TU DORIMA ESTÁ CALATO, ¡PUES!: UMA ABORDAGEM OTIMALISTA DA METÁTESE NO ARGOT PERUANO

Autores

  • Thayssa Taranto Ramírez UFF
  • Carlos Alexandre Gonçalves UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v1i47.14459

Palavras-chave:

Língua Espanhola, Argot, Vesre, Metátese, Teoria da Otimalidade

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar o fenômeno da metátese na jeringa peruana com base na Teoria da Otimalidade (TO), em sua versão dita clássica (PRINCE & SMOLENSKY, 1993). A metátese (ali conhecida como vesre) é um processo formal que consiste no reordenamento de sílabas/segmentos de uma palavra para, no argot, (a) encobrir seu significado, (b) imprimir-lhe novos sentidos ou (c) brincar com sua forma. Como exemplo, observamos a utilização de “yapla” e “dorima” em lugar de playa [praia] e marido [cônjuge]. Neste texto, analisamos, com base em restrições universais ordenadas em uma hierarquia de relevância, palavras trissílabas extraídas de um jornal popular peruano: o Ajá, mais especificamente, a “coluna de fofocas” Ya fuiste. Quanto aos resultados, observamos que as formas de superfície são trocaicas, não apresentam rimas ramificadas na sílaba final nem onsets complexos; além disso, violam minimamente a relação de contiguidade entre sílabas. Desse modo, concluímos que o referido processo apresenta regularidade, sendo, portanto, passível de exame com os instrumentos da TO, desde que as demandas de marcação sobreponham as de fidelidade num ranqueamento que reflete bem o conflito entre essas duas principais famílias de restrição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-10-03

Como Citar

RAMÍREZ, T. T.; GONÇALVES, C. A. TU DORIMA ESTÁ CALATO, ¡PUES!: UMA ABORDAGEM OTIMALISTA DA METÁTESE NO ARGOT PERUANO. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, v. 1, n. 47, 2013. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v1i47.14459. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/14459. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos