Sobre a Revista

Foco e Escopo

Com periodicidade semestral e publicação digital, a revista Prelúdios está aberta ao recebimento de artigos, resenhas, ensaios fotográficos e entrevistas inéditos de caráter científico – resultantes de pesquisa empírica ou teórica – na área de Ciências Sociais. Os textos remetidos ao processo editorial de arbitragem são avaliados por profissionais da área em sistema de parecer cego.

O recebimento de submissões é em fluxo contínuo, restando à Comissão Editorial definir, a cada semestre, uma data para a reunião definitiva dos trabalhos que farão parte do número seguinte. Seus números poderão ou não ser organizados na forma de dossiês. Profissionais de reconhecida experiência podem vir a compor as edições como autores convidados.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os originais de artigos e resenhas submetidos à revista, se em acordo com a política editorial geral do periódico, serão encaminhados para a apreciação de até três pareceristas anônimos, sendo observado prioritariamente o caráter duplo-cego da avaliação (double blind review).

Os textos originais poderão ser: aceitos sem restrições; aceitos, com revisões a serem feitas pelo(s) autor(es); ou rejeitados. Havendo sugestões de ajustes de natureza formal ou substantiva por parte dos pareceristas, deverão ser acatadas pelo autor, para que o texto seja publicado.

 

Os artigos recebidos serão ordenados por data de chegada ao e-mail da revista e entrarão em uma fila de publicação. Imediatamente, se iniciará o processo de avaliação.

Com vistas a selecionar e publicar unicamente contribuições de qualidade, a Revista Prelúdios adota o seguinte processo de avaliação: Cada artigo será enviado inicialmente para 2 (dois) avaliadores. Caso um dos pareceres seja positivo (com ou sem modificações) e outro seja negativo, a Revista Prelúdios recorrerá a um terceiro parecerista para solucionar o impasse. Somente serão publicados os artigos aprovados por pelo menos dois pareceristas. Para os artigos, há três opções de parecer:

* Aceito (positivo)

* Aceito com sugestões de modificação (aceitação condicionada a mudanças)

* Negado (negativo)

 

Caso o artigo seja “aceito” pelos dois pareceristas iniciais, ele entrará imediatamente nas primeiras posições da fila de publicação (ainda respeitando, dentro da categoria “aceitos”, a ordem de chegada). Caso o artigo seja “aceito com sugestões de modificação”, as críticas e comentários dos pareceristas serão encaminhadas ao autor. O autor terá um prazo de 2 (duas) semanas para realizar as modificações requeridas – prazo prorrogável, impreterivelmente, por mais uma semana, somente em caso de serem requisitadas modificações profundas no trabalho. O artigo somente entrará na fila para publicação após ter retornado à Revista Prelúdios em sua versão final, isto é, já com as correções indicadas pelos pareceristas. Adotando esse procedimento, mesmo que um autor não consiga finalizar seu artigo até a data da primeira chamada, ele poderá continuar seus esforços na certeza de que haverá uma segunda oportunidade para entregar sua contribuição dentro de poucos meses, podendo ela ainda ser publicada na edição do mesmo ano.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Periodicidade

A Revista Prelúdios é uma publicação semestral.

Artigos de temática livre serão publicados em todos os números do periódico. Artigos ligados a dossiês serão publicados quando houver dossiê associado ao número a ser publicado. Resenhas, entrevistas e traduções serão publicados eventualmente, conforme a disponibilidade de material e a programação do número da revista.

 

Expediente

Universidade Federal da Bahia

Reitor: Prof.João Carlos Salles Pires da Silva

Vice-reitor: Prof. Paulo César Miguez de Oliveira

 

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas

Diretor: Prof.ª Maria Hilda Baqueiro Paraíso

Vice-diretor: Prof. Iole Valim

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Coordenadora: Profa. Maria Gabriela Hita

Vice-coordenadora: Profa. Mariana Thorstensen Possas

 

Comissão Editorial Responsável:

