UMA CIDADE EM POESIA: DOIS POETAS CONTEMPORÂNEOS DE BELO HORIZONTE

Autores

  • Kaio Carvalho Carmona Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v1i49.14438

Palavras-chave:

contemporâneo, poesia, Belo-Horizonte, crítica.

Resumo

O presente artigo aborda algumas discussões teórico-críticas sobre a poesia brasileira contemporânea, tendo em vista a passagem do século XX para o século XXI, e sua relação com as estéticas presentes no século XX, o Modernismo, o Concretismo, a Poesia Marginal. Para tanto, tomamos como análise e exemplo a poética de dois autores contemporâneos da cidade de Belo Horizonte: Maria Esther Maciel e Marcelo Dolabela.  

O presente artigo aborda algumas discussões teórico-críticas sobre a poesia brasileira contemporânea, tendo em vista a passagem do século XX para o século XXI, e sua relação com as estéticas presentes no século XX, o Modernismo, o Concretismo, a Poesia Marginal. Para tanto, tomamos como análise e exemplo a poética de dois autores contemporâneos da cidade de Belo Horizonte: Maria Esther Maciel e Marcelo Dolabela.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-11-03

Como Citar

CARMONA, K. C. UMA CIDADE EM POESIA: DOIS POETAS CONTEMPORÂNEOS DE BELO HORIZONTE. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, v. 1, n. 49, 2014. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v1i49.14438. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/14438. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Estudos Literários