Pós-graduação em rede

quando a cooperação acadêmica utiliza recursos de comunicação e informação para multiplicar resultados.

Autores

Palavras-chave:

Associação de IES, Assistência Farmacêutica, Pós-Graduação em Rede, Ensino superior, Informação e saúde, Farmácia

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo compartilhar a experiência do PPGASFAR a partir da
unidade associada da UFBA e sua correlação de estrutura interna e de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação que permitem a sua inserção numa rede nacional. Aborda os embasamentos teóricos e empíricos dos marcos políticos e institucionais que levaram a implantação do primeiro Programa de Pós-Graduação stricto sensu na subárea de Assistência Farmacêutica. O PPGASFAR iniciou sua trajetória em 2011 com sete alunos e em 2019 alcançou o número de 44 matriculados com 20 professores de 6 IES brasileiras (UFGRS, UFPR, UFSC, UFES, UFBA e UVV) se consolidando na capacitação e produção cientifica de qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcia de Araújo Costa Beisl Noblat, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutora em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestrado em Clinical Pharmacy - University of London. Professora da Faculdade de Farmácia – UFBA.

Ademir Evangelista do Vale, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutorado em Química de Produtos Naturais e Mestre em Química pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor da UFBA.

Denise Bueno, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora da do Departamento de Produção e Controle de Medicamentos da Faculdade de Farmácia da UFRGS. Orcid:
http://orcid.org/0000-0002-6037-8764

Referências

BRASIL. Portaria GM/MS n. 3.916 de 30 de outubro de 1998. Aprovar a Política Nacional de

Medicamentos. Brasília, 1998.

BRASIL. Resolução n. 338 de 6 de maio de 2004. Aprova a Política de Assistência Farmacêutica.

Brasília: Diário Oficial da União; 2004.

CHAGAS, Marina & Porto, Celmo & Chaveiro, Neuma & Noll, Matias & Chagas, F. (2019).

Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Farmácia: análise qualitativa comparativa 2002-

CHAGAS, M. O., Porto,C. C., Chaveiro, N., Noll, M., Chagas, F. O. Diretrizes Curriculares

Nacionais do curso de Farmácia: análise qualitativa comparativa 2002-2017. In: Atas CIAIQ,

Lisboa, Portugal. 2019, v. 1, p. 1011-1016.

LEITE, S. N., Nascimento, J. M., Costa, L. H., Barbano, D. A. B., Fórum Nacional de Educação

Farmacêutica: o farmacêutico que o Brasil necessita First National Forum for Pharmaceutical Education: the pharmacist that Brazil needs. Comunicação Saúde Educação v.12, n.24, p.461-2,

jan./mar. 2008

SANTOS, Rosana Isabel dos. Concepções de assistência farmacêutica no contexto histórico

brasileiro. Tese (doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Universidade Federal

de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Curitiba, 2012. Disponível em:

https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/95635/308894.pdf?sequence=

&isAllowed=y

VASCONCELOS, Daniela Moulin Maciel de et al. Política Nacional de Medicamentos em

retrospectiva: um balanço de (quase) 20 anos de implementação. Ciência & Saúde Coletiva

[online]. 2017, v. 22, n. 8 [Acessado 17 Agosto 2020], pp. 2609-2614. Disponível em:

https://doi.org/10.1590/1413-81232017228.02432017. ISSN 1678-4561.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

NOBLAT, L. de A. C. B.; VALE, A. E. do; BUENO, D. Pós-graduação em rede: quando a cooperação acadêmica utiliza recursos de comunicação e informação para multiplicar resultados. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 781–792, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57694. Acesso em: 19 abr. 2024.