SITUAÇÕES DE VULNERABILIDADES EM SAÚDE VIVENCIADAS POR TRABALHADORAS SEXUAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA DA COVID-19

Pablo Luiz Santos Couto, Antônio Marcos Tosoli Gomes, Samantha Souza da Costa Pereira, Alba Benemérita Alves Vilela, Tarcísio da Silva Flores, Carle Porcino

Resumo


Objetivo: refletir sobre as situações de vulnerabilidades em saúde vivenciadas por trabalhadoras sexuais durante a pandemia decorrente da infecção pelo SARS-CoV-2. Método: trata-se de estudo reflexivo, fundamentado no referencial teórico conceitual da vulnerabilidade em quatro dimensões: ontológica, epidemiológica, simbólica e político-programática. Resultado: a saúde das profissionais do sexo, na experiência cotidiana do trabalho sexual, tem sido um desafio para os governos entre todos os grupos associados a estigmas e populações vulneráveis, justamente por serem marginalizados socialmente. Isso se configura como importante para a compreensão desse fenômeno em meio à crise financeira, econômica e de saúde que pessoas de diferentes nações sofrem diante do progresso da SARS-CoV-2. Conclusão: as situações de vulnerabilidade em saúde decorrente da infecção pelo SARS-CoV-2 que expõem as profissionais do sexo são consolidadas, principalmente, pela ausência do Estado na proteção sócio legal e na garantia dos direitos humanos, para que essas mulheres adquiram condições de enfrentamento e prevenção.

Descritores: Trabalhadoras Sexuais. COVID-19. Coronavírus. Vulnerabilidade em Saúde. Populações Vulneráveis.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v35.37325

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt