O “FOGO DE MINHA FRIEZA”: O TEATRO E A POESIA DE JOSÉ DE ANCHIETA

Autores

  • Flavio Felicio Botton Editora Todas as Musas - USP

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v56i56.17058

Palavras-chave:

Anchieta, teatro, poesia

Resumo

O que esse trabalho pretende é entender o catolicismo ibérico trazido às terras brasileiras por José de Anchieta, sob uma dupla face, associada aos gêneros literários utilizados na obra do jesuíta: o dramático e o lírico. Primeiramente, Anchieta reconhece as vantagens do gênero dramático para o seu propósito imediato. Entre outros benefícios, o teatro, encena a história tornando-a mais concreta e persuasiva, principalmente aos não iniciados no pensamento cristão mais abstrato. Esse é o conhecido talento catequizador de Anchieta, que poderemos encontrar na peça Na aldeia de Guaraparim. Ao lado dessa produção, temos a sua lírica e ela nos apresenta um sentimento cristão subjetivo, sincero e apaixonado. O gênero apropriado para o confessionalismo é aproveitado pelo padre em poemas como Do Santíssimo Sacramento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flavio Felicio Botton, Editora Todas as Musas - USP

Doutor e mestre em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo, editor da Editora e Revista Todas as Musas. Autor de Que enigma havia em teu seio:Ensaios sobre artes plásticas e literatura.

Downloads

Publicado

2017-06-25

Como Citar

BOTTON, F. F. O “FOGO DE MINHA FRIEZA”: O TEATRO E A POESIA DE JOSÉ DE ANCHIETA. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, v. 56, n. 56, p. 51–67, 2017. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v56i56.17058. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/17058. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários