MOTIVAÇÕES BOTÂNICA E RELIGIOSA NA TOPONÍMIA CONTEMPORÂNEA EM SERGIPE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i68.41964

Palavras-chave:

Toponímia, Onomástica, Fitotopônimos, Hierotopônimos, Sergipe.

Resumo

Este trabalho descreve e analisa os elementos de naturezas física e antropocultural de maior ocorrência na toponímia sergipana, a saber: a vegetação e a religiosidade. Por meio de postulados teórico-metodológicos propostos por Dick (1990a, 1990b, 2007), amplamente aplicado a corpora toponímicos no Brasil, identifica-se que, dos 464 nomes de núcleos de povoamento rurais e urbanos de Sergipe, cerca de um quinto desse corpus são formados por Fitotopônimos (19,6% do total), além da toponimização de elementos cristãos, como elemento inicial ou final da estrutura toponímica, em 61 localidades (13,1% do total). O tratamento dos dados permitiu, ainda, identificar a sobressalência de padrões morfológicos e lexicais nesses signos linguísticos, como o sufixo -eir- em nomes de árvores e a hegemonia católica entre os nomes de motivação semântica religiosa, dada a diversidade de santos e santas e de entidades marianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cezar Alexandre Neri Santos, Universidade Federal de Alagoas

Professor do curso de Letras/Língua Portuguesa da Universidade Federal de Alagoas - Campus do Sertão. Doutor em Linguística Histórica pelo Programa de Pós-graduação em Língua e Cultura da Universidade Federal da Bahia (PPGLinC/UFBA).

Downloads

Publicado

2021-05-28

Como Citar

Neri Santos, C. A. (2021). MOTIVAÇÕES BOTÂNICA E RELIGIOSA NA TOPONÍMIA CONTEMPORÂNEA EM SERGIPE. Estudos Linguísticos E Literários, (68), 568–596. https://doi.org/10.9771/ell.v0i68.41964

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES