INGLÊS COMO LÍNGUA INTERNACIONAL: POR UMA PEDAGOGIA INTERCULTURAL CRÍTICA (ENGLISH AS AN INTERNATIONAL LANGUAGE: FOR A CRITICAL INTERCULTURAL PEDAGOGY)

Autores

  • Sávio Siqueira Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v0i52.15557

Palavras-chave:

Inglês como língua internacional. Competência intercultural. Pedagogia crítica.

Resumo

Partindo de crenças, valores, atitudes e expectativas de professores brasileiros de língua inglesa de três realidades educacionais de Salvador (BA), o artigo discute achados do trabalho de tese de Siqueira (2008), que objetivou investigar como esses docentes enxergam sua tarefa de ensinar a língua mundial da contemporaneidade, até que ponto estão conscientes das implicações relacionadas à condição do inglês como língua de contato entres povos de culturas diversas e se (e como) a prática diária desses educadores refletem tais crenças. Os dados foram gerados através de instrumentos como questionário, observação de aulas e entrevistas semiestruturadas, onde foram abordados, sob uma perspectiva mais dinâmica e democrática, tópicos como inglês como língua internacional, competência intercultural e pedagogia crítica. Os resultados advindos do trabalho revelaram-se extremamente relevantes para as discussões sobre as implicações metodológicas, políticas e ideológicas para a educação de língua inglesa nos dias atuais, mas, especialmente, para a reflexão sobre temas que possam contribuir para a (re)construção de um perfil mais adequado de professores não nativos de inglês, propondo, entre outros aspectos, a adoção de uma pedagogia intercultural crítica capaz de empoderá-los na busca por soluções locais para os desafios que a educação linguística contemporânea lhes tem reservado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-01-26

Como Citar

SIQUEIRA, S. INGLÊS COMO LÍNGUA INTERNACIONAL: POR UMA PEDAGOGIA INTERCULTURAL CRÍTICA (ENGLISH AS AN INTERNATIONAL LANGUAGE: FOR A CRITICAL INTERCULTURAL PEDAGOGY). Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 52, 2015. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v0i52.15557. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/15557. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos