#POEMAS NA REDE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i70.43396

Palavras-chave:

Poemas digitais, Leitor jovem, Ensino médio

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir sobre o gênero poemas digitais que circulam na internet e em decorrência disso pensar na formação do leitor jovem. Para tal, são apresentados conceitos importantes como: conhecimentos em rede, poesia digital, hipertexto, multimodalidade, ciberespaço e o perfil do leitor da atualidade. Assim, várias leituras relacionadas ao tema foram discutidas e o que se constata é que esta inovação tecnológica pode ser um meio para formar leitores do Ensino Médio, já que esses jovens fazem frequentemente uso dos meios eletrônicos e tem familiaridade com esses aparatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margarete Maria Soares Bin, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Doutora pela UPF de Passo Fundo-RS. Professora Universitária-UEMS.

Referências

ANTONIO, Jorge Luiz. Artemídia e cultura digital. São Paulo: Musa Editora, 2008.

ARAÚJO. Mônica Daisy Vieira. Práticas de leitura literária digital entre leitores jovens. UFMG. Belo Horizonte, 2016.

CARVALHO, Audrei Aparecida Franco de. Poesia concreta e mídia digital. Dissertação do Mestrado de Comunicação e Semiótica-Signo e Significação das mídias. PUC, SP, 2007.

COUTO, Edvaldo Souza; Ler e escrever na cultura digital: rotas, nexos e redes móveis. In: ROSING (Org.). Literatura e Identidade na era da mobilidade. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2016.

DOMINGOS, Ana Cláudia Munari. Hiperleitura e escrileitura: convergência digital, Harry Potter, cultura de fã. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

FERREIRA, Ana Paula. Espaço e poesia na comunicação em meio digital. 2010. 361 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) -Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

HAYLES, Katherine N. How we think: Digital Media and Contemporary Technogenisis. The University of Chicago Press, 2012.

IRBY, Cameron Lee. Ensinando Literatura Eletrônica: Métodos e Integração. 2018. f. Tese (Doutorado em Artes, Educação e Ciências) - Universidade de Louisiana, Monroe, 2018.

KIRCHOF, E. R. Hipertexto e ensino: a poesia digital. In: AnpedSul 2008 -VII Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul: Pesquisa em Educação e inserção social, 2008, Itajaí (SC). VII Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul - Pesquisa em Educação e inserção social. Itajaí (SC): UNIVALI, 2008.

LAIN, Suzana Maria. Poesia na rede: a palavra no meio do caminho de um território mutante, 2013, Porto Alegre, universidade Federal do Rio Grande do Sul.

LANGER, Judith A. Pensamento e experiência literários: compreendendo o ensino de literatura. Tradução Luciana Lhullier Rosa, Maria Lúcia Bandeira Vargas. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2005.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

LIMA JÚLIOR, Arnaud S. Tecnologias Inteligentes e Educação: currículo hipertextual. Quartet, RJ, 2005.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. O Hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula. Linguagem & Ensino (UCPel), Pelotas - RS, v. 4, 2001.

NELSON, Theodor Holm. Literary Machines. 83.1. Sausalito, Califórnia, EUA: Mindful Press, 1993.

PEREIRA, Vinícius Carvalho. Por uma poesia algorítmica. Experiências estéticas com Peter’s Haiku Generator. AletriA, v.23, n.3, p. 173-194, set.-dez.2013.

PETIT, Michèle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Ed. 34, 2008.

RAMAL, Andrea Cecília. Educação na cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2012.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

SALES, C. de M.V. Juventudes, novas experimentações, conexões e interatividade. In: XV CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 2011, Curitiba. Anais. Campinas Curitiba, jan. 2009.

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da Linguagem e pensamento: sonora visual verbal. 3ª ed. São Paulo: Iluminuras: FAPESP, 2005.

SANTAELLA, Lúcia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2007.

SANTOS, Alckmar Luiz dos. Leituras de nós: ciberespaço e literatura. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

TAVARES, Otávio Guimarães. REVISTA CALIBAN. As Vísceras do Amor de Clarice. Dez 22, 2017. http://telepoesis.net/dialogos.html.

TORRES, Rui. Poesia digital: cruzamento de linguagens. Entrevista via Skype. MESA 3 – Leitura, literatura e linguagens: novas topografias textuais. Com Alckmar Luiz dos Santos, Ana Elisa Ferreira Ribeiro e Renata Loureiro Frade. Seminário Internacional de Leitura, Literatura e Linguagens. 16ª Jornada Nacional de Literatura, org. Universidade de Passo Fundo (UPF) e Prefeitura de Passo Fundo, RS, Brasil, 2017.

VIEIRA, Flaviano Maciel. Como ler poéticas digitais-perspectivas de leituras. UFPB, João Pessoa, Paraíba, 2017.

WITTE, Bernd. A escrita na era de sua reprodutividade eletrônica. In: COUTO, Edvaldo, Souza; DAMIÃO, Carla (Orgs.). Walter Benjamin: formas de percepção estética na modernidade. Salvador: Quarteto, 2008.

YUNES, Eliana. Tecendo um leitor: uma rede de fios cruzados. Curitiba: Aymará, 2009.

Downloads

Publicado

2021-12-11

Como Citar

BIN, M. M. S. #POEMAS NA REDE. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 70, p. 598–613, 2021. DOI: 10.9771/ell.i70.43396. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/43396. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES