A presença das fake news em mídias sociais:

um extrato de publicações sobre a COVID-19 no facebook

Autores

Palavras-chave:

Mídia social, Fake news, Extração de dados, Covid-19, Coronavírus

Resumo

Identifica notícias consideradas como fake newsna mídia social Facebook. Apresenta-secomo uma pesquisa exploratória, bibliográfica e de abordagem quantitativa-qualitativa, a partir de uma coleta de dados realizada por extração pelo softwareFacepagere por expressões de buscas no perfil do jornal Metrópoles (Brasília/Distrito Federal) no Facebook. Conclui-se que as fake newssobre a COVID-19 são representadas pela produção de conteúdo impostor, usando o nome de terceiros para validar a informação, pela disseminação de boatos a partir de conteúdos fabricados por cidadãos comuns, que podem causar malefícios, e pela exposição de conteúdos enganosos, minimizando cenários e apresentando dados falsos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Rodrigues da Silva, Universidade de Brasília - UnB

Acadêmica da Universidade de Brasília (UnB)

Larissa Bacelar Pontes Lopes, Universidade de Brasília - UnB

Graduada em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (UnB).

Márcio Bezerra da Silva, Universidade de Brasília - UnB

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professor da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da Universidade de Brasília (UnB). 

Referências

BOTTENTUIT JUNIOR, J. B.; COUTINHO, C. M. P. As ferramentas da web 2.0 no apoio à tutoria na formação em e-learning. In: COLÓQUIO AFIRSE Portugal, 16., 2008, Lisboa. Anais Eletrônico... Lisboa: AFIRSE, 2008. Disponívelem: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7767. Acesso em: 30 jun. 2020.

BRAGA, R. M. da C. A indústria das fake news e o discurso de ódio. In: PEREIRA, Rodolfo Viana (Org.). Direitos políticos, liberdade de expressão e discurso de ódio. Belo Horizonte: Instituto para o Desenvolvimento Democrático, 2018. p.203-220. Disponível em: http://bibliotecadigital.tse.jus.br/xmlui/handle/bdtse/4813. Acesso em 20 jul. 2020.

BRITO, V. de P.; PINHEIRO, M. M. K. Poder informacional e desinformação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, [S. l.], v.8, n.2, 2015. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/355. Acesso em: 21 jul 2020.

DELMAZO, C.; VALENTE, J C. L Fake news nas redes sociais online: propagação e reações à desinformação em busca de cliques.Media & Jornalismo,Lisboa,v.18,n.32,p.155-169,abr.2018. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2183-54622018000100012&lng=pt&nrm=iso. Acesso: em 06 ago.2020.

GARTON, L.; HAYTHORNTHWAITE, C.; WELLMAN, B. Studying online social networks.Journal of Computer-Mediated Communication, Oxford, v.3, n.1, jun. 1997. Disponível em: https://academic.oup.com/jcmc/article/3/1/JCMC313/4584354. Acesso em: 8 ago. 2020.

JÜNGER, J. Facepager. GitHub, São Francisco, 2020. Disponível em: https://github.com/strohne/Facepager. Acesso em: 26 abr. 2020.

KEMP, S.Digital 2020:april global statshot. In: KEPIOS. DataReportal. [S. l.], 2020a. Disponível em:https://datareportal.com/reports/digital-2020-april-global-statshot. Acesso em: 12 ago. 2020.

KEMP, S. More than half of the people on earth now use social media. In: KEPIOS. DataReportal. [S. l.], 2020b. Disponível em: https://datareportal.com/reports/more-than-half-the-world-now-uses-social-media. Acesso em: 12 ago. 2020b.

METRÓPOLES. @metropolesdf·Jornal. Facebook, Menlo Park, 2020. Disponível em: https://www.facebook.com/metropolesdf. Acesso em: 12 ago. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE BRASIL. Folha informativa COVID-19–Escritório da OPAS e da OMS no Brasil. [S. l.]: Escritório Regional para as Américas da Organização Mundial da Saúde, 2020. Disponível em: https://www.paho.org/pt/covid19. Acesso em: 11jun. 2020.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.ROCHA NETO, M.; BARRETO, L. K. da S.; SOUZA, L. A. de. As mídias sociais digitais como ferramentas de comunicação e marketing na contemporaneidade. Quipus, Natal, v.4, n.2, p.11-21, jun./nov. 2015. Disponível em: https://repositorio.unp.br/index.php/quipus/article/view/1273. Acesso em: 23 jul. 2020.

SERRA, A. Fake News: Uma discussão sobre o fenômeno e suas consequências.Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2018.

TELLES, A. A revolução das mídias sociais:cases, conceitos, dicas e ferramentas. SãoPaulo: M. Books, 2011.WARDLE, C.Fake news. It’s complicated. Frist Draft, Brighton, 2017. Disponível em: https://firstdraftnews.org/latest/fake-news-complicated/. Acesso em: 8 ago. 2020.

WARDLE, C; DERAKHSHAN, H. Information disorder: Toward an interdisciplinary framework for research and policy making. Estrasburgo: Council of Europe, 2017. Disponível em: https://rm.coe.int/information-disorder-toward-an-interdisciplinary-framework-for-researc/168076277c. Acesso em: 21 jul. 2020.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

SILVA, J. R. da; LOPES, L. B. P.; SILVA, M. B. da. A presença das fake news em mídias sociais:: um extrato de publicações sobre a COVID-19 no facebook. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 537–546, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57748. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Práticas estruturadas de informação em redes e sistemas