AL BERTO, POETA-EDITOR: AS MARGENS DA POESIA.

Autores

  • Gustavo Cerqueira Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v0i51.13745

Palavras-chave:

Al Berto, crítica literária, edição, literatura portuguesa contemporânea.

Resumo

Este artigo pretende explorar de maneira analítica a primeira década de publicações da poesia do lusitano Al Berto, período compreendido entre 1972 a 1982. Para tanto, destacam-se quatro fatores de sua obra que se relacionam: a recepção (fortuna crítica); a face imagética; o processo marginal das edições – Projets 69, À procura do vento num jardim d’agosto, Meu fruto de morder todas as horas, Mar-de-leva, Dix adresses avant de disparaître e Trabalhos do olhar –; e, por último, o período de exílio em Bruxelas, pouco explorado pela crítica, no qual o poeta se tornou integrante do coletivo de artista intitulado “Montfaucon Research Center”. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-17

Como Citar

GUIMARÃES, G. C. AL BERTO, POETA-EDITOR: AS MARGENS DA POESIA. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 51, 2015. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v0i51.13745. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/13745. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES