PARA QUEM MARIA PADILHA REZAVA?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i2%20e%203.51729

Palavras-chave:

Maria Padilha; Narrativa feminina; Performance; Subjetividade.

Resumo

Este ensaio é um texto entesourado feito por duas mulheres que se colocaram no exercício do bando. São vozes de duas experiências que se encontram no cruzo da rua e que permitiram seus corpos serem afetados pela história de uma mulher que virou entidade religiosa no Brasil. Um ensaio hibrido de escrita artística, com imgens criadas pelas artistas e vídeos interativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Lessa, Universidade de Coimbra Colégio das Artes

Doutoranda em Artes da Cena pelo Instituto de Artes do Programa de Pós-Graduação da UNICAMP. Possui mestrado em Artes da Cena pela UNICAMP e graduação em Comunicação das Artes do Corpo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009). Tem experiência na área de artes, com ênfase em artes cênicas, atuando principalmente nos seguintes temas: performance,oralidade, arte contemporânea, educação,e saúde.

Tatiana Lohmann

É diretora, montadora e fotógrafa. Realizou curtas de ficção, documentários e séries para a MTV, TV Cultura, Nat Geo e TV Brasil.  

Referências

BENJAMIN, Walter. “A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica” in:__Ben- jamim e a obra de arte: técnica, imagem, percepção. Tradução de Marijane Lisboa e Vera Ribeiro; org. Tadeu Capistrano. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

DE CARVALHO, Aleksandra Stambowisky. “Na Boca de Quem Não Presta – Pontos can- tados de Pombagira, uma proposta de análise”. Tese de mestrado CEFET/RJ, 2016.

DA COSTA, Oli Santos. “A Pombagira Ressignificação Mítica da Deusa Lilith”, tese de mestrado PUC/Goiás, 2015.

FEDERICI, Silvia. “Calibã e a bruxa, mulheres, corpo e acumulação primitiva”. São Paulo: Elefante, 2017.

MEYER, Marlyse. “Maria Padilha e toda a sua quadrilha: de amante de um rei de castela a Pomba-Gira de Umbanda”, São Paulo, Edusp, 1993.

MURARO, Rose Marie in KRAMER, Heinrich; SPRENGER, James. “O martelo das feiti- ceiras”.27a ed. Rio de Janeiro: Record – Rosa dos Tempos, 2015.

RUFINO, Luis & SIMAS, Luis. “Fogo no Mato: as ciências encantadas da macumba”. Rio de Janeiro: Mórola, 2018.

SOUZA, Laura de Mello e. “O Diabo na Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade no Brasil colonial”. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

LORDE, Audre. “Usos do erótico: o erótico como poder”. Traduzido por tate ann de “Sister outsider: essays and speeches”. New York: The Crossing Press Feminist Series, 1984. p. 53-59.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

LESSA, S.; LOHMANN, T. PARA QUEM MARIA PADILHA REZAVA?. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 2 e 3, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i2 e 3.51729. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/51729. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Ensaios