Atuação do Núcleo de Inovação Tecnológica do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear: um Estudo de Caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v11i3.27088

Palavras-chave:

Parcerias, Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia.

Resumo

O objetivo deste estudo é realizar um diagnóstico acerca da atuação do NIT-CDTN, por meio de entrevistas com pesquisadores do instituto, abordando as experiências deles no relacionamento com o NIT-CDTN, o conhecimento sobre seu papel institucional e a percepção sobre a relevância e a efetividade dos trabalhos por ele realizados. Em especial, foram analisadas as cooperações feitas entre o CDTN e outras ICTs, empresas e órgãos do governo. Observou-se que os pesquisadores têm por prática adotar parcerias informais, especialmente com universidades, com foco na formação de pessoas. A principal razão é a simplicidade na sua efetivação e a falta de controles e exigências institucionais sobre seus resultados. Os pesquisadores entrevistados reconhecem o papel do NIT-CDTN na defesa da propriedade intelectual, mas nem sempre compreendem bem as demais funções institucionais desse Núcleo e suas limitações. O estudo deixa claro que o CDTN precisa desenvolver esforços para consolidar a presença institucional do NIT-CDTN.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena de Oliveira Felipe, University of Tsukuba, Tsukuba, Ibaraki Japão.

É Mestre em Ciências pela Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Alto Paraopeba (UFSJ/CAP, 2015), com área de concentração em Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável. É também Bacharel em Ciência e Tecnologia (UFSJ/CAP, 2013) e em Engenharia de Bioprocessos (UFSJ/CAP, 2015). Tem experiência na área de microbiologia, bioprospecção, fermentação submersa/asséptica de micro-organismos e empreendedorismo. Atualmente é bolsista - Ph.D. Student - do Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão (MEXT - Monbukagakusho) na Universidade de Tsukuba/Ibaraki Prefecture. Sob a supervisão do Prof. Marcos Antônio das Neves desenvolve sua pesquisa no Food Resource Engineering Lab, estando vinculada ao Doctoral Program in Appropriate Technology and Science for Sustainable Development. Além disso, ainda na Universidade de Tsukuba, como formação complementar ao Doutorado, está atrelada ao Certificate Programme in Nature Conservation da Graduate Life and Environmental Sciences  School. 

Gustavo José Pereira, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN/CNEN), Belo Horizonte, MG, Brasil

Pós-graduado em Comunicação de Dados e Análise de Sistemas. Graduado em Engenharia Elétrica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e Direito pela Faculdade de Direito Milton Campos. Tecnologista do CDTN/CNEN, atua no Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT.

Régia Ruth Ramirez Guimarães, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN/CNEN), Belo Horizonte, MG, Brasil

Possui mestrado em Ciências Técnicas Nucleares pela Escola de Engenharia (1985) e doutorado em Engenharia (Engenharia de Produção) pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é tecnologista da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Economia de Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão tecnológica,transferência de tecnologia de institutos de pesquisa públicos, interação academia-empresa,e institutos públicos de pesquisa. Atua na coordenação do Núcleo de Inovação Tecnológica do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN.

Sérgio Almeida Cunha Filgueiras, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN/CNEN), Belo Horizonte, MG, Brasil

Possui mestrado em Ciências e Técnicas Nucleares pela UFMG (1984) e doutorado em Engenharia (Engenharia de Produção) pela Universidade de São Paulo (2002). É tecnologista da Comissão Nacional de Energia Nuclear, onde iniciou a carreira na pesquisa de purificação química de materiais de interesse nuclear e terras raras. Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Estudo de Mercado, atuando principalmente nos seguintes temas: transferência de tecnologia, marketing de tecnologia, relacionamento entre institutos de pd e empresas. Entre 2003 e 2010 foi diretor do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN, destacando-se no período a implantação do complexo de pesquisa e produção de radiofármacos. Atuou na gestão dos programas de produção de radiofármacos e de formação especializada na área nuclear. Atualmente exerce as funções de assessor de planejamento estratégico e qualidade, do CDTN, e de diretor substituto deste Centro.

Xênia Aparecida Chaves Santos, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN/CNEN), Belo Horizonte, MG, Brasil

Técnica em Química Industrial pelo Colégio Arquidiocesano de Ouro Branco. Bacharel em Química pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2014). Mestre em Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Federal de São João del Rei (Campus Alto-Paraopeba, 2016). Possui experiência na área de Química Ambiental no qual o foco é em adsorção, produção e caracterização de carvão ativado e contaminantes emergentes. Atualmente Bolsista de Gestão em Ciência e Tecnologia no Núcleo de Inovação Tecnológica no Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear.

Referências

AMARANTE SEGUNDO, G. S. O Novo Marco Legal da CT&I: EC 85 + Lei 13.243/2016. In: SEMINÁRIO LEI DO BEM – COMO AMPLIAR PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS PARA INVESTIMENTO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, Brasília, 7 de dezembro de 2016. Anais... Brasília, dezembro de 2016. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/lei-do-bem/Apresentacao-Gesil-Sampaio-Amarante-Segundo.pdf>. Acesso em: 27 jun. 2018.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm>. Acesso em: 4 jul. 2017.

BRASIL. Produtivismo includente: empreendedorismo vanguardista. Brasília, DF: Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 2015.

BRASIL. Lei n. 4.118, de 27 de agosto de 1962. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l .htm>. Acesso em: 4 jul. 2017.

COSTA, K. F. A política de incentivo à Inovação dos Estados Unidos: arcabouço institucional, atores e processos. In: 36º ENCONTRO ANUAL DA ANPOC, GT 12, 2012, Águas de Lindoia. Anais... Águas de Lindoia: ANPOCS, 2012. p. 1-24.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. The dynamics of innovation: from National Systems and “Mode 2” to a Triple Helix of university–industry–government relations. Research Policy, [S.l.], v. 29, p. 109-123, 2000.

MACHADO, H. P. V.; SARTORI, R.; CRUBELLATE, J. M. Institucionalização de Núcleos de Inovação Tecnológica em Instituições de Ciência e Tecnologia da região sul do Brasil. REAd, [S.l.], v. 23, n. 3, p. 5-31, dez. 2017.

NEGRI, F. Novos caminhos para a inovação no Brasil. 1. ed. Washington, DC: Wilson Center, 2018.

RAUEN, C. V. O novo marco legal da inovação no Brasil: o que muda na relação ICT-empresa? Revista Radar, [S.l.], n. 43, p. 21-35, fev. 2016.

VALENTE, L. Hélice tríplice: metáfora dos anos 90 descreve bem o mais sustentável modelo de sistema de inovação. Conhecimento & Inovação, Campinas, v. 6, n. 1, 2010.

Downloads

Publicado

2018-09-30

Como Citar

Felipe, L. de O., Pereira, G. J., Guimarães, R. R. R., Filgueiras, S. A. C., & Santos, X. A. C. (2018). Atuação do Núcleo de Inovação Tecnológica do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear: um Estudo de Caso. Cadernos De Prospecção, 11(3), 813. https://doi.org/10.9771/cp.v11i3.27088

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento