MIDIAS, CULTURAS JOVENS E VIOLÊNCIA SIMBÓLICA

Autores

  • Maria Luiza Araujo Belloni UFSC

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i1.45213

Resumo

Sub-título: Reflexões ao final do primeiro ano da peste.

Reflexões sobre as mudanças e o aprofundamento da influência das mídias na socialização das novas gerações, no contexto peculiar de pandemia, tendo como temas (variáveis de conteúdo) orientadores: a primazia do simbólico nas sociedades altamente tecnificadas, o paradoxo entre a prevalência da ciência e da tecnologia e estruturas sociais e simbólicas arcaicas, a violência física, psicológica e simbólica contra mulheres e crianças. A importância da educação, especialmente a mídia-educação,  como forma de luta e meio de tranformação da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Luiza Araujo Belloni, UFSC

Professora e pesquisadora nas áreas de sociologia da educação e da comunicação, atualmente aposentada, tendo trabalhado na UFBA, UnB e UFSC. Pesquisas sobre: mídias e processo de socialização; uso pedagógico das tecnologiaas de informação e comunicação e comunicação política.

 

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

BELLONI, M. L. A. MIDIAS, CULTURAS JOVENS E VIOLÊNCIA SIMBÓLICA. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i1.45213. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45213. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Ensaio