RUÍNAS DA MEMÓRIA: AS METAMORFOSES DE MANAUS, EM DOIS IRMÃOS, DE MILTON HATOUM

Autores

  • Irlomar Ferreira Martins Universidade do Estado do Amazonas
  • Marcos Frederico Krüger Aleixo Universidade do Estado do Amazonas

Palavras-chave:

Memória, Manaus, Modernidade, Dois Irmãos

Resumo

Este estudo analisou como questões sócio-históricas sobre o povo e a cidade de Manaus estão representadas na obra Dois Irmãos (2006), do escritor Milton Hatoum. Apoiada na memória, a ficção hatouniana revisita o passado de Manaus, suscitando a história de um povo que no decurso dos anos foi vítima das graves consequências do projeto de modernidade instaurado em solo manauara. Nael, o narrador-personagem, trilha um percurso histórico e revela as metamorfoses pelas quais a sociedade e a capital amazonense passaram. Nesse processo, identificaram-se aspectos da crise da borracha que culminaram na criação da Cidade Flutuante, verificaram-se os impactos causados pelo projeto Zona Franca de Manaus, bem como os reflexos do militarismo na cidade por meio de personagens do romance. Com efeito, os ideais de progresso prestigiaram apenas a elite, enquanto a população tornou-se refém de inúmeros processos exploratórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Irlomar Ferreira Martins, Universidade do Estado do Amazonas

Graduado em Letras - Língua Portuguesa, pela Universidade do Estado do Amazonas. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes - PPGLA, da mesma instituição de ensino.

Marcos Frederico Krüger Aleixo, Universidade do Estado do Amazonas

Mestre em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutor em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor membro do Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes - PPGLA - da UEA.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

BORGES, Kárita. A. de Paula. Dois irmãos de Milton Hatoum: um olhar que vem do Norte. 2010. 106 f. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, 2010. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/8268pdf. Acesso em: 21 jun. 2020.

CRISTO, Maria da Luz Pinheiro (Org.). Arquitetura da memória: ensaios sobre os romances Relato de um certo oriente, Dois irmãos e Cinzas do Norte de Milton Hatoum. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas UNINORTE, 2007.

CUNHA, Euclides da. Judas-asvero. In: Amazônia: um paraíso perdido. 2. ed. Manaus: Valer, 2011.

DIAS, Edinea Mascarenhas. A ilusão do fausto – Manaus 1890-1925. 2. ed. Manaus: Valer, 2007.

GONDIM, Neide. A invenção da Amazônia. 2. ed. Manaus: Valer, 2007.

HATOUM, Milton. Dois irmãos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

IANNI, Octavio. O declínio do Brasil-nação. Estudos avançados, São Paulo, v. 14, n. 40, p. 51-58, dez. 2000. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9543. Acesso em: 06 de jul. 2020.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução Bernardo Leitão. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

LIMA, Frederico A. de Oliveira. Soldados da borracha: das vivências do passado às lutas contemporâneas. Manaus: Valer, 2014.

LOWENTAL, David. Como conhecemos o passado. Tradução Lúcia Haddad. Projeto História, São Paulo, v. 17, p. 63-201, jul./dez. 1998.

MAQUÊA, Vera. A escrita nômade do presente: literaturas de língua portuguesa. São Paulo: Arte & Ciência, 2010.

OLIVEIRA, José Aldemir de. Manaus de 1920-1967: A cidade doce e dura em excesso. Manaus: Valer, 2003.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A cidade sobre os ombros: trabalho e conflito no porto de Manaus (1899-1925). 2. ed. Manaus: Edua, 2003.

REZENDE, Maria José de. A ditadura militar no Brasil: repressão e pretensão de legitimidade – 1964-1984. Londrina: Eduel, 2013.

SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

SERÁFICO, José; SERÁFICO, Marcelo. A Zona Franca de Manaus e o capitalismo no Brasil. Estudos avançados, São Paulo, v. 19, n. 54, p. 99-113, ago. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010340142005000200006&-script=sci_arttext. Acesso em: 04 jul. 2020.

SOUZA, Marcio. A expressão amazonense: do colonialismo ao neocolonialismo. 3. ed. Manaus: Valer, 2010.

Downloads

Publicado

2021-12-11

Como Citar

MARTINS, I. F.; KRÜGER ALEIXO, M. F. RUÍNAS DA MEMÓRIA: AS METAMORFOSES DE MANAUS, EM DOIS IRMÃOS, DE MILTON HATOUM. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 70, p. 633–651, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/43038. Acesso em: 25 jan. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES