Avaliação da Capacidade Inovativa na Indústria no Uso de Algas Sobre a Ótica Patentária Brasileira

Autores

  • Marcello Carvalho dos Reis Meteora, Fortaleza, CE, Brasil http://orcid.org/0000-0002-1132-9034
  • Rafaelly Rios Dos Santos Meteora, Fortaleza, CE, Brasil
  • Maria Elisa Marciano Martinez Instituto Nacional da Propriedade Industrial, São Paulo, SP, Brasil
  • Marcelo Farid Pereira Universidade Estadual e Maringá, Maringá, PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v14i2.36427

Palavras-chave:

Algas, Documentos Patentários, Mapeamento Tecnológico

Resumo

O estudo das tecnologias que envolvem algas e suas aplicações na indústria são relevantes, pois as algas são importantes tanto ecologicamente quanto economicamente. Ecologicamente são importantes para a vida marinha e para a realização de fotossíntese, liberando a maior parte de oxigênio disponível; economicamente podem ser utilizadas em diversos segmentos da indústria. Com o objetivo de avaliar a capacidade inovativa das tecnologias envolvidas nesse cenário, foram utilizados dados de documentos patentários extraídos da base INPI-BR no qual foram selecionados 269 documentos de patentes, sendo 96 sobre obtenção de compostos a partir de algas no geral; 65 sobre tratamento contra algas no geral; 56 sobre utilização de algas no geral como parte de um produto e/ou processo; 51 sobre produção de algas no geral; e um sobre conservação de algas no geral. No entanto, verificou-se que somente 11% desses documentos têm o segmento industrial revelado, com destaque para as indústrias farmacêutica, de alimentos e de bebidas, com sete documentos patentários cada.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcello Carvalho dos Reis, Meteora, Fortaleza, CE, Brasil

Referências

BUZZANGA, J. Using Technology intelligence for R&D, 3 set. 2008. Disponível em: http://www.industryweek.com/articles/using_technology_intelligence_for_rd_17162.aspx. Acesso em: 2 jan. 2018.

CARVALHO, F. A. F. Produção, comercialização e industrialização de algas marinhas na América do Sul. Arquivos de Ciências do Mar, [s.l.], v. 26, n. 1-2, p. 51-58. 1987.

FONSECA, J. A. Aplicação de Algas na Indústria Alimentar e Farmacêutica. 2016. 75f. Projeto (Pós-Graduação) – Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2016.

HU, Q. et al. Microalgal triacylglycerols as feedstocks for biofuel production: perspectives and advances. Plant. J., [s.l.], v. 54, n. 4, p. 621-39, 2008.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. 2018. Disponível em: http://www.inpi.gov.br. Acesso em: 2 jan. 2018.

LOURENÇO, S. O. Cultivo de microalgas marinhas: princípios e aplicações. São Carlos, SP: Ed. Rima, 2006.

NOAA – NATIONAL OCEANIC AND ATMOSPHERIC ADMINISTRATION. Satellites See Red, Blue and Green: Monitoring Harmful Algal Blooms from Space. 11 dez. 2015. Disponível em: https://www.nesdis.noaa.gov/content/satellites-see-red-blue-and-green-monitoring-harmful-algal-blooms-space. Acesso em: 2 jan. 2018.

PORTER, A. L. Forecasting and management of technology. Estados Unidos: Wiley Series in Engineering and Technology Management, 1991. p. 306-307.

ROCHA, A. M. et al. Biodiesel production from microalgae: a mapping of articles and patents. In: GORDON, R.; SECKBACH, J. (ed.). The science of algal fuels: phycology, geology, biophotonics, genomics and nanotechnology. Springer: [s.n.], 2012. p. 283-303.

SENAI – SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Microbiologia aplicada a processos industriais. São Paulo: Senai-SP, 2015.

SILVA, F. N. et al. VI Botânica no Inverno 2016. São Paulo: Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, Departamento de Botânica, 2016. 223p.

UBRABIO. Brasileiras estudam produção de biodiesel com cianobactérias, 20 jan. 2012. Disponível em: https://ubrabio.com.br/2012/01/20/brasileiras-estudam-producao-de-biodiesel-com-cianobacterias/. Acesso em: 2 jan. 2018.

UBRABIO. USP tenta transformar algas em biocombustível, 4 nov. 2013. Disponível em: https://ubrabio.com.br/2013/11/04/usp-tenta-transformar-algas-em-biocombustivel/. Acesso em: 2 jan. 2018.

UBRABIO. Aumentam pesquisas para produção de biodiesel a partir de microalgas, 9 out. 2015. Disponível em: https://ubrabio.com.br/2015/10/09/aumentam-pesquisas-para-producao-de-biodiesel-a-partir-de-microalgas/. Acesso em: 2 jan. 2018.

VIDOTTI, Eliane Cristina; ROLLEMBERG, M. C. do E. Algas: da economia nos ambientes aquáticos à biorremediação e à química analítica. Química Nova, [s.l.], v. 27, n. 1, p. 139-145, 2004.

WIPO – WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION. 2018a. Disponível em: http://www.wipo.int. Acesso em: 2 jan. 2018.

WIPO – WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION. Reformed IPC. 2018b. Disponível em: http://www.wipo.int/ipcpub/#lang=en&refresh=page. Acesso em: 2 jan. 2018.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Como Citar

Reis, M. C. dos, Dos Santos, R. R., Martinez, M. E. M., & Pereira, M. F. (2021). Avaliação da Capacidade Inovativa na Indústria no Uso de Algas Sobre a Ótica Patentária Brasileira. Cadernos De Prospecção, 14(2), 548. https://doi.org/10.9771/cp.v14i2.36427

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos