A ficção de Pepetela e a ressignificação do discurso da revolução no pós-independência

Autores

  • Daniel Conte Universidade Feevale
  • Paula Terra Nassr UFRGS.

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v0i53.14648

Palavras-chave:

Literatura, Discursos, Pós-Independência, Pepetela.

Resumo

Nas narrativas “o cão e os caluandas” e o “desejo de kianda”, de Pepetela, os personagens trazem as digitais do exercício do poder colonial e fixam os valores da metrópole no espaço negro, fazendo com que permaneçam os efeitos de sentido das vozes da administração lusitana na prática administrativa do pós 75 em angola. Este texto evidencia, a partir da materialidade ficcional de Pepetela, como o discurso de resistência à empresa colonial portuguesa toma outras funções no pós-independência. Os estudos de Bakhtin, Cassirer, Pêcheux, Memmi e Rita Chaves servem como base teórico-crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Conte, Universidade Feevale

Doutor em Literatura Brasileira, Portuguesa e Luso-africana pela UFRGS. Professor do PPG em Processos e Manifestações Culturais e do Mestrado em Letras da Universidade Feevale. Tutor PET-interdisciplinar (FNDE).

Paula Terra Nassr, UFRGS.

Doutoranda em Literatura Luso-africana e Mestre em Teorias do Texto e do Discurso pela UFRGS. Bolsista de Aperfeiçoamento da Universidade Feevale.

Downloads

Publicado

2016-10-12

Como Citar

CONTE, D.; NASSR, P. T. A ficção de Pepetela e a ressignificação do discurso da revolução no pós-independência. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 53, p. 85–103, 2016. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v0i53.14648. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/14648. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários