AVALIAÇÃO DA NUTRIÇÃO ENTERAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Sterline Therrier, Clara Marize Carlos, Raquel Fernandes Costa, Giovana Paula Rezende Simino, Jaqueline Almeida Guimarães Barbosa

Resumo


Objetivo: avaliar a infusão da nutrição enteral em pacientes adultos internados em unidade de terapia intensiva. Método: estudo descritivo, quantitativo e longitudinal, desenvolvido ao longo de quatro meses em hospital público de alta complexidade, com pacientes em uso da terapia nutricional enteral. Foram realizadas análises estatísticas descritivas com média, desvio-padrão e percentual. Resultados: a administração da nutrição enteral ocorreu de forma precoce após a admissão na unidade de terapia intensiva na maioria dos casos (64%). Em 71% dos pacientes, o volume de infusão da nutrição enteral foi entre 80 e 100% do prescrito. Os fatores que mais limitaram a infusão foram complicações no uso da sonda de alimentação (14%), instabilidade hemodinâmica e clínica (12%), e estase gástrica (12%). Conclusão: a infusão da nutrição enteral mostrou-se satisfatória, e dentre os fatores que limitaram a infusão muitos são passíveis de prevenção com o aprimoramento dos cuidados de enfermagem, requerendo a capacitação da equipe.

Descritores: Nutrição Enteral. Unidades de Terapia Intensiva. Cuidados de Enfermagem.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v35.38558

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt