O conservadorismo distópico à brasileira: Direitos sexuais e direitos reprodutivos e a pandemia da COVID-19 no Brasil

Autores

  • Paula Gonzaga Universidade Federal de Minas Gerais
  • Letícia Gonçalves Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Claudia Mayorga Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

A pandemia do novo agente do coronavírus é considerada a maior crise sanitária da história do Brasil. Em meio às reverberações econômicas, políticas, psicológicas e sociais que remodelam o cotidiano dos sujeitos, o rol dos direitos sexuais e dos direitos reprodutivos tem sido alvo de sucessivos ataques, muitas vezes eclipsados pelos alarmantes números de óbitos decorrentes da Covid-19. Contrariando orientações da Organização Mundial da Saúde que considera os serviços de saúde sexual e saúde reprodutiva, serviços essenciais e que devem ser garantidos em meio a pandemia, o Estado brasileiro, seguindo uma tendência conservadora internacional, tem negligenciado essa agenda e destituído de legitimidade direitos já garantidos. O objetivo desse texto é apresentar, a partir das lentes analíticas do feminismo decolonial, algumas interpelações acerca da obliteração que os atores políticos têm imposto à pauta dos direitos sexuais e dos direitos reprodutivos a partir de uma instrumentalização da pandemia e das suas vítimas. Alinhando setores progressistas e conservadores em torno do argumento de pretensa defesa da vida e suas variáveis, o racismo estrutural e a política anti-mulher seguem legitimando a negação de direitos e mortes evitáveis em prol de um projeto eugenista de brasilidade que cada vez mais, explicita suas premissas de quais vidas são ou não dignas de defesa.

 

Palavras-Chave: Direitos Sexuais; Direitos Reprodutivos; Pandemia; COVID-19


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Gonzaga, Universidade Federal de Minas Gerais

Paula Rita Bacellar Gonzaga é doutora em Psicologia Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, professora do departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais, co-coordenadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão Conexões de Saberes na UFMG. 

 

Letícia Gonçalves, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Letícia Gonçalves é doutora em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva, pela UFRJ, FIOCRUZ, UERJ e UFF, professora substituta do Núcleo de Bioética e Ética Aplicada da UFRJ, onde também realiza estágio de pós-doutorado.

Claudia Mayorga, Universidade Federal de Minas Gerais

Claudia Mayorga é doutora em Psicologia Social pela Universidad Complutense de Madrid (Espanha), professora do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), co-coordenadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão Conexões de Saberes na UFMG.   


Referências

ALMEIDA, Tânia Mara Campos de; BANDEIRA, Lourdes Maria. O aborto e o uso do corpo feminino na política: a campanha presidencial brasileira em 2010 e seus desdobramentos atuais. Cad. Pagu, Campinas , n. 41, p. 371-403, dez. 2013 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332013000200018&lng=pt&nrm=iso>. acesso em 14 jul. 2020.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Nota Técnica Nº23/2020/SEI/GSTCO/DIRE1/ANVISA. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/arquivos-noticias-anvisa/456json-file-1

ALVES, José Eustáquio Diniz. Bônus demográfico no Brasil: do nascimento tardio à morte precoce pela COVID-19. Revista Brasileira de Estudos de População, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-30982020000100550&script=sci_arttext&tlng=pt

ARAÚJO, Verônica Souza de; OLIVEIRA, Raquel Barros de. “Cuida de quem te cuida”: a luta das trabalhadoras domésticas durante a pandemia de COVID-19 no Brasil. Trabalho Necessário, V. 19, nº 38, 2021. Disponível em <https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/48187/28410>. Acesso em 16 de março de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Nº 1.459, de 24 de junho de2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Diário Oficial da União, 2011.

BUTLER, Judith. Quadros de Guerra: quando a vida é passível de luto? Tradução Sérgio Lamarão e Arnaldo Marques da Cunha. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro: 2015.

CASTRO, M. C. et al. Implications of Zika virus and congenital Zika syndrome for the number of live births in Brazil. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 115, n. 24, p. 6177-6182, 2018.

CFEMEA. Radar Feminista Urgente - PL 5435/2020. 06 abr., 2021. Disponível em https://www.cfemea.org.br/index.php/radar-feminista-no-congresso-nacional/4905-radar-feminista-no-congresso-nacional-06-de-abril-de-2021

COLLINS, Patricia Hill. Black Femenist Thought: knowledge, consciousness and the politics of empowerment. 2. ed. Routledge, 2000. Disponível em: https://uniteyouthdublin.files.wordpress.com/2015/01/black-feminist-though-by-patricia-hillcollins.pdf.

CORRÊA, Sonia; KALIL, Isabela. Políticas antigénero en América Latina: Brasil. Observatorio de Sexualidad y Política, 2020.

FERREIRA, Letícia; SILVA, Vitória Régia da.. Só 55% dos hospitais que faziam aborto legal seguem atendendo na pandemia. (2020) Disponível em: <https://azmina.com.br/reportagens/so-55-dos-hospitais-que-faziam-aborto-legal-seguem-atendendo-na-pandemia/>

GONZAGA, Paula Rita Bacellar. Eu quero ter esse direito de escolha: formações discursivas e itinerários abortivos em Salvador. Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Salvador, 2015.

GONZAGA, Paula Rita Bacellar. Os homens que odiavam – odeiam – as mulheres: o escrutínio moral das mulheres como mecanismo de atualização do sistema de gênero moderno/colonial. In: DENEGA, Alessa Montalvão Oliveira; ANDRADE, Darlane Silva Vieira; DOS SANTOS, Helena Miranda (Orgs.), Gênero na psicologia: transversalidades/ – Salvador: CRP-03, 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Pandemia dificulta acesso de 28, 6 milhões de pessoas ao mercado de trabalho em maio. Agência IBGE Notícias, 16/06/2020.

JANUÁRIO Silva, A.C; Moreira, E. L.; GONZAGA, P. R. B. Entre o Risco da Morte e o Medo da Denúncia: mulheres indiciadas por abortamento a partir de denúncias de profissionais de saúde. Cadernos de Gênero e Diversidade, V.5, n.3, 2019, disponível em: <https://periodicos.ufba.br/index.php/cadgendiv/article/view/30596/20259>

LIMA, M. R. P. Práticas e significados em torno da ultrassonografia obstétrica e aborto em Salvador-Brasil. 53f. Orientador(a): Profa. Dra. Cecília Anne McCallun. Co-orientador(a): Profa. Dra. Greice Maria de Souza Menezes. Dissertação (mestrado) - Instituto de Saúde Coletiva. Universidade Federal da Bahia, 2015.

LUGONES, M.. Colonialidad y Género. Tabula Rasa, (9), 73-102., 2008.

MARTELETO, L. J. et al. Live births and fertility amid the Zika epidemic in Brazil. Demography, v. 57, p. 843-872, May 2020.

MAYORGA, Claudia. A questão do Aborto em Tempos de Cólera. Em Debate, Belo Horizonte, v.3, n.2, p. 31-38, mai. 2011.

MAYORGA, Claudia. COVID-19, Universidade Pública e a Defesa da Vida. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, v.8, n.2, p. 13-21, 2020.

MAYORGA, Claudia; GONÇALVES, Letícia; GONZAGA, Paula. Pesquisa e Ativismo sobre Aborto: uma rede feminista em prol dos direitos das mulheres. In: Paula GONZAGA; Letícia GONÇALVES; Claudia MAYORGA(orgs). Práticas Acadêmicas e Políticas sobre Aborto. Belo Horizonte (MG): CRP04, p. 07-13, 2019.

MIGUEL, Luis Felipe. Aborto e democracia. Rev. Estud. Fem., Florianópolis , v. 20, n. 3, p. 657-672, Dec. 2012 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2012000300004&lng=en&nrm=iso>. access on 07 Apr. 2021. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2012000300004.

PROJETO DE LEI 5435/2020. Dispõe sobre o Estatuto da Gestante. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/145760

SCHRAIBER, Lilia Blima et al . Violência de gênero no campo da Saúde Coletiva: conquistas e desafios. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 14, n. 4, p. 1019-1027, ago. 2009 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000400009&lng=pt&nrm=iso>.

SOUZA, Alex Sandro Rolland; AMORIM, Melania Maria Ramos. Mortalidade materna pela COVID-19 no Brasil. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife , v. 21, supl. 1, p. 253-256, Feb. 2021 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292021000100253&lng=en&nrm=iso>.

TOLEDO, K. Anticoncepção é essencial em tempos de coronavírus, alertam especialistas. Veja, 26 maio 2020. Disponível em:

https://saude.abril.com.br/medicina/anticoncepcao-e-essencial-em-tempos-de-coronavirus-alertam-especialistas/.

UNFPA. New UNFPA projections predict calamitous impact on women’s health as COVID-19 pandemic continues. Press Release, 28 Apr. 2020. Disponível em: /press/new-unfpa-projections-predict-calamitous-impact-womens-health-covid-19-pandemic-continues.

UNPD. Assessing sexual and gender based violence during the Ebola crisis in Sierra Leone. UNDP in Sierra Leone, 26 Oct. 2015. Disponível em: https://www.sl.undp.org/content/sierraleone/en/home/library/crisis_prevention_and_recovery/assessing-sexual-and-gender-based-violence-during-the-ebola-cris.html.

Downloads

Publicado

2021-05-09

Como Citar

Gonzaga, P., Gonçalves, L., & Mayorga, C. (2021). O conservadorismo distópico à brasileira: Direitos sexuais e direitos reprodutivos e a pandemia da COVID-19 no Brasil. Revista Feminismos, 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/44330

Edição

Seção

Dossiê