“Para eles eu não existo” - A invisibilidade da negra não heterossexual nas telenovelas brasileiras

Autores

  • Naira Évine Pereira Soares

DOI:

https://doi.org/10.9771/peri.v1i7.21489

Resumo

A presente pesquisa tem como intuito entender e discutir os motivos pelos quais negras não heterossexuais são invisibilizadas na mídia, em especial nas telenovelas. Silva (2015) desenvolveu um trabalho no qual um dos objetivos era elaborar e divulgar um mapeamento da quantidade de personagens LGBTs nas telenovelas da Rede Globo entre 1970 e 2013. Para esse trabalho, houve uma continuidade que engloba o período compreendido entre 2014 e 2016. Constatou-se que em 46 anos a emissora produziu apenas 156 personagens LGBTs, sendo que em sua grande maioria são homens gays brancos e de classe média. Até o momento dessa pesquisa, houve apenas uma negra bissexual, que foi a personagem secundária Adele em Totalmente Demais (2015 – 2016), cuja sexualidade passou quase despercebida. O estudo permite a percepção das causas que comprovam essa invisibilidade e marginalização da sociedade e da mídia, além da importância que há em representar as vivências, experiências, preconceitos e medos de mulheres negras não heterossexuais da forma correta, desviando dos equívocos de estereótipos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naira Évine Pereira Soares

Possui graduação em Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2015) e é pós graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual pela Universidade Estácio de Sá. É documentarista, pesquisadora, fotógrafa, filmmaker e editora, sempre atuando com temas sociais. Atualmente é aluna especial do mestrado em Relações Étnico-Raciais do Cefet/RJ.

Downloads

Publicado

2017-05-18

Como Citar

Soares, N. Évine P. (2017). “Para eles eu não existo” - A invisibilidade da negra não heterossexual nas telenovelas brasileiras. Revista Periódicus, 1(7), 248–262. https://doi.org/10.9771/peri.v1i7.21489

Edição

Seção

Dossie 7 - Sapatão é revolução! Existências e resistências das lesbianidades nas encruzilhadas subalternas