Importância da Prospecção Tecnológica em Base de Patentes e seus Objetivos da Busca

Autores

  • Rita de Cassia Santos Paranhos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Salvador, BA, Brasil
  • Núbia Moura Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Salvador, BA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.28190

Palavras-chave:

Patentes, Prospecção Tecnológica, Estratégia de prospecção tecnológica.

Resumo

Atualmente o enfoque da prospecção tecnológica por meio de patentes está voltado, sobretudo, para busca de anterioridade e monitoramento. São escassas as informações sobre estratégias de busca para outros objetivos de prospecção em patentes além dos citados. Assim, o presente trabalho visa a contribuir com orientações para prospecção tecnológica em base de dados de patentes de acordo com o objetivo da busca. Para isso, a partir de uma pesquisa bibliográfica em bases de dados científicos e de uma pesquisa documental no endereço eletrônico da Organização Mundial da Propriedade Intelectual e em bases de dados de escritórios de patentes, foram sistematizadas informações sobre estratégias diversificadas a depender dos objetivos da busca de dados. Como resultados, são apresentadas as orientações sobre prospecção tecnológica em base em patentes de acordo com o objetivo da busca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cassia Santos Paranhos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Administração

Núbia Moura Ribeiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Administração

Referências

AMPARO, K. K; RIBEIRO, M. C. O.; GUARIEIRO, L. L. N. Estudo de caso utilizando mapeamento de prospecção tecnológica como principal ferramenta de busca científica. Perspectivas em Ciência da Informação, Minas Gerais, v. 17, n. 4, p. 195–209, 2012.

ANTUNES, A. M. S. et al.; PARREIRAS, V. M. A.; QUINTELLA, C. M.; RIBEIRO, N. M. Métodos de Prospecção Tecnológica, Inteligência Competitiva e Foresight: principais conceitos e técnicas. In: RIBEIRO, N. M. Prospecção Tecnológica. vol. 1. Salvador: IFBA, FORTEC, 2018. (Coleção PROFNIT). Disponível em: <http://www.profnit.org.br/wp-content/uploads/2018/08/PROFNIT-Serie-Prospeccao-Tecnologica-Volume-1-1.pdf>. Acesso em: 13 out. 2018.

BORSCHIVER, S.; ALMEIDA, L. F. M.; ROITMANT, T. Monitoramento Tecnológico e Mercadológico de Biopolímeros. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/po/v18n3/12.pdf>. Acesso em: 3 abr. 2018.

BRASIL. Lei nº 5.648, de 11 de dezembro de 1970. Cria o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), de 11 de dezembro de 1970. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L5648.htm>. Acesso em: 8 jan. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.973, de 02 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm>. Acesso em: 5 maio 2018.

BRASIL. Lei 13.243, de 11 de janeiro de 2016. Que apresenta estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e á inovação. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13243.htm>. Acesso em: 8 jan. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9279.htm>. Acesso em: 3 maio 2018.

BURRONE, E. New Product Launch: Evaluating Your Freedom to Operate. WIPO Magazine, set./out. 2005. Disponível em: <http://www.wipo.int/sme/en/documents/freedom_to_operate_fulltext.html>. Acesso em: out. 2018.

COELHO, G. M. et al. Caminhos para o desenvolvimento em prospecção tecnológica: Technology Roadmapping – um olhar sobre formatos e processos. Parcerias Estratégicas, Brasília, DF, v. 10, n. 21, p. 1–36, 2005. Disponível em: <http://seer.cgee.org.br/index.php/parcerias_estrategicas/article/view/263>. Acesso em: 11 jul. 2018.

ESPACENET. Escritório Europeu de Patentes. Portal virtual. [2018]. Disponível em: <https://worldwide.espacenet.com/>. Acesso em: 3 jul. 2018.

FRANÇA. R. O. Patente como fonte de informação tecnológica. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.2, n. 2, p. 235-264, 1997. Disponível em: <http://www.brapci.inf.br/v/a/3237>. Acesso em: 26 jul. 2018.

GREENSPAN, B. J. An Introduction to Patent Searching. 2013. Disponível em: <http://sdcsb.ucsd.edu/wp-content/uploads/2013/07/Greenspan-Dunbar.pdf>. Acesso em: 3 jul. 2018.

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA (IFBA). FORTEC, 2018. (Coleção PROFNIT). Disponível em: <http://www.profnit.org.br/wp-content/uploads/2018/08/PROFNIT-Serie-Prospeccao-Tecnologica-Volume-1-1.pdf>. Acesso em: 13 out. 2018

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Instrução Normativa Nº 16/2013. 2013. Dispõe sobre a normalização para a averbação e o registro de contratos de transferência de tecnologia e de franquia. Disponível em:

<http://www.inpi.gov.br/legislacao-1/instrucao_normativa_16-2013.pdf/view>. Acesso em: 2 nov. 2018.

______. Portal virtual. 2018. Disponível em: <http://www.inpi.gov.br/>. Acesso em: 3 jul. 2018.

INVNTREE INTELLECTUAL PROPERTY SERVICES PVT. LTD. (INVNTREE). Best Pratices While Condiction a Freedom to Operate Study. 2018. Disponível em: <http://www.invntree.com/blogs/best-practices-while-conducting-a-freedom-to-operate-study>. Acesso em: 7 jul. 2018.

JANNUZZI. A. H. L. et al. Implicações da categorização e indexação na recuperação da informação tecnológica contida em documentos de patentes. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 36, n. 2, p. 27-34, maio/ago. 2007. Disponível em: < http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1173/1336>. Acesso em: 3 jul. 2018.

MAYERHOFF, Z. D. V. L. Uma Análise sobre os Estudos de Prospecção Tecnológia. Cadernos de Prospecção, Belo Horizonte, v.1, n.1, p.7–9, 2008.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA PROPRIEDADE INTELECTUAL (OMPI). Manual de la OMPI de redaccion de solicitudes de patentes. 2009. Disponível em: <http://www.wipo.int/edocs/pubdocs/es/patents/867/wipo_pub_867.pdf>. Acesso em: 2 nov. 2018.

______. Portal virtual. 2018. Disponível em: <http://www.wipo.int/academy/pt/>. Acesso em: 3 jul. 2018.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA PARA A INOVAÇÃO (PROFNIT). Material didático utilizado em todos os pontos focais do Mestrado PROFNIT. 2017. Disponibilizado no Componente Curricular Prospecção Tecnológica, ministrado no ano de 2017. Disponível em: <http://www.profnit.org.br/pt/sample-page/>. Acesso em: 4 jan. 2018.

PUTTAIAH. K. et al. Best Practices While Conduction a Freedom to Operate Study. 2018. Disponível em: <http://www.invntree.com>. Acesso em: 4 jan. 2018.

QUINTELLA, C. M. et al. Busca de Anterioridade. In: RIBEIRO, N. M. Prospecção Tecnológica. vol. 1. Salvador: 2018.

RIBEIRO, N. M. Prospecção Tecnológica. vol. 1. Salvador: IFBA, FORTEC, 2018. (Coleção PROFNIT). Disponível em: <http://www.profnit.org.br/wp-content/uploads/2018/08/PROFNIT-Serie-Prospeccao-Tecnologica-Volume-1-1.pdf>. Acesso em: 13 out. 2018

TIGRE. P. B. Gestão da Inovação. Rio de Janeiro: Campus. 2006.

TIGRE. P. B.; KUPFER, D. Prospecção Tecnológica. vol. 2. Rio de Janeiro: Senai, 2004.

WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION (WIPO). Portal virtual. 2018. Disponível em: <http://www.wipo.int/portal/en/index.html>. Acesso em: 14 dez. 2017.

ZUCOLOTO. G. F. Legislação de propriedade industrial e seus impactos no patenteamento, na apropriabilidade tecnológica e nas atividades inovativas no Brasil. In: HERSCOVICI, Alain (Org.). Direitos de Propriedade Intelectual e Inovação: uma análise econômica. 1 ed., vol. 1, Rio de Janeiro, 2012. p. 1–180.

Downloads

Publicado

2018-12-10

Como Citar

Paranhos, R. de C. S., & Ribeiro, N. M. (2018). Importância da Prospecção Tecnológica em Base de Patentes e seus Objetivos da Busca. Cadernos De Prospecção, 11(5), 1274. https://doi.org/10.9771/cp.v12i5.28190

Edição

Seção

Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento