Mouse Auxiliar Distribuidor de Carga de Trabalho na Interação com um Computador Pessoal para duas Mãos

Autores

  • Fabrício de Andrade Raymundo Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Marcelo Borges de Andrade Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Marcus Vinícius Lopes Bezerra Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Marina Couto Giordano de Oliveira Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Sânya Léa Alves Rocha Lopes Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Adriana Regina Martin Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌
  • Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌ http://orcid.org/0000-0002-5610-3901

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27091

Palavras-chave:

Mouse, Apontador, Dispositivo.

Resumo

O presente artigo trata-se de uma análise da tecnologia protegida por pedido de patente de invenção de um dispositivo apontador, mais conhecido como mouse, que se propõe a permitir a distribuição da carga de trabalho na interação com um computador pessoal para as duas mãos. Objetivou-se verificar o estado da arte, o nível de maturidade tecnológica e o potencial mercadológico dessa invenção, a fim de analisar seu desenvolvimento, bem como suas rotas tecnológicas. Para tal, foi realizado um levantamento de dados nas bases internacionais Orbit – da Orbit Intelligence –, United States Patent and Trademark Office (USPTO), Espacenet – do European Patent Office (EPO) –, Patentscope – da World Intellectual Property Organization (WIPO) –, Web of Science – da Thomson Reuters Scientific – e na base nacional do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). 


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício de Andrade Raymundo, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Mestrando no programa em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação PROFNIT/UnB. Diplomado em prevenção do delito y seguridad ciudadana - UChile. Pós-graduado em Práticas sociais e Literatura pela UnB. Especialização em Ciências Policiais - ISCP e pós-graduado em Ciências Jurídicas pela UNICSUL. É Bacharel em Direito pela Universidade da Cidade de São Paulo, graduado em Letras e Literatura Espanhola pela UnB e possui graduação em Segurança Pública - Instituto Superior de Ciências Policiais - ISCP. Atualmente atua na função de assessoria em Analise de Inteligência.

Marcelo Borges de Andrade, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Mestrando no programa em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação PROFNIT/UnB. Especialista em Engenharia de Sistemas pela Esab. Engenheiro de Computação pelo IESB. Atualmente é Analista de Tecnologia da Informação da UnB cedido para a Companhia de Planejamento do DF atua na função de Gerente de TI.

Marcus Vinícius Lopes Bezerra, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Mestrando em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação pela Universidade de Brasília, PROFNIT/UnB. Especialista em Gestão de Projetos pela Universidade Católica de Brasilia (2006)Graduado em Administração (2004)  pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF). Atualmente trabalha na Unidade de Inovação do SEBRAE Nacional.

Marina Couto Giordano de Oliveira, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil pela Universidade Cândido Mendes. Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Brasília -Uniceub e em Letras/Tradução pela Universidade de Brasília - UnB. É advogada da Embrapa desde 2009.

Sânya Léa Alves Rocha Lopes, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Mestranda em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação pela Universidade de Brasília, PROFNIT/UnB. Graduada em Direito pela Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (2011). Advogada. Atualmente trabalha no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). 

Adriana Regina Martin, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Bacharelado e Licenciatura em Química pela UFSCar, Mestrado e Doutorado em Ciência e Engenharia dos Materiais pela UFSCar, Doutorado Sandwich na Universidade de Wisconsin-Madison/USA com Bolsa Fulbright, Pós Doutorado em Inovação Tecnológica pela UFSCar, Pós Graduação em Política e Estratégia pela ADESG, Foi professora na Faculdade Oswaldo Cruz (FOC) e na Faculdades Nove de Julho (Uninove) ministrando disciplinas relacionadas a Polímeros e Química e na Universidade de Santo Amaro (Unisa) e na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) ministrando disciplinas relacionadas a Gestão. Foi professora Visitante na Unicamp ministrando a disciplina Inovação Tecnológica para os cursos de Engenharia e de Gestão. Foi Gerente de Desenvolvimento de Produto e Assistência Técnica para América Latina nas empresas multinacionais, Huntsman Química Brasil e Mash Plásticos, atuou em PD&I na Startup Orbys e na empresa BRF atuou na diretoria de PD&I sendo responsável pela gestão do portfólio de projetos de PD&I, pela prospecção e gestão de projetos de PD&I em parceria com ICTs, pela transferência de tecnologia e pela captação de recursos financeiros para desenvolvimento de projetos de PD&I junto a Embrapii, BNDES, FINEP, CNPq. Atuou no CLAEQ-Pieracciani Consultoria de Inovação auxiliando as empresas a captarem recursos financeiros para desenvolvimento de projetos de PD&I, a utilizarem incentivos fiscais (Lei do Bem) e também desenvolverem projetos por meio da Inovação Aberta. Atualmente é Professora Visitante na UnB na área de Gestão da Inovação no Dep. de Engenharia de Produção e Gerente de Negócios Tecnológicos no CDT/UnB. É consultora ad hoc das seguintes instituições: CNPq - no comitê de avaliação do Programa RHAE - Pesquisador na Empresa e no comitê de avaliação de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - Bolsa DT; MCTIC - no Comitê de Auxílio Técnico dos Setores Transversais (CAT-TRANSVERSAL) - Lei do Bem; FAPESP - no comitê do Programa de Inovação em Pequenas Empresas; SENAI - no comitê de avaliação do Edital de Inovação na Industria; EMBRAPA - no comitê Técnico do Macroprograma 1 e MACKPESQUISA - no comitê do Fundo Mackenzie de Pesquisa da Universidade Mackenzie/SP.

Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento, Universidade‌ ‌de‌ ‌Brasília,‌ ‌Brasília,‌ ‌DF,‌ ‌Brasil‌

Possui graduação em Bacharelado em Química pela Universidade de São Paulo (1998), mestrado em Química pela FFCLRP, Universidade de São Paulo (2001), doutorado em Química, na FCFRP, pela Universidade de São Paulo (2005) e pós-doutorado em Farmacologia, na FMRP (2009). Tem experiência na área de Química, com ênfase em desenvolvimento de fármacos, atuando principalmente nos seguintes temas: química computacional, métodos espectroscópicos, SAR e QSAR, fitoquímica, fisiopatologia da dor, experimentação em modelos de dor inflamatória in vivo, desenvolvimento de analgésicos. Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília das disciplinas de Físico-Química Aplicada à Farmácia e Controle Físico-Químico da Qualidade na Faculdade de Ceilândia no curso de graduação em Farmácia. Especialista lato sensu em Tecnologias na Aprendizagem, no Centro Universitário Senac (2016). Editor Sênior do Periódico Dor on line (www.dol.inf.br). Docente responsável pela disciplina de Prospecção Tecnológica do ponto focal UnB/CDT do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação - ProfNIT.

Referências

BANKE, J. Technology Readiness Levels Demystified. 2010. Disponível em: <https://www.nasa.gov/topics/aeronautics/features/trl_demystified.html>. Acesso em: 29 dez. 2018.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 95, de 15 de dezembro de 2016. [2016]. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm>. Acesso em: 19 jun. 2018.

DOS SANTOS, F. R. et al. Ergonomia de Escritório: Fatores Corretivos Relacionados à Prevenção de LER/DORT. Revista Científica Faculdades do Saber, Mogi Guaçu, v. 2, n. 3, p. 156-167, 2017.

ELS, Rudi H. Van. Entrevista concedida a Marina Couto Giordano de Oliveira e a Marcelo Borges de Andrade. Brasília, DF, 15 mai. 2018. [A entrevista encontra-se transcrita no Apêndice "A" deste artigo].

______. Mouse auxiliar para permitir a distribuição da carga de trabalho na interação com um computador pessoal para as duas mãos. BR Pat. PI0904503-1 A2, 26 ago. 2009. 16 p.

ENGELBART, D. C. X-Y position indicator for a display system. US Pat. 3541541A, 17 nov. 1970. 7 p.

EUROPEAN PATENT OFFICE (EPO). Espacenet: patent database. [2018]. Disponível em: <https://worldwide.espacenet.com/>. Acesso em: 30 mai. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Base de dados on-line. Disponível em: < http://www.inpi.gov.br/>. Acesso em: 30 mai. 2018.

LEE, B. C. Computer graphical user interface method and system for supporting multiple two-dimensional movement inputs. US Pat.4952919. 7 dez. 1999. 12 p.

MANKINS, J. C. Technology Readiness Levels. A white paper. 1995. Disponível em: <http://www.artemisinnovation.com/images/TRL_White_Paper_2004-Edited.pdf >. Acesso em: 29 dez. 2018.

MORESI, E. et al. Análise de níveis de prontidão: uma proposta para empresas nascentes. In: CONGRESO IBERO-AMERICANO EM INVESTIGACIÓN CUALITATIVA, 6., Salamanca, 2017. Atas... Salamanca: Ciaiq, 2017. 4 v. Disponível em: <https://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2017/article/view/1127>. Acesso em: 29 dez. 2018.

NATIONAL AERONAUTICS AND SPACE ADMINISTRATION (NASA). Technology Readiness Levels: introduction. 2012. Disponível em: <https://www.nasa.gov/directorates/heo/scan/engineering/technology/txt_accordion1.html>. Acesso em: 30 mai. 2018.

NIPPOLDT, R. E. Trackball mechanism. US Pat.4952919, 28 ago. 1990. 8 p.

ORBIT INTELLIGENCE. Orbit: patent database. [2018]. Disponível em: <https://www.orbit.com>. Acesso em: 30 mai. 2018.

QUINTELLA, C. M. A Revista Cadernos de Prospecção e os Níveis de Maturidade de Tecnologias (TRL). Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 10, n. 1-2, p.1, jan./mar. 2017.

QUINTELLA, C. M. et al. Prospecção Tecnológica como uma Ferramenta Aplicada em Ciência e Tecnologia para se Chegar à Inovação. Revista Virtual de Química, Salvador, v. 3, n. 5. nov. 2011.

UNITED STATES PATENT AND TRADEMARK OFFICE (USPTO). USPTO: patent database. [2018]. Disponível em: <https://www.uspto.gov/patents-application-process/search-patents/>. Acesso em: 30 mai. 2018.

VELHO, S. R. K. et al. Nível de Maturidade Tecnológica: uma sistemática para ordenar tecnologias. Parcerias Estratégicas, Brasília, DF, v. 22, n. 45, p. 119-140, jul./dez. 2017.

THOMSON REUTERS SCIENTIFIC. Web of Science: database. [2018]. Disponível em: https://www.periodicos.capes.gov.br />. Acesso em: 30 mai. 2018.

WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION (WIPO). Patentscope: patent database. [2018]. Disponível em: <https://patentscope.wipo.int/> Acesso em: 30 mai. 2018.

Downloads

Publicado

2018-12-10

Como Citar

Raymundo, F. de A., de Andrade, M. B., Bezerra, M. V. L., Giordano de Oliveira, M. C., Alves Rocha Lopes, S. L., Martin, A. R., & Nascimento, P. G. B. D. (2018). Mouse Auxiliar Distribuidor de Carga de Trabalho na Interação com um Computador Pessoal para duas Mãos. Cadernos De Prospecção, 11(5), 1643. https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.27091

Edição

Seção

Prospecções Tecnológicas de Assuntos Específicos