Quem tem medo de sapatão? Resistência lésbica à Ditadura Militar (1964-1985)

Autores

  • Luana Farias Oliveira Universidade Federal da Paraíba

Resumo

Este artigo objetiva-se em resgatar a memória política do Movimento Lésbico brasileiro e visibilizar uma história violentamente desconhecida: a perseguição às lésbicas pela Ditadura Militar (1964-1985), que culmina na ‘Operação Sapatão’, e a resistência incansável das mesmas. Partindo de uma perspectiva feminista, questiono não apenas o apagamento e invisibilidade das resistências lésbicas, mas também a base sexista, racista e classista que o determina. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Farias Oliveira, Universidade Federal da Paraíba

Graduanda em Serviço Social pela Universidade Federal da Paraíba. Membra do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Serviço Social e Política Social na Contemporaneidade - GEPSS, na linha de pesquisa Serviço Social e Políticas Públicas para Mulheres.

Downloads

Publicado

2017-05-18

Como Citar

Oliveira, L. F. (2017). Quem tem medo de sapatão? Resistência lésbica à Ditadura Militar (1964-1985). Revista Periódicus, 1(7), 06–19. Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/article/view/21694

Edição

Seção

Dossie 7 - Sapatão é revolução! Existências e resistências das lesbianidades nas encruzilhadas subalternas