CONTAR HISTÓRIAS COM MATERNIDADES: POR UMA POLÍTICA FEMINISTA DO CUIDADO

Autores

  • Thais Gomes de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul https://orcid.org/0000-0002-0126-1988
  • Vanessa Soares Maurente Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i1.45208

Resumo

O campo dos cuidados no território brasileiro deflagra uma história perpassada por subjugação e desvalorização. O que já era pensado como campo problemático em diferentes produções feministas foi evidenciado exponencialmente a partir do advento pandêmico: a crise que vivemos, social-sanitária-econômica, é também uma crise das políticas do cuidado. Este artigo busca cartografar este campo problemático através da criação de uma rede de histórias entre pessoas ocupadas de um cuidar: sujeitas interpeladas mulheres e mães, que vivem os anos de 2020 e 2021. Analisa-se a questão a partir de diferentes feminismos que consideram a intrínseca relação entre raça, gênero e classe. As histórias são condensadas de diferentes encontros e propõem uma ampliação em sistemas narrativos. Por meio delas, aponta-se para a concepção do cuidado como relacional, em uma perspectiva feminista, considerando o espaço doméstico como parte fundamental dessa construção.

Palavras-chave: feminismo; maternidade; contação de histórias, cuidado; pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais Gomes de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicóloga pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestranda no PPG Psicologia Social e Institucional (UFRGS). Se interessa pelas temáticas em torno de epistemologias feministas, contação de histórias, maternidades e cuidado.

Vanessa Soares Maurente, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora no Departamento de Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e professora dos programas de pós-graduação em Psicologia Social e Institucional e em Informática na Educação da mesma universidade. Psicóloga e mãe de dois, Gabriel, de oito anos, e Dimitris, de cinco.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. 2009. [online] Disponível em: http://www.ted.com/talks/lang/pt/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story.html. Acesso em 19 jun. 2021.

BADINTER, Elisabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Círculo do Livro: São Paulo. 1980.

BATTISTELLI, Bruna Moraes; CRUZ, Lílian Rodrigues da. Entre cartografia e etnografia, possibilidades de uma pesquisa…. Revista PSI UNISC. Anais da VI Jornada de Pesquisa em Psicologia, 2019. Disponível em: <https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/jornada_psicologia/article/view/17633/4511> Acesso em 09 jun. 2021.

BATTISTELLI, Bruna Moraes; RODRIGUES, Luciana. Contar histórias desde aqui: por uma sala de aula feminista e amefricana. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 23, n. 1, p. 153–173, 2021. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/4067>. Acesso em: 5 jun. 2021. https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p153-173

BELLACASA, María Puig de la. ‘Nothing comes without its world’: thinking with

care. The Sociological Review, p.197-206, 2012.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DELL’AGLIO, Daniela Dalbosco; MACHADO, Paula Sandrine. Cuidado, branquitude e interdependência. Revista Inter-Legere, v. 3, n. 28, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/20892> Acesso em 09 jun. 2021. https://doi.org/10.21680/1982-1662.2020v3n28ID20892.

GONZALEZ, Lélia. Em: Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. In: RIOS, Flavia; LIMA, Marcia. (Org.) A mulher negra na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 2020. Original em 1979.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. In: RIOS, Flavia; LIMA, Marcia. (Org.) Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2020. Original em 1983.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo é o privilégio da pesquisa parcial. Cadernos Pagu, n. 5, p. 7-41, 2009. Original em 1995. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773>. Acesso em: 21 jun. 2021.

HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: Org: Tomaz Tadeu. Antropologia do ciborgue: As vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

HARAWAY, Donna. ModestWitness@Second_Millenium.FemaleMan©_Meets_OncoMouse™: Feminism and Technoscience. New York and London: Routledge, 1997.

HARAWAY, Donna. ‘Staying with the trouble: Becoming worldly with companion species’, paper presented at the Colloquium Series of the Center for Cultural Studies, UC Santa Cruz, 10 October, 2010.

hooks, bell. Ensinando pensamento crítico: sabedoria prática. São Paulo: Editora Elefante, 2020.

hooks, bell. Tudo sobre o amor: novas perspectivas. São Paulo: Editora Elefante, 2021.

KASTRUP, Virgínia; PASSOS, Eduardo. Cartografar é traçar um plano comum. In: PASSOS, Eduardo. et al. (Org.). Pistas do Método da Cartografia- a experiência da pesquisa e o plano comum- Vol.2. Porto Alegre: Sulina, 2014. p. 15-41.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: Episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2018.

LE GUIN, Ursula Kroeber. The Carrier Bag Theory of Fiction. London: Ignota Books, 2020.

Nascimento, Wanderson Flor do. A modernidade vista desde o sul: perspectivas a partir das investigações acerca da colonialidade. Revista Padê, v.1, n.1-2, 2009. Disponível em: <https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/pade/article/view/1071> Acesso em 20 jun. 2021. https://doi.org/10.5102/pade.v2i1.1071

OLIVEIRA, Érika Cecília Soares; ROCHA, Késia dos Anjos. Sobre cafundós, confins e fronteiras: contações de histórias sobre diversidade sexual. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 28, n. 1, p. 94-104, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822016000100094&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 17 maio 2021. https://doi.org/10.1590/1807-03102015v28n1p094.

ROCHA, Camila. Cristianismo ou conservadorismo? O caso do movimento anti-aborto no Brasil. Revista TOMO, n. 36, p. 43-78, 2020. Disponível em: <https://seer.ufs.br/index.php/tomo/article/view/12777>. Acesso em 18 jun. 2021.

https://doi.org/10.21669/tomo.vi36.12777

TIBOLA, Talita. Cuidado com dissenso: pensando mobilizações político-artísticas no Rio de Janeiro a partir de uma ética-prática do cuidado. Revista Pesquisas e práticas psicossociais, v. 11, n. 1, p. 185-199, 2016. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-89082016000100015&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

OLIVEIRA, T. G. de; MAURENTE, V. S. CONTAR HISTÓRIAS COM MATERNIDADES: POR UMA POLÍTICA FEMINISTA DO CUIDADO. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i1.45208. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45208. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos