Clubhouse, tribos e networking – uma nova perspectiva da cibercultura no contexto comunicacional da educação nas mídias sociais.

Autores

Palavras-chave:

Comunicação., Cibercultura., Educação., Inovação., Aplicativo., ClubHouse.

Resumo

Um novo formato de comunicação tem ganhado cada vez mais força nas mídias sociais. E esse de fato é um fenômeno que merece nossa atenção, no que diz respeito, a novas abordagens sobre comunicação e tecnologia, num contexto ‘pluri-educacional’. Nesse artigo iremos abordar como o novo aplicativo ‘ClubHouse”, tem pontuado de forma efetiva e significativa o formato de conectar pessoas de diferentes, tribos, crenças, culturas, religiões, negócios e afins. De fato essa conexão é pontuada de forma muito contundente, pelo fato de ser um aplicativo que promove diversidade, porém as pessoas continuam se associando a ideologias e costumes que mais causam afinidades com suas crenças e valores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Quesia Damasceno Gomes da Silva, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Mestre em Ciência da Educação pela SABERES/Universidad Autónoma del Sur (UNASUR). Membro do LTI Digital. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8491-0049. E-mail: kelkdamas@hotmail.com

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BROWN, Tim. Design thinking. Harvard business review, v. 86, n. 6. 2008.

BROWN, Tim; WYATT, Jocelyn. Design Thinking for Social Innovation. Stanford Social Innovation Review, Stanford, 2010.

CARROLL, Maureen et al. Destination, Imagination and the Fires Within: Design Thinking in a Middle School Classroom. International Journal of Art & Design Education, v. 29, n. 1, p. 37–53, 15 mar. 2010.

CASSIANO, Glauber; GÓES, Camila Bahia; NEVES, Barbara Coelho. As Tecnologias digitais no contexto educacional para a autonomia dos sujeitos. Revista Fontes Documentais, Aracaju, v. 2, n.3 p. 43-58, 2019. Disponível em: https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/index.php/fontesdocumentais/article/view/501/403. Acesso em: 14 abr., 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 43º ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GATES, Bill; GATES, Melinda. HCD: Human-Centered Design Toolkit. Stanford: 2009. Disponível em: http: www.ideo.com/work/human-centered-design-toolkit. Acesso em: 15 abr. 2021.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Folha de S. Paulo, 2015.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Paulos, 2010.

MARTIN, Roger. The design of business: why design thinking is the next competitive advantage. Boston: Harvard Bussiness Press, 2009.

NEVES, Barbara Coelho. Recursos que podem apoiar o bibliotecário no combate às Fake News nas mídias sociais. AtoZ: novas práticas em informação e conhecimento, [S.l.], v. 8, n. 2, p. 17-27, july 2019. ISSN 2237-826X. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/atoz/article/view/68094. Acesso em: 14 apr. 2021. doi:http://dx.doi.org/10.5380/atoz.v8i2.68094.

PINHEIRO, Tennyson. Um novo “d”esign, 2010. Disponível em: http://abcdesign.com.br/noticias/um-novo-design/. Acesso em 14 abr. 2021.

SERRAT, Olivier. Design Thinking. Knowledge Solutions, 2010.

SILVA, Marco. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro: Quartet, 2000.

STEINBECK, Reinhold. Design thinking como estrategia de creatividad en la distancia. Revista Científica de Educomunicación, v. 19, n. 37, p. 27-35. jul. 2011.

VOGEL, Craig M. Notes on the evolution of Design thinking: A work in progress. In: LOCKWOOD, Thomas (Ed.). Design thinking: Integrating innovation, customer experience, and brand value. New York: Allworth Press, 2010.

Downloads

Publicado

2023-11-30

Como Citar

SILVA, Q. D. G. da. Clubhouse, tribos e networking – uma nova perspectiva da cibercultura no contexto comunicacional da educação nas mídias sociais. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 56–67, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57690. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

INFORMAÇÃO, TECNOLOGIA & SOCIEDADE