O Desenvolvimento Passa Pela Localidade: as atividades inovadoras desenvolvidas no Centro Tecnológico do Agreste e sua relevância para o Arranjo Produtivo Local (APL) de confecção em Caruaru (PE)

Autores

  • Luis Gustavo de Sousa Santos Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco (CAA/UFPE).
  • Nelson da Cruz Monteiro Fernandes Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco (CAA/UFPE).
  • Anderson Diego Farias da Silva Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e École des Hautes Études Commerciales de Montréal (HEC Montréal). http://orcid.org/0000-0002-9793-6512

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v13i1.29347

Palavras-chave:

Arranjos Produtivos Locais (APLs), Políticas Públicas de Desenvolvimento Local, Capitais, Centro Tecnológico do Agreste, Inovação

Resumo

Este estudo tem por finalidade identificar as atividades inovadoras desenvolvidas no Centro Tecnológico do Agreste (CTA) entendendo a sua relevância para o desenvolvimento do Arranjo Produtivo Local de confecção em Caruaru (PE). Para tanto, esta pesquisa teve como base os conceitos de APL e a lógica dos Capitais. Na etapa metodológica, foi realizada uma análise de conteúdo a partir de entrevistas semiestruturadas realizadas com duas lideranças que estão inseridas na cúpula decisória do CTA. A análise foi realizada a partir de quatro categorias de Capitais, que são: capital intelectual, capital social, capital físico e capital natural. A partir dessa categorização, estuda-se qual o papel do CTA no contexto do APL de confecção por meio dos discursos desses indivíduos. Os resultados indicam que apesar de ter um papel importante no desenvolvimento do APL, o CTA ainda tem um efeito tímido em relação à inovação das empresas da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Gustavo de Sousa Santos, Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco (CAA/UFPE).

Bacharel em Administação pelo Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco (CAA/UFPE). Atua como consultor.

Nelson da Cruz Monteiro Fernandes, Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco (CAA/UFPE).

Doutor em Administração pela PROPAD/UFPE. Professor do curso de Graduação em Administração da UFPE/CAA, e Professor do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação no ponto focal da UFPE. Editor-Chefe da RPA - Revista Pesquisa em Administração, Vice-Coordenador do Curso de Administração e Vice-Coordenador do Incubadora da UFPE.

Anderson Diego Farias da Silva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e École des Hautes Études Commerciales de Montréal (HEC Montréal).

Visiting PhD Student at HEC Montréal (Canadá). Doutorando e Mestre em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco (PROPAD/UFPE). Atua como professor, pesquisador e tutor EAD.

Referências

ALBAGLI, S.; MACIEL, M. L. Capital social e empreendedorismo local – Políticas para Promoção de Sistemas Produtivos Locais de MPME. Rede de Pesquisa em Sistemas Produtivos e Inovativos Locais. Rio de Janeiro: UFRJ, 2002.

ANDRADE, D. C.; ROMEIRO, A. R. Capital natural, serviços ecossistêmicos e sistema econômico: rumo a uma Economia dos Ecossistemas. Texto para Discussão – IE/UNICAMP, [S.l.], n. 159, 2009.

AUN, M. P.; CARVALHO, A. M. A.; KROEFF, R. L. Aprendizagem coletiva em Arranjos Produtivos Locais: um novo ponto para as políticas públicas de informação. In: ENCONTRO LATINO DE ECONOMIA POLÍTICA DA INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CULTURA, ENLEPICC, 5., 2005, Salvador. Anais [...]. Salvador (BA): Faculdade Social da Bahia, 2005.

AUTIO, E. et al. Entrepreneurial innovation: The importance of context. Research Policy, [S.l.], v. 43, n. 7, p. 1.097-1.108, 2014.

BAJMÓCY, Z.; GÉBERT, J. The outlines of innovation policy in the capability approach. Technology in Society, [S.l.], v. 38, p. 93-102, 2014.

CABRAL, S. M. Redes sociais e compartilhamento de conhecimento: o caso do Centro Tecnológico do Agreste de Pernambuco. 2009. 156f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.

COLEMAN, J. S. Social Capital in the Creation of Human Capital. The American Journal of Sociology, [S.l.], v. 94, p. 95-120, 1988.

COSTA, A. B. Teoria econômica e política de inovação. Revista de Economia Contemporânea, [S.l.], v. 20, n. 2, p. 281-307, 2016.

COSTA, E. J. M. Arranjos Produtivos Locais, Políticas Públicas e Desenvolvimento Regional. Brasília, DF: Ministério da Integração Nacional; IDESP; Mais Gráfica editora, 2010.

DIETZ, Simon; NEUMAYER, Eric. Weak and strong sustainability in the SEEA: concepts and measurement. Ecological Economics, 61 (4). pp. 617-626, 2007.

EDVINSSON, L.; MALONE, M. S. Capital intellectual. São Paulo: Makron Books, 1998.

FERREIRA, P. S. et al. Força de trabalho e capital intelectual no contexto da educação profissional, científica e tecnológica no Brasil. Revista Tecnologia e Sociedade, [S.l.], v. 13, n. 27, 2017.

FILION, L. J.; LIMA, E. As representações empreendedoras: importantes temas para avançar em seu estudo. Revista de Negócios, [S.l.], v. 15, n. 2, p. 32-52, 2010.

FLORIAN, F.; LORENZO, H. C. Território e ambiente institucional: o arranjo produtivo local (APL) “Bordados de Ibitinga-SP”. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, [S.l.], v. 4, n. 4, 2008.

GALVIS-APONTE, L. A.; HAHN-DE-CASTRO, L. W. Crecimiento municipal en Colombia: el papel de las externalidades espaciales, el capital humano y el capital físico. Sociedad y economía, [S.l.], n. 31, p.149-174, Julio-Diciembre, 2016.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. S. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

INKINEN, H. Review of empirical research on intellectual capital and firm performance. Journal of Intellectual Capital, [S.l.], v. 16, n. 3, p. 518-565, 2015.

ITEP. Plano de Trabalho – Contrato de Gestão SECTI – ITEP/OS. Recife: Instituto de Tecnologia de Pernambuco, 2016.

LEMOS, C. Inovação na era do conhecimento. Parcerias Estratégicas, [S.l.], v. 5, n. 8, p. 157-180, 2009.

LIN, B.; LI, P.; CHEN, J. Social capital, capabilities, and entrepreneurial strategies: a study of Taiwanese high-tech new ventures. Institute of Technology Management, National Tsing Hua University, Taiwan, 2004.

LIN, N. Social capital, a theory of social structure & action. Port Chester: Cambridge University Press, 2001.

LOPES, R. C. et al. Efeitos do investimento em capital físico e humano no crescimento econômico local: uma análise para os municípios do Estado de Sergipe. 2014. 95f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.

MACDONALD, K. M. The Sociology of the Professions. Thousand Oaks, Califórnia: SAGE Publications, 1995.

MACIEL, E. V. A poluição do rio Ipojuca no município de Caruaru e a intervenção do Ministério Público de Pernambuco. 2017. 55 f. TCC (Bacharelado em Direito) – Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES/UNITA), Caruaru, 2017.

MANUAL DE OSLO. Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Rio de Janeiro: OECD; FINEP, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

OLIVEIRA, J. M.; BEUREN, I. M. O tratamento contábil do capital intelectual em empresas com valor de mercado superior ao valor contábil. Revista Contabilidade & Finanças, [S.l.], v. 14, n. 32, 2003.

PAIVA JÚNIOR, F. G.; LEÃO, A. L. M. S.; MELLO, S. C. B. Validade e confiabilidade na pesquisa qualitativa em administração. Revista de Ciências da Administração, [S.l.], v. 13, n. 31, p. 190-209, set.-dez. 2011.

PORTER, M. E. Competição. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

PUTNAM, R. D. Bowling alone: America’s declining social capital. In: PUTNAM, R. D. Culture and politics. New York: Palgrave Macmillan, 2000. p. 223-234.

RUAS, R.; ANTONELLO, C. S.; BOFF, L. H. Aprendizagem organizacional e competências: os novos horizontes da gestão. Porto Alegre: Bookman, 2005.

SCHIAVETTO, F.; ALVES, C. A. A Identificação dos Arranjos Produtivos Locais: uma Análise sobre sua Constituição no Contexto Regional e Nacional. Revista Eletrônica de Administração, [S.l.], v. 8, n. 1, 2011.

SEBRAE – SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Estudo Econômico do Arranjo Produtivo Local de Confecções do Agreste Pernambucano: Relatório final, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Pernambuco. Recife: SEBRAE, 2013.

SEBRAE – SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. APL – Arranjo Produtivo Local. Brasília, DF: SEBRAE, 2014.

SEBRAE – SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Sebraetec: caderno técnico 3.1. Brasília, DF: SEBRAE, 2016. Disponível em https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/PA/Sebrae%20de%20A%20a%20Z/An exo%20II%20-%20Caderno%20T%C3%A9cnico%203.1.pdf. Acesso em: 17 jul. 2018.

SEBRAE/PE. Estudo de caracterização econômica do polo de confecções do Agreste pernambucano. Recife: FADE/UFPE, 2003.

SECTI – SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. PROAPL – Contrato Banco Interamericano de Desenvolvimento. Recife: SECTI, [2018]. Disponível em: http://www.secti.pe.gov.br/proapl/. Acesso em: 10 jan. 2018.

UN-HABITAT. Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos. Nairóbi: UN-HABITAT; ONU, 2018. Disponível em: https://nacoesunidas.org/agencia/onuhabitat/. Acesso em: 20 nov. 2019.

ZARIDIS, A. D.; MOUSIOLIS, D. T. Entrepreneurship and SME's organizational structure. Elements of a successful business. Procedia-Social and Behavioral Sciences, [S.l.], v. 148, p. 463-467, 2014.

Downloads

Publicado

2020-03-27

Como Citar

Santos, L. G. de S., Fernandes, N. da C. M., & Silva, A. D. F. da. (2020). O Desenvolvimento Passa Pela Localidade: as atividades inovadoras desenvolvidas no Centro Tecnológico do Agreste e sua relevância para o Arranjo Produtivo Local (APL) de confecção em Caruaru (PE). Cadernos De Prospecção, 13(1), 30. https://doi.org/10.9771/cp.v13i1.29347

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento