Estudo das Condições de Implantação de um Parque Tecnológico no Município de Paranavaí

Autores

  • Weliton Monteiro Perdomo Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.
  • Edione Magalhães Motta Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.
  • Marcio Lima Motta Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.
  • Marcelo Farid Pereira Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.
  • Pedro Fonseca Camargo Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v11i3.27125

Palavras-chave:

Parque Tecnológico, Inovação, Habitats de inovação

Resumo

Parques Tecnológicos são mecanismos complexos, porém eficazes na promoção do desenvolvimento econômico. Com base nessa afirmação, percebe-se que há uma lacuna no Brasil com relação ao desenvolvimento desses habitats que ainda é incipiente. Diante desse contexto, este trabalho pretende levantar dados que sustentem a adequação de implantação, ou não, de um Parque Tecnológico no município de Paranavaí. Como procedimentos metodológicos, primeiramente realizou-se uma fundamentação teórica acerca de Parques Tecnológicos e, posteriormente, a caraterização da região objeto do estudo. Utilizou-se a metodologia sugerida por Zouain e Plonski, restringindo-se a estruturação das três primeiras etapas de implantação de um Parque Tecnológico e nesta fase realizou-se uma verificação quanto ao atendimento dos requisitos de implantação de um Parque Tecnológico, com base em buscas documentais sobre o município de Paranavaí. As análises permitiram concluir que, na região, ainda há certa carência em relação ao atendimento de todos os requisitos necessários para a implantação de um Parque Tecnológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Weliton Monteiro Perdomo, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Mestrando em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação pela Universidade Estadual de Maringá. Graduado a título Bacharel em Administração de Empresas pela Faculdade de Ponta Porã, com especialização em Gestão Empresarial e MBA em Finanças pela Faculdade Maringá. Atualmente exerce a função de Consultor do SEBRAE/PR atuando como Gestor de Projetos de Empreendedorismo e Gestão, Inovação e Projetos do Agronegócio. Entre os anos de 2012 e 2014 participou do Programa Agentes Locais de Inovação pelo Sebrae/CNPq, tendo atuado também como consultor credenciado nas áreas de Planejamento Empresarial e Inovação.

Edione Magalhães Motta, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Mestranda no Programa de Pós Graduação em rede nacional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação na Universidade Estadual de Maringá-PR. Graduada em Administração com MBA em Gestão Estratégica de Negócios pela Universidade Federal de Pelotas.  Especialista em Educação Profissional com habilitação para docência pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul Rio-grandense. Habilitada em Life & Professional Coach pela Sociedade Gaúcha de Coaching. 

Marcio Lima Motta, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Mestrando no Programa de pós-graduação em rede nacional Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologias para a Inovação na Universidade Estadual de Maringá. Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pelotas em 2014. Graduado em Mecânica de Viaturas pela Escola de Logística do Exército em 2007.

Marcelo Farid Pereira, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Economista, Mestre e Doutor em Engenharia de Produção, Professor Associado do Departamento de Economia da UEM, Coordenador Adjunto do PROFNIT UEM, Coordenador do Grupo estratégico da Incubadora Tecnológica de Maringá e Maringatech Parque Tecnológico.

Pedro Fonseca Camargo, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Possui graduação em Administração com Habilitação em Marketing pela Faculdade Câmara Cascudo (2009), e especialização em Docência no Ensino Superior pela UNP - Universidade Potiguar é também Mestrando do PROFNIT-UEM (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia e Inovação na Universidade Estadual do Paraná). Atualmente é professor do quadro efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul.

Referências

AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (ABDI). Estudos Setoriais de Inovação: Parques Tecnológicos no Brasil Estudo, Análise e Proposições. 2008. Disponível em: <http://www.abdi.com.br/Estudo/Parques%20Tecnol%C3%B3gicos%20-%20Estudo%20an%C3%A1lises%20e%20Proposi%C3%A7%C3%B5es.pdf>. Acesso em: 2 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTI). Estudo de Projetos de Alta Complexidade: Indicadores de Parques Tecnológicos. Brasília: Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), 2013. Disponível em: <http://www.anprotec.org.br/Relata/PNI_FINAL_web.pdf>. Acesso em: 1º jun. 2018.

COELHO, Ana Maria Magni. Empreendedorismo inovador: como criar startups de tecnologia no Brasil. [S.l.]: Digitaliza Conteúdo, 2012.

DO AMARAL, Roberto Rogério; SARTORI, V.; CUNHA, CJC de A. Parques Tecnológicos: a Sinergia da Hélice Tríplice pela Visão Autopoiética. In: 3º CONGRESSO INTERNACIONAL DE CONHECIMENTO E INOVAÇÃO. Porto Alegre. 2013. p. 20-33. Anais... Porto Alegre. 2013. Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/artigo_complexidade__final_05072011_1600_hrs__postado_0.pdf>. Acesso em: 3 maio 2018.

EMPRESÔMETRO, Inteligência de Mercado. [2017]. Disponível em: <https://www.empresometro.com.br/home/estatisticas>. Acesso em: 10 out. 2017.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (IPARDES). Caderno Estatístico Município de Paranavaí. [2017]. Disponível em: <http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=87700>. Acesso em: 1º out. 2017.

LEMOS, M. B.; DINIZ, C. C. Projeto parque tecnológico de Belo Horizonte. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

NOCE, Adriana Ferreira Soares. O processo de implantação e operacionalização de um parque tecnológico: um Estudo de Caso. 2002. 119 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/84338/187118.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em; 2 maio 2018.

PARANAVAÍ (Município do Paraná). Lei n. 3.630, de 27 de julho de 2010.

RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS (RAIS). [2017]. Disponível em: <http://www.rais.gov.br/sitio/index.jsf>. Acesso em: 4 out. 2017.

RESENDE, Raquel Mendonça do Vale. Metodologia para a implantação de PARQUELABS: o caso do Parque Tecnológico de Uberaba. 2016. 58 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Triangulo Mineiro, Uberaba, 2016.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Site. [2016]. Disponível em: <http://www.sebrae.com.br>. Acesso em: 2 set. 2017.

SPOLIDORO, Roberto; AUDY, Jorge. Parque científico e tecnológico da PUCRS: TECNOPUC. [S.l.]: Edipucrs, 2008.

STEINER, João E.; CASSIM, Marisa Barbar; ROBAZZI, Antonio Carlos. Parques tecnológicos: ambientes de inovação. Revista IEA. USP, São Paulo, 2008. Disponível em: <http://www.unilago.com.br/download/arquivos/21016/__Steiner_PT_ambientes_inovacao.pdf>. Acesso em: 2 jun. 2018.

TEIXEIRA, C. S.; SANTOS, G. S. P.; MORÉ, R. P. O. Personalidade jurídica de parques brasileiros. In: CONFERÊNCIA ANPROTEC DE EMPREENDEDORISMO E AMBIENTES DE INOVAÇÃO, 25, 2015, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ANPROTEC, 2015. 21 p. Disponível em: <http://via.ufsc.br/wp-ontent/uploads/2017/12/revistaVIA-2ed.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

VENTURA, Magda Maria. O estudo de caso como modalidade de pesquisa. Revista SoCERJ, [S.l.], v. 20, n. 5, p. 383-386, 2007. Disponível em: <https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/34829418/o_estudo_de_caso_como_modalidade_de_pesquisa.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1528782728&Signature=C5LeqRWMTCA5AE4GmCIHy%2B5pCXc%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3Dsetembro_outubro_O_Estudo_de_Caso_como_M.pdf>. Acesso em: jun. 2018.

ZOUAIN, Desirée Moraes; PLONSKI, Guilherme Ary. Parques Tecnológicos: planejamento e gestão. [S.l.]: Anprotec, 2006.

Downloads

Publicado

2018-09-30

Como Citar

Perdomo, W. M., Motta, E. M., Motta, M. L., Pereira, M. F., & Camargo, P. F. (2018). Estudo das Condições de Implantação de um Parque Tecnológico no Município de Paranavaí. Cadernos De Prospecção, 11(3), 723. https://doi.org/10.9771/cp.v11i3.27125

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento