente as pesquisas: As fontes do discurso histórico-cultural no romance inglês: séculos XIX e XX e Modulações contemporâneas do Regionalismo literário brasileiro. Publica em periódicos acadêmicos e nesses tem se dedicado frequentemente a estudos sobre a obra de Erico Verissimo. Seu livro Erico Verissimo e o jornalismo: fontes para a criação literária foi lançado em 2018 pela Paco Editorial.

Referências

BORGES FILHO, Ozíris. Espaço e literatura: introdução à topoanálise. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2007.

BRANDÃO, Luis Alberto. Espaços literários e suas expansões. Aletria, v. 15, p. 207-220, jan./jun., 2007.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. Tradução por Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Tradução por Ephraim Alves e Lúcia Orth. Petrópolis: Vozes, 1994.

DALCASTAGNÈ, Regina. Sombras da cidade: o espaço na narrativa brasileira contemporânea. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 21, p. 33-53, jan./jun. 2003.

IGNÁCIO, Ewerton de Freitas. Nostalgia, fuga, prisão: campo e cidade em três romances brasileiros do século XX. 2008. 206 f. Tese. (Doutorado) Instituto de Biociências, Letras e Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

LISPECTOR, Clarice. A cidade sitiada. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

MARQUARDT, Cristina Rosito. O sítio à realidade dos afetos em A cidade sitiada de Clarice Lispector. 2000. 243 f. Dissertação. (Mestrado) Curso de Pós-Graduação em Letras, Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

OLIVEIRA, Kátia Isidoro de. Silêncios e espetáculos: leitura comparada de A Cidade Sitiada (1949), de Clarice Lispector e Noites no Circo (1984), de Angela Carter. 2017. 198 f. Tese. (Doutorado) Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, Assis.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 27, n. 53, p. 11-23, jun. 2007.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano: Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. 2. ed. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 2002.

WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade na história e na literatura. Tradução por Paulo Henriques Brito. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

MARCHETT, N.; ALVES, M. VER PARA SER: O ESPAÇO URBANO NO ROMANCE A CIDADE SITIADA, DE CLARICE LISPECTOR. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 73, p. 238–260, 2022. DOI: 10.9771/ell.i73.48285. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/48285. Acesso em: 7 dez. 2022.