RASTROS DO RITMO EM TESTEMUNHOS DA TRADIÇÃO MANUSCRITA E IMPRESSA EM UMA COMPOSIÇÃO DE FULGÊNCIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i68.38969

Palavras-chave:

Crítica textual, Fulgêncio, Versificação, Tetrâmetros trocaicos.

Resumo

Este trabalho apresenta testemunhos da tradição manuscrita e impressa e discute sobre o processo de estabelecimento de uma composição poética do prólogo prosimétrico das Mitologias de Fulgêncio, o Mitógrafo, autor latino tardo-antigo e norte-africano. Realiza-se, pois, um estudo de alguns códices e edições que integram, respectivamente, sua tradição manuscrita e impressa, discutindo-se ainda sobre a eventual necessidade de que os tradutores de textos antigos – para além de seguirem uma versão do editor – também se voltem ao estudo da história do texto. Ressaltando-se a relevância do critério métrico para a fixação textual de composições poéticas em textos de tradição politestemunhal, o trabalho demonstra como certa prática reiterada de leitura do modelo contribuiu para o tardio reconhecimento desse escrito fulgenciano como o registro mais antigo de versificação acentual em textos de inspiração não cristã.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-05-28

Como Citar

AMARANTE, J.; SANTOS JÚNIOR, C. J. RASTROS DO RITMO EM TESTEMUNHOS DA TRADIÇÃO MANUSCRITA E IMPRESSA EM UMA COMPOSIÇÃO DE FULGÊNCIO. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 68, p. 111–138, 2021. DOI: 10.9771/ell.v0i68.38969. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/38969. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES