A ARQUITETURA HIPERTEXTUAL EM 253 E THE 21 STEPS

Autores

  • Alice Garcia Silveira UFMT
  • Vinicius Carvalho Pereira UFMT

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v56i56.16183

Palavras-chave:

Ciberliteratura, Hipertexto, Internet.

Resumo

As novas tecnologias constantemente trazem mudanças para a sociedade contemporânea. Da internet, por exemplo, desenvolveu-se a Ciberliteratura, incluindo o que se convencionou chamar de literatura hipertextual. Este artigo visa analisar duas obras desse gênero – 253 e The 21 steps –, a fim de traçar semelhanças e diferenças na arquitetura textual, levando em conta o estágio de desenvolvimento da Web à época em que foram criadas (1.0 e 2.0, respectivamente) e os recursos de hipermídia disponíveis. Pôde-se concluir que as diferenças entre o texto virtual e o impresso não são apenas uma questão de suporte; os recursos digitais podem trazer diferenças significativas quanto à arquitetura narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Garcia Silveira, UFMT

Graduanda em Letras: Português/Inglês pela UFMT

Bolsista PIBIC

Ex-bolsista PIBID

Vinicius Carvalho Pereira, UFMT

Doutor em Ciência da Literatura, pela UFRJ.

Professor do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da UFMT

Downloads

Publicado

2017-06-25

Como Citar

SILVEIRA, A. G.; PEREIRA, V. C. A ARQUITETURA HIPERTEXTUAL EM 253 E THE 21 STEPS. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, v. 56, n. 56, p. 97–106, 2017. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v56i56.16183. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/16183. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários