“TESTOU POSITIVO PARA COVID-19”: CONSTRUÇÃO, METÁFORA, METONÍMIA

Autores

  • Sandra Bernardo UERJ
  • Naira Velozo Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Wellington Almeida Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i69.44298

Palavras-chave:

Gramática de Construções, Metáfora, Metonímia, COVID-19, TXPY.

Resumo

Análise da construção resultativa testar positivo/negativo para coronavírus/COVID-19 (TXPY) nas formas finita e infinitiva, com vistas a postular uma descrição para essa construção que tem sido amplamente usada nas modalidades falada e escrita da imprensa e nas interações entre usuários de português. Como arcabouço teórico foram recrutados os modelos de Gramática Cognitiva de Goldberg (1995) e de Goldberg e Jackendoff (2004), bem como o trabalho de Leite (2006) sobre construções resultativas do português. A conceptualização proposta para TXPY também se baseou em processos metafóricos, metonímicos e estruturas conceptuais, como esquema imagético, domínio-matriz, frame e espaço mental. Trata-se de uma análise qualitativa de dados selecionados da Internet. A partir da fundamentação teórica, aliada aos mecanismos de coerção e de subdeterminação da gramática (LANGACKER, 2009), essas ocorrências revelaram a noção basilar de que conceptualizadores valem-se da semântica da construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-15

Como Citar

BERNARDO, S.; VELOZO, N.; ALMEIDA, W. “TESTOU POSITIVO PARA COVID-19”: CONSTRUÇÃO, METÁFORA, METONÍMIA. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 69, p. 231–259, 2021. DOI: 10.9771/ell.v0i69.44298. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/44298. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES