Prevalência de anquiloglossia em bebês triados em um serviço ambulatorial público de fonoaudiologia na cidade de Salvador – Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/cmbio.v22i3.57600

Palavras-chave:

Amamentação, Anquiloglossia, língua presa, triagens neonatais

Resumo

Introdução: em 2014, foi aprovada uma lei no Brasil que tornou obrigatória a aplicação do protocolo de avaliação de frênulo lingual em bebês em todas as maternidades públicas e privadas, visando ao diagnóstico da anquiloglossia em bebês. O objetivo é prevenir complicações que possam interferir na amamentação, implicando baixo ganho de peso e desmame precoce. O Protocolo de Avaliação do Frênulo lingual em bebês, o “Teste da linguinha” tem o sido o protocolo mais utilizado nos estudos recentes, especialmente no Brasil, pois foi validado em duas versões, uma denominada triagem, outra que considera a história clínica, a avaliação anatomofuncional e a avaliação da sucção não nutritiva e nutritiva, para ser aplicada nos casos duvidosos, permitindo correlacionar dados sobre as dificuldades na amamentação. Objetivo: descrever a prevalência da anquiloglossia em bebês triados no serviço de fonoaudiologia de uma instituição filantrópica conveniada ao Sistema Único de Saúde. Metodologia: este estudo se caracteriza como transversal, retrospectivo, de caráter descritivo e quantitativo, baseado na análise estatística descritiva de dados secundários. A fonte de dados foi constituída pelos prontuários dos pacientes atendidos na Obra Social do Centro Espírita Caminho da Redenção (Mansão do Caminho), em Salvador (BA), submetidos ao Protocolo de Avaliação de Frênulo Lingual em Bebês no período de junho de 2022 a maio de 2023. Os bebês identificados, através da pontuação, como duvidosos ou alterados na triagem passaram pela avaliação completa do protocolo para se confirmar o diagnóstico e decidir a conduta. Resultados: foram revisados 115 prontuários, sendo 13 (11,3%) alterados, 5 (4,3%) duvidosos e 97 (84,3%) normais. Dos casos alterados, 9 eram do sexo masculino. Conclusão: os dados encontrados neste estudo corroboram os achados mais recentes da literatura, tanto no que diz respeito à prevalência quanto à maior incidência no sexo masculino. Visto isso, destaca-se a importância de realizar o “Teste da Linguinha” nos bebês o mais precocemente possível.

Introdução: em 2014, foi aprovada uma lei no Brasil que tornou obrigatória a aplicação do protocolo de avaliação de frênulo lingual em bebês em todas as maternidades públicas e privadas, visando ao diagnóstico da anquiloglossia em bebês. O objetivo é prevenir complicações que possam interferir na amamentação, implicando baixo ganho de peso e desmame precoce. O Protocolo de Avaliação do Frênulo lingual em bebês, o “Teste da linguinha” tem o sido o protocolo mais utilizado nos estudos recentes, especialmente no Brasil, pois foi validado em duas versões, uma denominada triagem, outra que considera a história clínica, a avaliação anatomofuncional e a avaliação da sucção não nutritiva e nutritiva, para ser aplicada nos casos duvidosos, permitindo correlacionar dados sobre as dificuldades na amamentação. Objetivo: descrever a prevalência da anquiloglossia em bebês triados no serviço de fonoaudiologia de uma instituição filantrópica conveniada ao Sistema Único de Saúde. Metodologia: este estudo se caracteriza como transversal, retrospectivo, de caráter descritivo e quantitativo, baseado na análise estatística descritiva de dados secundários. A fonte de dados foi constituída pelos prontuários dos pacientes atendidos na Obra Social do Centro Espírita Caminho da Redenção (Mansão do Caminho), em Salvador (BA), submetidos ao Protocolo de Avaliação de Frênulo Lingual em Bebês no período de junho de 2022 a maio de 2023. Os bebês identificados, através da pontuação, como duvidosos ou alterados na triagem passaram pela avaliação completa do protocolo para se confirmar o diagnóstico e decidir a conduta. Resultados: foram revisados 115 prontuários, sendo 13 (11,3%) alterados, 5 (4,3%) duvidosos e 97 (84,3%) normais. Dos casos alterados, 9 eram do sexo masculino. Conclusão: os dados encontrados neste estudo corroboram os achados mais recentes da literatura, tanto no que diz respeito à prevalência quanto à maior incidência no sexo masculino. Visto isso, destaca-se a importância de realizar o “Teste da Linguinha” nos bebês o mais precocemente possível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Steinberg

Fonoaudióloga pela Faculdade de Fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP, Especialista em Motricidade Oral Com Enfoque em Disfagia pelo Centro de Especialização Em Fonoaudiologia Clínica – CEFAC e em Motricidade Orofacial pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia – CFFA, Mestre em  Comunicação Humana e Saúde pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP, Doutora em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas da Universidade Federal da Bahia – UFBA, Professora Adjunto de Fonoaudiologia do Instituto Multidisciplinar de Reabilitação e Saúde da Universidade Federal da Bahia – UFBA

Downloads

Publicado

2023-12-04

Como Citar

Silva, L. F. ., Borja, A. L. de F. V. ., Steinberg, C. ., Medeiros, A. S. ., Conceição, M. P. D. da ., Lima, M. J. M. ., & Araújo, R. P. C. de . (2023). Prevalência de anquiloglossia em bebês triados em um serviço ambulatorial público de fonoaudiologia na cidade de Salvador – Bahia. Revista De Ciências Médicas E Biológicas, 22(3), 510–514. https://doi.org/10.9771/cmbio.v22i3.57600

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>