PRÁTICAS DE ENFERMEIROS E A INFLUÊNCIA SOCIOCULTURAL NA ADESÃO AO ALEITAMENTO MATERNO

Giovana Callegaro Higashi, Sibeli Seefeld dos Santos, Rosielle Souza da Silva, Leonardo Bigolin Jantsch, Rafael Marcelo Soder, Luiz Anildo Anacleto da Silva

Resumo


Objetivo: Descrever os saberes e práticas de enfermeiros da atenção primária em saúde quanto às intervenções para a promoção da amamentação. Método: Trata-se de um estudo qualitativo que utilizou referencial metodológico da Teoria Fundamentada nos Dados. Obteve-se a participação de nutrizes e enfermeiros, totalizando 19 pessoas.  Resultados: durante o pré-natal as intervenções de incentivo ao aleitamento materno são desafiadoras uma vez que a influência por parte da rede de apoio, em especial das avós se sobrepõe as orientações prestadas pelos profissionais de saúde. As rotinas de puerpério imediato possuem relação com melhora adesão e que práticas como aleitamento na primeira hora e o alojamento conjunto favorecem a manutenção do aleitamento materno. Conclusão: Os enfermeiros reconhecem e realizam intervenções a adesão ao aleitamento materno desde o pré-natal ao puerpério, reconhecendo os principais desafios socioculturais impostos

Descritores: Aleitamento Materno. Enfermagem. Saúde Materno-Infantil.

 


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v35.38540

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt