Condições periodontais associadas aos fatores socio-econômicos na população adulta em Salvador (BA), 2005

Autores

  • André Luis Moreira
  • Maria Isabel Pereira Vianna
  • Maria Cristina Teixeira Cangussu

DOI:

https://doi.org/10.9771/cmbio.v6i1.4147

Palavras-chave:

doença periodontal - epidemiologia - Salvador, BA.

Resumo

Diversos estudos internacionais têm demonstrado piores condições periodontais em populações com indicadores socioeconômicos desfavoráveis. Entretanto, são escassos os trabalhos no Brasil. Este estudo teve como objetivo identificar a prevalência e a severidade da doença periodontal na população adulta de Salvador e identificar associações entre variáveis individuais, ambientais e familiares com a doença. Realizou-se um estudo de corte transversal, com uma amostra de 372 indivíduos selecionados de 40 famílias sorteadas aleatoriamente em 7 áreas cobertas pelas equipes de saúde bucal do PSF. Todos os adultos presentes no domicílio e que autorizaram o exame foram incluídos no estudo. Utilizou-se a ficha A do Sistema de Atenção Básica – MS e um questionário estruturado, para a obtenção de variáveis sociodemográficas, hábitos de higiene e de risco para a doença, o que foi mensurado através do Índice Periodontal Comunitário (IPC) e de Perda de Inserção Periodontal (PIP), segundo recomendação da OMS. Cerca de 30% dos indivíduos apresentaram profundidade de sondagem superior a 4 mm, e 43% dos sextantes encontravam-se sadios. O sextante inferior direito foi àquele mais afetado: 55,7%. Observou-se uma associação positiva para as variáveis fumo, etilismo e número de escovações por dia. Observa-se a necessidade de intervir de forma efetiva sobre a doença periodontal, em função da sua alta prevalência nesse grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-01-02

Como Citar

Moreira, A. L., Vianna, M. I. P., & Cangussu, M. C. T. (2007). Condições periodontais associadas aos fatores socio-econômicos na população adulta em Salvador (BA), 2005. Revista De Ciências Médicas E Biológicas, 6(1), 39–46. https://doi.org/10.9771/cmbio.v6i1.4147

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)