Epidemia de febre amarela no Brasil em fins do século XIX e início do século XX:

análise de conteúdo em cartas trocadas com o médico Adolpho Lutz

Autores

Palavras-chave:

Febre Amarela, Epidemia, Lutz, Adolpho, Correspondência científica, Informação e Saúde

Resumo

Investiga e analisa a correspondência científica passiva do médico brasileiro Adolpho Lutz
sobre febre amarela na área de Medicina Tropical no Brasil, do final do século XIX até os anos de
1940. Adolpho Lutz foi médico e pesquisador do Instituto Bacteriológico de São Paulo, atualmente Instituto Adolpho Lutz, e do Instituto Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro. A pesquisa é de natureza quali-quantitativa e adota o método de Análise de Conteúdo, objetivando identificar tópicos abordados pelos pares de Lutz, possibilitando o mapeamento das relações terminológicas nas cartas sobre a febre amarela. Foi também identificado o colégio invisível de Lutz por meio da modelagem da rede de correspondentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José Veloso da Costa Santos, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Professora do Departamento de Biblioteconomia, da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Vânia Lisbôa da Silveira Guedes, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Professora do Departamento de Biblioteconomia da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BENCHIMOL, Jaime Larry (Org.). Febre amarela: a doença e a vacina, uma história inacabada. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2001.

BENCHIMOL, Jaime Larry; SÁ, Magali Romero e (Orgs.). Adolpho Lutz: obra completa. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004. 3v. em 10.

CAVALCANTE, Karina Ribeiro Leite Jardim; TAUIL, Pedro Luiz. Características epidemiológicas da febre amarela no Brasil, 2000-2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v.25, n.1, 2016.

CUCKIERMAN, Henrique Luiz. Yes nós temos Pasteur: Manguinhos, Oswaldo Cruz e a história da

ciência no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2007.

FINKELMAN, J. (org.) Caminhos da saúde pública no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002.

LABOISSIÈRE, Paula. Febre amarela: OMS alerta para possível terceira onda de surto. Veja Saúde.

Disponível em: https://saude.abril.com.br/medicina/febre-amarela-oms-alerta-para-possivel-

terceira-onda-de-surto/ Acesso: 13 ago 2020.

LIMA, Nísia Trindade. O Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde: uma história em três

dimensões. In: FINKELMAN, J. (org.) Caminhos da saúde pública no Brasil. Rio de Janeiro: Editora

FIOCRUZ, 2002.

LÖWY, Ilana. Vírus, mosquitos e modernidade: a febre amarela no Brasil entre ciência e política. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006. 427p.

LUTZ, Bertha; LUTZ, Gualter. Contribuição à história da Medicina no Brasil: segundo os relatórios do Dr. Adolpho Lutz como director do Instituto Bacteriológico de São Paulo (1893-1908). Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 39, n.2, p. 177-189, 1943.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 27. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

MONTEIRO, Cândido Borges, et al. Descrição da febre amarela reinante neste ano. Anais Brasileiros de Medicina, Rio de Janeiro, t. 5, 1850.

RODHAIN, François. Prefácio à edição original. In: LÖWY, Ilana. Vírus, mosquitos e modernidade: a febre amarela no Brasil entre ciência e política. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006. p. 7 – 10.

SANTOS, Paulo Roberto Elian dos. Uma abordagem arquivística: os documentos de um laboratório das ciências biomédicas. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 303-323, jan/mar. 2012.

TEIXEIRA, José Maria. Epidemia de febre amarela em Campinas 1889. Anais Brasileiros de Medicina, Rio de Janeiro, t. 55, 1890.

WELFELÉ, Odile. A proveta arquivada: reflexões sobre os arquivos e os documentos oriundos da

prática científica contemporânea. Tradução de Maria Celina de Melo e Silva. Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 65-72, jan./ jun. 2004.

WUCHERER, Otto. Yellow fever on the coast of Brazil. Medical Times, n. 1, 1850.

Downloads

Publicado

2020-09-11

Como Citar

SANTOS, M. J. V. da C.; GUEDES, V. L. da S. Epidemia de febre amarela no Brasil em fins do século XIX e início do século XX:: análise de conteúdo em cartas trocadas com o médico Adolpho Lutz. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 710–718, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57708. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Médicos-Cultural: Informação, Memória, Identidade e Patrimônio