Editores

Bruno Vilas Boas Bispo, Universidade Federal da Bahia, Brasil
Joao Rodrigo Araujo Santana, Universidade Federal da Bahia, Brasil
José Adailton Santos, Universidade Federal da Bahia, Brasil
Cláudio Almeida Silva Filho, Universidade Federal da Bahia - UFBA, Brasil
Ubiraneila Capinan Barbosa, Professora EBTT do IFBaiano, Doutoranda do PPGCS/UFBA, Brasil

Editores de Seção

Ubiraneila Capinan Barbosa, Professora EBTT do IFBaiano, Doutoranda do PPGCS/UFBA, Brasil
Danilo Uzêda da Cruz, Universidade Federal da Bahia, Brasil
Cláudio Almeida Silva Filho, Universidade Federal da Bahia - UFBA, Brasil
Thalisson Luiz Maia Santana, Universidade Federal da Bahia, Brasil

 

 

Preparação de textos

Equipe da EDUFBA 

Em sua integralidade, o conteúdo dos textos publicados é de exclusiva responsabilidade dos autores, não implicando necessariamente na concordância da Comissão Editorial, do Conselho Consultivo ou de qualquer profissional envolvido com a publicação deste periódico.

 

 

Declaração de Direito Autoral

Ao enviar o trabalho para ser avaliado pelo Conselho Editorial e/ou pelo corpo de pareceristas, o autor automaticamente concorda com a publicação de seu texto, sem qualquer ônus para os editores, uma vez que a Revista Prelúdios é gratuita e não remunera de forma alguma seus colaboradores. Caso o autor tenha interesse em republicar seu artigo futuramente em coletâneas impressas ou eletrônicas, deverá indicar a Revista Prelúdios - e o referido hipervínculo - como edição original (Exemplo: "Artigo originalmente publicado na Revista Prelúdios, Volume XX, Nº X, Ano XX, etc”).

Indexação

 
 
 

Fontes de Apoio

A Revista Prelúdios conta com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal da Bahia.

Histórico do periódico

Em O Princípio Esperança, Ernst Bloch propõe a recondução da Filosofia e das Ciências Sociais ao estudo das pulsões humanas ligadas à esperança e à sua repercussão no âmbito das relações sociais e do pensamento científico. Na oportunidade, ele qualifica como prelúdios o emergir no pensamento de traços do devir inerentes ao desenvolvimento histórico da realidade social; uma resposta intelectual antecipadora da consciência diante dos incessantes desejos, sonhos e anseios dos indivíduos por uma vida coletiva melhor ou mais favorável. Os prelúdios são, portanto, abstrações pré-conscientes sobre o mundo que levam o sujeito a abandonar “a introversão ou o relacionamento tão-só com o entorno mais imediato” da vida cotidiana para “comunicar-se com o que está além de si mesmo”. Um desdobramento da pulsão de autopreservação humana, que começa pela pulsão da fome, passa pelo interesse na compreensão e superação dos obstáculos inerentes às condições objetivas de existência e chega no “afeto expectante” mais importante da existência humana: a esperança.

Neste sentido, o conceito e a discussão construída por Bloch têm a qualidade de demonstrar como, na consciência, antes de chegar a uma leitura objetiva sobre o desdobramento da realidade social, surgem para o indivíduo pensamentos e elaborações pré-conscientes que antecipam seus termos ao captar, no presente, os primeiros traços de sua manifestação, restando a ele desenvolver uma compreensão mais profunda do vindouro que, naquele momento, pode carecer apenas de uma elaboração mais rigorosa. Algo que, como nos mostra Bloch, foi esquecido por uma perspectiva contemporânea de ciência essencialmente instrumental, voltada para a resposta e a análise de estímulos meramente imediatos da sociedade moderna.

É com este espírito que os discentes do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal da Bahia (PPGCS/UFBA) fundaram, no ano de 2012, em Salvador – BA, a Revista Prelúdios. Pretende-se que ela se torne um canal aberto para exposição, socialização e difusão de reflexões dos estudantes de Ciências Sociais da Universidade Federal da Bahia e de parceiros oriundos de outros centros universitários, sofisticando abordagens teóricas já existentes ou antecipando elementos da realidade social e histórica de modo a contribuir com a emancipação do indivíduo no mundo contemporâneo.